Rio anuncia suspensão do Carnaval de rua de 2021

Com a suspensão, cidade fica sem seus três principais eventos turísticos em 2021: Réveillon, desfile das escolas de samba e Carnaval de rua.

Rio de Janeiro / 13:13 - 30 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No mesmo dia em que anunciou que o Réveillon de 2021 será totalmente custeado pela iniciativa privada, a Prefeitura do Rio também anunciou a suspensão do Carnaval de rua de 2021.

A decisão foi tomada em uma reunião virtual na qual participaram o presidente da companhia municipal de turismo (Riotur), Fabrício Villa Flor, infectologistas, representantes dos tradicionais blocos de Carnaval e membros da área de segurança pública.

"A realização do Carnaval está diretamente vinculada à chegada da vacina. Sem vacina não é possível ter o Carnaval de rua nem os desfiles das escolas de samba", afirmou Villa Flor.

No mês passado, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) já tinha anunciado a suspensão do desfile.

Todos os participantes da reunião desta quinta-feira concordaram que era inviável realizar o Carnaval de rua sem vacina.

"Sem vacina, não é possível realizar o Carnaval nos moldes tradicionais, como conhecemos há décadas. Como não ouvir os especialistas? Como não escutar os que participam de toda a cadeia de montagem dos blocos de rua? A posição dos blocos foi muito responsável e eu os felicito por isso", disse o presidente da Riotur.

Villa Flor ressaltou que a pandemia não terminou e que "só quando chegar a vacina conseguiremos fazer um planejamento e falar de datas".

Segundo o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Rio de Janeiro (Hotéis Rio), a média de ocupação hoteleira para o feriado de Finados (no próximo dia 2) está em 50% na capital, até o momento, sendo o período pesquisado de hoje (30.10) ao próprio dia 2. Mas, a previsão é que a ocupação feche em 68%. No ano anterior, não foi realizada pesquisa pelo fato de a data não ter ocorrido em um fim de semana prolongado.

Entre os bairros mais procurados pelos turistas, destacam-se: Ipanema e Leblon (69%), Leme/ Copacabana (52%), Barra/ São Conrado (49%), Flamengo/ Botafogo (48%) e Centro (30%).

Cerca de 93% dos visitantes da capital neste feriadão são provenientes do mercado nacional, com os estados de São Paulo, do próprio Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás entre os maiores emissores. No mercado internacional, os 7% dos turistas são de norte-americanos.

No interior do estado, pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) para o feriado registra em torno de 62% de quartos reservados, até o momento. Segundo a associação, entre as regiões mais procuradas estão Itatiaia/ Penedo (100%), Paraty (80%), Búzios (73%), Arraial do Cabo (70%), Nova Friburgo e Vale do Café (65%, cada). Vale ressaltar que os meios de hospedagem estão operando com capacidade de funcionamento entre 50 e 100%, de acordo com as medidas de flexibilização impostas por cada prefeitura.

 

Com informações da Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor