Revitalização do Centro do Rio quer aumentar em 40% número de moradores

Já em São Paulo, em projeto similar, governo do Estado disponibilizou R$ 200 milhões em ajuda aos comerciantes para a requalificação da área

61
Avenida Presidente Vargas (Foto: J.C.Cardoso)
Avenida Presidente Vargas (Foto: J.C.Cardoso)

O Projeto Reviver Centro, conduzido pela Prefeitura do Rio de Janeiro, quer trazer revalorizar o centro da cidade, que, por muitos anos, foi um dos pontos mais valorizados da capital.

A ideia também é aumentar a quantidade de moradores no bairro em até 40% o que, consequentemente, impacta no movimento. A legislação prevê a conservação e adaptação de edifícios já existentes e a construção de novos empreendimentos imobiliários – já são 32 em licitação. Além de 46 imóveis públicos abandonados que podem ser revitalizados e reaproveitados. Entidades como Sesc, Senac e Sescoop, por exemplo, adquiriram edifícios na região.

Já em São Paulo, o comércio da região central da capital já se beneficia das linhas de crédito do governo do estado. O governador Tarcísio de Freitas disponibilizou R$ 200 milhões em ajuda aos comerciantes para a requalificação do Centro. As linhas de financiamento têm como principais objetivos atrair novos empreendimentos, promover a reurbanização e a reocupação da região.

A Desenvolve SP – agência de fomento vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), atua na região financiando projetos de diversos empreendedores. Foram disponibilizados, por exemplo, R$ 170 milhões para micro, pequenos e médios empresários que já estão em atividade ou querem abrir seu negócio. Para o Governo, a oferta de crédito em condições diferenciadas é uma forma de mostrar ao investidor e a quem tem interesse de ir para o centro que haverá uma grande transformação na região.

Espaço Publicitáriocnseg

As taxas são reduzidas (a partir do INPC mais 0,41% ao mês) para micro, pequenos e médios empresários de São Paulo, com prazo de até 120 meses para pagar e carência de até 36 meses. Já o Banco do Povo vai oferecer R$ 30 milhões em recursos para pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEIs), com juros a partir de 0,35% ao mês, prazo de até 36 meses e carência de até três meses.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui