Renovação de incentivos fiscais deixa setor de calçados otimista

São Paulo busca alcançar terceira posição na indústria.

Empresas / 19:40 - 13 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os anúncios de garantias de benefícios fiscais feitos recentemente pelos estados do Rio Grande do Sul e São Paulo, uma solicitação de longa data do setor calçadista, deixaram otimistas os empresários do setor. Na abertura oficial da 47ª edição da Couromoda, Francisco Santos, presidente da feira de calçados e artigos de couro, comemorou a redução das alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 11% para 4% no Rio Grande do Sul e, de 7% para 3,5% em São Paulo.

Em seu discurso, Santos reforçou que as iniciativas nos dois maiores estados produtores de calçados marcam o momento mais importante do setor em anos, voltado à plena recuperação dos negócios após uma fase dura na economia.

Diversos sinais nos permitem vislumbrar um ano promissor, como a retomada do consumo na Black Friday e no Natal. Isso anima o varejo e deve garantir uma boa visitação na Couromoda e a realização de novos negócios nos três dias de evento. Complexos ajustes e reformas saíram do papel, e outras devem acontecer neste ano, garantindo novos empregos, mais renda e retorno do crescimento do setor”, avalia Santos.

Ao lado do presidente da Couromoda na cerimônia de abertura, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, ressaltou que a melhoria de vida das pessoas não acontece sem um programa efetivo de geração de empregos.

Estamos em um momento histórico, onde o Rio Grande do Sul é o líder nacional em exportação de calçados, com mais de 30 milhões de pares, US$ 444 milhões de ingresso de recursos no estado e emprego para mais de 90 mil pessoas. Estamos certos de que a nossa indústria responderá à nova condição tributária com investimentos em toda cadeia produtiva e, assim, proporcionar mais empregos e renda para a população”, aponta Leite.

Também presente, o governador de São Paulo, João Doria Jr., lançou um desafio para o setor no estado, que tem meta prevista de crescimento de 2,5%. “Somos o quarto produtor, mas temos que buscar o terceiro lugar de maior mercado consumidor. Desafio o setor a alcançar mais um ponto e chegar a 3,5% do PIB”, provocou Doria.

A 47ª edição da feira, assim como a São Paulo Prêt-À-Porter – 10ª Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios, realizada paralelamente, terminará nesta quarta-feira, no Expo Center Norte (SP).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor