Ri por último…

Rindo à toa estão os ex-funcionários da Panair, empresa aérea que foi ao chão durante o governo militar. Corporativistas mesmo após o fechamento da companhia, o motivo da alegria é a turbulência na Varig, que chegou ao posto de maior empresa aérea do Brasil – segundo os antigos empregados da Panair – recebendo graciosamente concessões de vôos perdidas por esta companhia após alteração da Lei de Falências. Por ironia do destino, a Varig recorre agora à nova Lei de Falências – igualmente modificada, desta vez para permitir a inclusão de empresas aéreas – para se manter no ar.

Razõe$
Com a experiência do convívio com PC Farias, Sérgio Motta e Delúbio Soares, o deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) atacou a proposta de financiamento público, recorrendo a argumento dramático: “Não quero tirar o prato de comida do pobre.” Apesar da compaixão pelos brasileiros mais sofridos, Jefferson se sentiu à vontade para defender incentivos fiscais para o financiamento privado para campanhas eleitorais. Em outras palavras, o governo ofereceria renúncia fiscal àqueles que quisessem financiar parlamentares, seja por benemerência, ou para a defesa aberta dos seus interesse$.
Além da incoerência bizarra, a proposta desconsidera o custo/benefício, para se usar a linguagem de bastidores de políticos e lobistas. Ao fornecer incentivo fiscal para setores interessados em “investir” em parlamentares compromissados em apoiar uma política econômica que apenas este ano vai destinar R$ 155 bilhões para pagar juros, ao mesmo tempo em que se mantém em estado de calamidade educação, saúde, segurança, infra-estrutura etc., o “custo Brasil” é muito mais oneroso do que os cerca de R$ 800 milhões estimados para o financiamento público de campanha.

Hierarquia
Num misto de galhofa e seriedade, um jurista amigo da coluna oferece um conselho para deputados acusados de receber mensalão para aprovar projetos de interesse do governo, caso as denúncias sejam comprovadas: pedir ir para ser julgado no Juizado de Pequenas Causas. O jurista argumenta que de, diante dos R$ 155 milhões que o presidente Lula vai pagar este ano de mensalão aos bancos e a rentistas, sob a capa de superávit primário, R$ 30 mil por mês é esmola.
Mas adverte para a possibilidade de enquadramento na lei de crimes hediondos, por cumplicidade, via voto, com a política econômica, responsável por uma das maiores tragédias da história nacional, da qual o desemprego e subemprego de cerca de 30% da população economicamente ativa são a face mais visível.

Força financeira
O Ibmec São Paulo concluiu que 92% dos alunos graduados em Administração em 2004 estão trabalhando, dos quais 46% na função de analista e 26% na de trainee. Já entre os formados em Economia no mesmo período, 50% estão inseridos no mercado de trabalho, enquanto 33% continuam estudando. Dos que estão na ativa, metade atua como analista e 25% como assistente. O setor financeiro continua absorvendo o maior número de profissionais nas duas áreas: 29% dos formados no curso de Administração e 30% no de Economia.

Milhões da China
Programas de incentivos do governo fluminense e o potencial da economia do Rio vão ser apresentados nesta sexta-feira pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Maurício Chacur, à delegação da província chinesa de Chongqing. A cidade é a mais populosa do mundo, com mais de 32 milhões de habitantes. Com o objetivo de interiorizar o desenvolvimento no país, o governo chinês determinou que Chongqing fosse a quarta cidade do país ligada diretamente ao Comitê Central do Partido Comunista Chinês.

Prevenção
Trinta minutos de exercícios físicos, três vezes por semana, podem diminuir em até 50% a probabilidade de desenvolver o mal de Alzheimer, doença que atinge 16 milhões de pessoas no mundo. O neurologista e psiquiatra Jefrrey Cummings, professor da Universidade da Califórnia, citado pela Agência Notisa, afirma que os primeiros sintomas visíveis surgem a partir dos 75 anos, mas existem relatos de pacientes que apresentam a doença aos 35 anos.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Grampo” ilegal
Próximo artigoNormalidade americana

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...