Republicanos tiram republicano da presidência da Câmara nos EUA

Moção proposta por republicanos do MAGA foi apoiada pelos democratas e tirou McCarthy da Presidência da Câmara

88
kevin mccarthy
Kevin McCarthy (foto Xinhua)

A Câmara dos Representantes (equivalente a nossa Câmara dos Deputados) dos Estados Unidos, controlada pelos republicanos, aprovou nesta terça-feira uma moção para destituir o presidente Kevin McCarthy, do Partido Republicano.

É uma medida sem precedentes em meio a lutas internas republicanas, depois que McCarthy confiou nos votos democratas para aprovar um projeto de lei provisório para evitar a paralisação do Governo Federal.

A Câmara, com uma pequena maioria republicana, aprovou a moção por 216 votos a 210, com oito republicanos juntando-se aos democratas para remover McCarthy do seu cargo.

A votação ocorreu menos de um dia depois que o representante republicano linha-dura Matt Gaetz anunciou uma resolução para remover o presidente da Casa por meio de um processo conhecido como “uma moção para desocupar”.

Espaço Publicitáriocnseg

Gaetz e outros republicanos de linha dura alertaram durante semanas que agiriam para destituir McCarthy de sua posição como líder da Câmara se ele confiasse nos democratas para aprovar uma legislação de financiamento.

matt gaetz na sessão que destituiu mccarthy da presidência da câmara
Matt Gaetz na sessão da Câmara que destituiu McCarthy (foto de Liu Jie, Xinhua)

Hakeem Jeffries, o líder democrata da Câmara, disse em comunicado que, sob a maioria republicana, a Câmara “foi reestruturada para capacitar os extremistas de direita, subjugar-se às suas duras exigências e impor uma ideologia partidária rígida”.

“Dada a sua relutância em romper com o extremismo MAGA de uma forma autêntica e abrangente, a liderança democrata da Câmara votará sim na moção republicana pendente para desocupar a cadeira”, disse Jeffries, referindo-se ao slogan “Make America Great Again”, popularizado por Donald Trump durante sua campanha presidencial de 2016 e que representa a ultra-direita.

Num esforço de última hora para evitar uma paralisação do governo, McCarthy divulgou na manhã de sábado um projeto de lei de financiamento provisório, que manteria as agências federais financiadas nos níveis atuais até meados de novembro, e incluía US$ 16 bilhões em financiamento para ajuda humanitária em catástrofes.

O projeto de lei eliminou cortes drásticos nos gastos e disposições de segurança fronteiriça buscados pelos republicanos conservadores, e não incluiu ajuda adicional à Ucrânia solicitada pelos democratas.

O projeto foi aprovado pelo Senado e pela Câmara no sábado e assinado pelo presidente Joe Biden na noite de sábado, poucos minutos antes do término do financiamento do Governo Federal para este ano fiscal.

A proposta de McCarthy foi uma surpresa, já que ele tentava avançar com um projeto de lei de financiamento com cortes drásticos nos gastos e disposições de segurança nas fronteiras, na tentativa de angariar o apoio dos conservadores republicanos.

Sua decisão de apresentar o projeto de lei provisório de financiamento foi bem recebida pelos democratas e pela Casa Branca, mas incomodou alguns republicanos, especialmente os partidários da linha dura na Câmara.

Quando questionado no sábado sobre o que aconteceria se os críticos republicanos conservadores tentassem removê-lo do cargo de porta-voz por causa do projeto de lei de financiamento, McCarthy disse aos repórteres que “se alguém quiser me remover porque quero ser o adulto na sala, vá em frente e tente”.

A Câmara precisará agora eleger um novo presidente, mas ainda não há consenso sobre quem poderá preencher a vaga.

Com Agência Xinhua

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui