Resultados e Covid-19

Dia deve ser de Bovespa em queda seguindo exterior, dólar mais forte e juros ainda fracos.

Opinião do Analista / 10:44 - 30 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Investidores hoje terão que avaliar os impactos da progressão da pandemia pela Covid-19 no mundo e também analisar os resultados apresentados por empresas de destaque no mundo e também no Brasil. Com relação a Covid-19 no Brasil, o número de óbitos já ultrapassa 90.124. Já sobre resultados, ontem à noite foi dia de divulgação do resultado da Vale, tido como positivo.

Ontem os mercados aceleraram ganhos no finalzinho da sessão e depois de decisão do Fed de manter juros entre zero e 0,25%, e principalmente após a coletiva suave do presidente Jerome Powell. A Bovespa teve dia de alta de 1,44%, com o índice em 105.605 pontos, o Dow Jones com +0,61% e Nasdaq com +1,35%. Dólar por aqui encerrando em alta de 0,34% e cotado a R$ 5,175.

Hoje mercados da Ásia majoritariamente em queda, Europa também operando no campo negativo nesse início de manhã e futuros do mercado americano com quedas pouco inferior a 1%. Aqui, não parece ser dia que conseguiremos manter patamar acima de 105 mil pontos, se bem que os investidores vão ter que repercutir o bom resultado da Vale e o retorno da remuneração aos acionistas, depois da suspensão pelos problemas de Brumadinho. A empresa anunciou o pagamento de R$ 1,41 em JCP na posição de final do ano de 2019. Além disso, vai ter que avaliar os resultados de Bradesco e Ambev.

Na Alemanha, foi anunciado o PIB referente ao segundo trimestre com forte contração de 10,1%, aprofundando o processo recessivo. Já na Zona do Euro, a taxa de desemprego de junho subiu para 7,8% (igual ao previsto) e o índice de sentimento econômico de julho expandiu para 82,3 pontos de previsão de ficar em 81 pontos.

CEOs de grandes empresas do setor de tecnologia dos EUA tiveram audiência no Congresso americano, não sem Trump pisar antecipadamente no calcanhar dos executivos e parlamentares. No mercado internacional, o petróleo WTIOI negociado em Nova Iorque mostrava queda de 1,48%, com o barril cotado a US$ 40,66. O euro era transacionado em queda para US$ 1,175 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,55%. O ouro e a prata com fortes quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

Aqui, o governo liberou mais recursos para o Pronampe e quer mais R$ 12 bilhões em ajuda aos pequenos negócios até meados de agosto. O dia inclui agenda importante que pode mexer com os mercados. Teremos o IGP-M de julho e o resultado primário do governo central de junho. Nos EUA, os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior e o PIB preliminar do segundo trimestre.

O dia deve ser de Bovespa em queda seguindo exterior, dólar mais forte e juros ainda fracos.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor