Rio ganha Museu da História e Cultura Afro-Brasileira

África, região com papel fundamental no resgate, na preservação e revitalização da memória afro-brasileira e que tem como marco zero o Cais do Valongo. No espaço, o público poderá conferir algumas das obras do acervo, que reúne aproximadamente 2,5 mil itens, entre pinturas, esculturas e fotografias, além de trabalhos de artistas plásticos contemporâneos. Por ser um museu de território, as edificações e os elementos urbanos também são catalogados como acervo. A atual gestão da Secretaria Municipal de Cultura executou a limpeza e o restauro das calhas para impedir vazamentos. As peças passaram por higienização, algumas também por pequenos restauros ou ganharam uma nova moldura.
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, que participou da inauguração, disse que foi feito um grande investimento para que o prédio funcione como uma espécie de farol que, junto com o Instituto dos Pretos Novos e o Cais do Valongo, possa chamar a atenção para a cultura do povo negro na formação da história da capital fluminense. “E que assim, num futuro não tão distante, possamos construir uma sociedade mais justa e mais igual”, completou o prefeito.
Segundo o diretor do Museu, Leandro Santanna, além da visitação, o público poderá fazer oficinas de teatro e percussão. “Nossa exposição de reabertura, Protagonismo, Memórias, Orgulho e Identidade, revela fragmentos da potência de um povo que construiu este Brasil lutando contra os olhares enviesados”, destacou. Em maio deste ano, o Muhcab ganhou seu site, fruto de uma cooperação internacional da prefeitura do Rio com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), por meio da Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com o projeto Territórios Negros.
Fundado em 1877 pelo imperador Pedro II como a primeira escola pública da América Latina, o Centro Cultural José Bonifácio faz parte do Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana. O palacete foi restaurado em 2013. O Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira fica na Rua Pedro Ernesto, 80, Gamboa, e funciona de quinta a sábado, das 10 horas às 16 horas, com entrada gratuita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

FCDL homenageia deputados da Alerj

Alerj também fez uma homenagem à federação de lojistas.

SuperaRJ chega a R$ 200 milhões em recursos liberados pela AgeRio

Foram liberados cerca de R$ 57 milhões em recursos para MEIs, autônomos e informais.

Últimas Notícias

Escala da indústria de big data chinesa excederá 3 trilhões em 2025

A escala da indústria de big data da China tem a previsão de superar 3 trilhões de yuan pelo final do ano 2025, de acordo com o plano de desenvolvimento para a indústria de big data, durante o período do 14º Plano Quinquenal divulgado pelo Ministério da Indústria e Informatização (MIIT, sigla em inglês) nesta terça-feira.

Potencial das pessoas para promover a diversidade

Por André Abram.

Aumento do número de juízes dos TRFs é sancionado por Bolsonaro

Lei 14.253, de 2021 não gera aumento de despesas.

Alta dos juros já impacta concessão de crédito imobiliário

Em outubro, o volume de crédito imobiliário alcançou a marca de R$ 17,1 bi.

B3 divulga a 1ª prévia do Ibovespa B3 e demais índices

A prévia registra a entrada de Porto Seguro ON (PSSA3) e Positivo Tec ON (POSI3).