Renda básica e sobrevivência da banca

Cassinos financeiros, empobrecimento das pessoas, desigualdade e concentração.

A banca tem procurado, nestes últimos 30 anos, reduzir a ameaça demográfica com guerras e pestes, principalmente no continente mais populoso, a Ásia, e no mais desprotegido, a África. A afirmação forte é do administrador aposentado Pedro Augusto Pinho, arguto observador da geopolítica e feroz crítico do sistema financeiro internacional, a que chama simplesmente de “banca”.

O projeto neoliberal é um plano da banca, para transformar todos os ganhos em rendimentos financeiros, sejam: salários, alugueis, lucros da produção, impostos etc. E também promover a concentração de renda pelo uso especulativo deste dinheiro”, afirma. “Deste plano surgem duas nefastas consequências sociais: a redução dos empregos, porque o dinheiro não é investido na produção, mas em cassinos financeiros, e o continuado empobrecimento das pessoas, pela concentração das rendas.”

A população mundial chega a 7,798 bilhões de pessoas. Aplicando a mesma percentagem do Brasil, 80% destas serão maiores de 14 anos, ou seja, 6 bilhões e 238 milhões de pessoas devem procurar trabalho ou alguma fonte de renda. E, ainda com dados brasileiros, mais da metade, digamos 55% estarão sem qualquer receita para viver. É um exército de 3 bilhões ameaçando todo tipo de propriedade”, exclama Pinho.

As propostas de criação de renda mínima, como já ocorre na Europa e no Brasil (Bolsa Família), vão na direção de não mudar a diretriz rentista. “A banca deve ter concluído que é menos onerosa e mais útil esta despesa do que aumentar guerras e pesquisas em vírus.”

Portanto”, conclui o colaborador habitual do Monitor Mercantil, “a adesão do Governo Bolsonaro ao Renda Brasil não se trata de mudança de orientação, mas a continuidade da condução do país pelas finanças. O FMI nada mais é do que o coordenador e controlador das diretrizes do sistema financeiro pelo mundo”.

 

As uvas estão verdes

A Cemig SIM, braço de energia solar da distribuidora e geradora Cemig, está oferecendo minigeração e microgeração para o cliente ter sua própria central geradora a partir de fontes renováveis em suas dependências. “Esse sistema é ligado à rede da distribuidora responsável para que seja feita a compensação, possibilitando uma redução de até 95% no custo.”

O discurso comercial vai na contramão da pressão que as distribuidoras fazem sobre a Agência de Energia Elétrica (Aneel), que quer limitar a compensação da produção a mais feita pelo consumidor. Como a coluna falou anteriormente, as grandes do setor estão entrando no mercado.

 

Só cresce

Os EUA têm, atualmente, 2,8 milhões de animais domésticos com seguro-saúde, crescimento médio de prêmios de 22% ao ano nos últimos cinco anos.

 

Continência

Prefeitura de Araruama cogitou tornar a chamar Darcy Ribeiro a escola municipal cujo nome alterara para Sgt. PM Antônio Carlos Oliveira de Moura. Mas grandes pressões fizeram o espaço da escola ser dividido: uma municipal, homenageando o grande educador, e outra estadual militar.

 

Rápidas

A Escola de Prerrogativas da OAB RJ realiza o webinar “Prerrogativas da Advocacia Criminal”, 6 e 7 de agosto, das 10h às 16h, com a presença de mais de 20 especialistas. Entre os temas Lei Anticrime e Abuso de autoridade. O advogado Paulo Klein falará no último painel sobre a atuação da advocacia criminal e o cenário fake news, às 16h. Inscrições aqui  *** Aasp promove nesta sexta-feira, às 16h, o webinar “Nexo causal da responsabilidade civil na pandemia”. Inscrições aqui *** A ex-presidente do STF Ellen Gracie participará, nesta sexta-feira, às 16h, do webinar Papo com o IAB sobre “Atualidades em mediação”, pelo perfil @iabnacional *** Dois eventos científicos que ocorrerão por meios virtuais em setembro têm inscrições nesta sexta-feira (31): o “Seminário da Associação Nacional de História-Seção Rio de Janeiro (ANPUH-RJ)”; e o “III Seminário Estado, Trabalho, Educação e Desenvolvimento: Para onde vai a Educação?”. Detalhes aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...