Reportagem

As inscrições para o Prêmio Firjan de Jornalismo Econômico, que terminariam sexta-feira, foram prorrogadas. As reportagens publicadas entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2000 poderão ser enviadas ao Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro ou às representações regionais da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro no interior até o dia 19. O concurso premiará as melhores reportagens econômicas sobre o estado publicadas na mídia da capital e do interior e a melhor reportagem fotográfica. Os vencedores receberão R$ 10 mil cada. A ficha de inscrição pode ser encontrada no site da federação (www.firjan.org.br).

Pequeno valor
Mais de 25 mil segurados do INSS que obtiveram na Justiça revisão ou concessão de benefícios de valor inferior a R$ 5.180,25 não ficarão na fila dos precatórios. Estas ações de pequeno valor começarão a ser pagas quando o Orçamento 2001 for liberado. A liberação dos pagamentos obedece à Lei 10.099, de dezembro passado, que determina que as ações até aquele valor devem ser quitadas no máximo 60 dias após a finalização do processo. Valores superiores têm de esperar pagamento de precatório. Sabendo que a demora é grande, a lei permite ao segurado abrir mão de parte do crédito para se enquadrar no limite estabelecido. Ou seja, além de desafogar a Justiça, o INSS vai reduzir suas dívidas faturando em cima de segurados que recebem pouco e normalmente estão desesperados e necessitados de embolsar logo o dinheiro, mesmo com prejuízo. As 25 mil ações somam R$ 47,2 milhões – média de menos de R$ 2 mil por segurado.

Espigão
Manifestação contra a liberação da construção de prédios com mais de três andares na Região Oceânica e nos bairros de São Francisco, Charitas e Pendotiba (Niterói) será realizada neste domingo na Praia de São Francisco, em frente à churrascaria Porcão. Organizado por entidades como Conselho Regional de Engenharia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), Associação Fluminense de Engenheiros e Arquitetos (Afea), Movimento de Resistência Ecológica (More) e associações de moradores, o ato dá continuidade a um movimento contra à especulação imobiliária e em defesa do meio ambiente naquelas regiões. Será realizado no dia plebiscito para saber a opinião da população sobre esses assuntos.

Paraíso
Levantamento realizado pela Sindicato dos Bancos do Estado do Rio de Janeiro  constata que vem aumentando a quantidade agências em funcionamento no estado, apesar da redução do número de bancos que tinham sede no Rio. A entidade está detectando ainda a presença, também crescente, de escritórios de bancos estrangeiros.

Métodos
Devem ter sido no mínimo estranhos os critérios usados pela direção da Acerp, sociedade que administra as emissoras oficiais TV Educativa e as rádios MEC AM/FM, que levou à demissão de profissionais e ao cancelamento de programação jornalística sob a alegação de serem consideradas atividades caras. Talvez por isso tenha levado à queda do seu presidente. Na TVE foram anunciadas as dispensas de cerca de 60 profissionais. Nas rádios seriam quase dez demitidos, tendo saído do ar, por exemplo, programas como “Manhã Viva”, outro sobre direito do consumidor, “Café com Notícias” e outro aberto a associações de moradores. Comenta-se internamente que as rádios teriam de cobrir buraco de R$ 8 milhões, enquanto o gasto com os profissionais não ultrapassaria R$ 200 mil. Por ano.

Casa de ferreiro
O deputado Eurico Miranda está prestes a pedir direito de isonomia à TV Globo. Alvejado pela emissora do Jardim Botânico, por conta dos lamentáveis acontecimentos de São Januário, Eurico deve exigir que a Globo dê, no mínimo, o mesmo espaço dedicado à queda do alambrado do estádio do Vasco ao incêndio no Projac durante as gravações do programa “Xuxa Park”.

Final feliz
Nesta segunda-feira, deve, finalmente, chegar ao final, a novela do descruzamento das ações da Vale do Rio Doce e da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Em reunião de sua diretoria pela manhã, o BNDES deve decidir os números finais de quanto caberá à “viúva” financiar à Vicunha para fechar a operação.  

Artigo anteriorPoder
Próximo artigoPé embaixo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Indústria do Brasil cai menos que mundial na pandemia

‘Soluço’ não detém trajetória de queda iniciada no final dos anos 1980.

Batendo palma para maluco dançar

CPI precisa ser ágil para não deixar governistas propagarem mentiras impunemente.

Cristiano Ronaldo, Coca-Cola e Nelson Rodrigues

Atitude do craque português realmente derrubou ações da companhia de bebidas?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Renda mensal per capita para acesso ao BPC reduziu para 1/4 do mínimo

Também foi regulamentado o auxílio-inclusão.

Indústria do Brasil cai menos que mundial na pandemia

‘Soluço’ não detém trajetória de queda iniciada no final dos anos 1980.

STF confirma decisão que considera Moro parcial no caso do triplex

Marco Aurélio e Luiz Fux votaram contra parcialidade do ex-juiz.

Salles pede para sair

Alvo de investigações, ministro do Meio Ambiente teve exoneração publicada em edição extra do D.O.U.

Resultado do Dia dos Namorados confirma recuperação dos shoppings

Levantamento revela alta de 134,4% nas vendas da data comemorativa.