Rio Innovation Week: Paes aplicará 1% do Tesouro em criptomoeda

Sebrae injetará R$ 23,7 milhões em projetos de PD&I de startups.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), participou nesta quinta-feira da abertura da primeira edição do Rio Innovation Week, o mais completo encontro de inovação e tecnologia da América Latina. O evento será realizado até este domingo, no Jockey Club Brasileiro. Em um dos painéis, Eduardo Paes debateu com o prefeito de Miami, Francis Suarez, por meio de vídeo, sobre os desafios de transformar uma cidade em polo de inovação com incentivos à geração de novos negócios.

– O mundo de hoje gira muito mais em torno de uma rede de cidades, as chamadas cidades globais. Miami e Rio são cidades globais, que atraem pessoas, funções e organizações. Esse diálogo internacional é muito importante – afirmou Eduardo Paes, agradecendo a participação do prefeito de Miami no evento.

Na ocasião, Paes (PSD) informou que aplicará 1% do Tesouro em criptomoeda, e que lançará uma conferência chamada ‘Cripto Rio’, nos moldes das grandes convenções globais sobre o tema.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Pedro Paulo, também afirmou no evento que a Prefeitura estuda a possibilidade de facilitar o pagamento de impostos em bitcoin, com descontos. “Estamos criando um grupo de trabalho que vai desenvolver o Rio como um hub de criptomoedas. Estamos estudando a possibilidade de pagar impostos com desconto adicional se você pagar com bitcoins. Você pega o desconto da cota única de 7%, faria 10% se pagar em bitcoin”, disse.

A Rio Innovation Week tem as criptomoedas e a tecnologia blockchain em posição de destaque na sua edição de 2022. O evento reúne negócios, networking, marketing e educação sobre soluções para o futuro. Acontece até o dia 16 de janeiro no Jockey Club do Rio de Janeiro.

– Queremos tornar o Rio a capital brasileira da inovação e todos os esforços da Prefeitura têm sido nessa direção. O Rio Innovation Week é mais um marco na atração de investimentos e de grandes eventos para a cidade, que tem uma vocação natural para o tema – explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, Chicão Bulhões.

Além da presença em painéis e palestras, a Prefeitura também estará presente com diversos estandes no evento. A Invest.Rio, empresa de atração de investimentos do município, vai aproveitar para fazer um cadastro dos atores do ecossistema de inovação da cidade, uma espécie de censo das startups. O objetivo é ter informações mais precisas sobre este nicho para que as políticas públicas para o setor possam ser melhor direcionadas.

Além deste cadastro, o estande da Invest.Rio também estará apresentando os principais projetos da cidade no campo da inovação, como o Porto Maravalley. Contando com dois estandes no evento, a intenção é estabelecer uma relação mais próxima ao ecossistema de inovação para a transformar o Rio na capital tech da América do Sul. Os projetos da Invest.Rio poderão ser vistos nos estandes e reuniões poderão ser marcadas junto ao espaço Beer And Coffee na arena Turistech.

– O Rio de Janeiro tem tudo para se tornar a capital tech da América do Sul. Eventos como o Rio Innovation Week vêm para fortalecer a imagem da cidade como o lugar perfeito para se trabalhar, viver e inovar. Queremos um RIW por mês na cidade maravilhosa – exaltou Rodrigo Stallone, presidente da Invest.Rio.

PD&I

O Sebrae injetará R$ 23,7 milhões em projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) de startups. O Sebrae e a Embrapii vão apoiar financeira e tecnicamente o desenvolvimento de 180 projetos focados em ciência, inovação e tecnologia. A expectativa neste novo ciclo é que as empresas arquem com apenas 20% dos investimentos em projetos de solução nas mais diversas áreas. Pesquisas recentes do Sebrae mostram que acesso a crédito é uma das principais dores para os empreendedores do país. Em junho de 2020, em um dos piores momentos da pandemia, por exemplo, 83% dos negócios ouvidos pelo estudo necessitavam de empréstimos, desse total, apenas 9% haviam conseguido.

Durante a abertura do Rio Innovation Week, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, destacou a importância da inovação para o desenvolvimento de um ambiente de negócios cada vez mais competitivo no Brasil. “Nosso país concentra 75% da mão de obra gerada por micro e pequenas empresas, responsáveis por 30% de todo o PIB nacional. Grande parte desses resultados são fruto de um trabalho em equipe entre governo e Sebrae, em especial, ministérios como os da Economia, da Ciência e Tecnologia, do Turismo, da Educação e tantos outros”, disse. Melles reforçou que, sempre que se falar em inovação, “o Sebrae terá um time dentro”, ao destacar o compromisso da instituição com o avanço das políticas públicas de fomento ao desenvolvimento.

Segundo o secretário de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, um dos objetivos prioritários do governo é fazer do Brasil um país livre e próspero, no que tange a criação de novos negócios. “Estamos trabalhando para que o Brasil tenha mais empresas inovadoras e mais negócios. Ações como aprovação do Marco Legal das Startups e as compras públicas facilitadas mostram que estamos transformando o país no maior celeiro de startups do mundo”, afirmou. A chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos do Ministério da Economia, Daniela Consentino, corroborou a declaração do colega ao afirmar que a redução dos custos e a facilitação da abertura de empresas contribuem para a geração de emprego e renda. “Brasil Mais, Inovativa, Catalisa e todas as iniciativas que estimulam o empreendedorismo contam com nosso apoio”, completou.

O senador Carlos Portinho (PL-RJ), relator do Marco Legal das Startups, trouxe a perspectiva de que a legislação irá colocar o país entre as maiores potências mundiais na criação de unicórnios, empresas avaliadas em mais de U$ 1 bilhão. “Antes do Marco Legal, o Brasil já estava entre os dez maiores com unicórnios do país. Sem dúvidas, essa legislação vai favorecer o crescimento disso”, sustentou. O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) também prestigiou o evento e observou que o governo tem investido em segurança jurídica para atrair cada vez mais investimentos nos negócios brasileiros. “O governo Bolsonaro dá atenção para assuntos que impactam diretamente no crescimento do país, na economia e na liberdade”. O parlamentar ainda destacou o alto volume de crédito concedido para as micro e pequenas empresas, durante a pandemia. “Somente a Caixa, em parceria com Sebrae, injetou R$ 7,5 bilhões em startups e MPEs”, lembrou.

Inova Simples

Com objetivo de desburocratizar e fomentar o processo de criação de empresas de base tecnológica, o Inova Simples também marcou a programação do primeiro dia do Rio Innovation Week. Instituído pela Lei Complementar nº 167, de 24 de abril de 2019, o Inova Simples é uma estratégia que permite a criação de CNPJ de forma simples, rápida e segura.

Além de ter um rito simplificado para inscrição empresarial, a obtenção de um CNPJ permite à empresa inscrita no Inova Simples mais facilidades de acesso a crédito perante instituições financeiras, comercialização dos produtos e/ou serviços em caráter experimental, e outras facilidades resultantes da formalização do negócio. O Inova Simples ainda viabiliza que o exame dos pedidos de patente ou registro de marca perante o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) sejam realizados em caráter prioritário.

A convite do Sebrae, o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), relator da lei que instituiu o Inova Simples, explicou como a iniciativa vai facilitar a vida dos empreendedores. “O projeto estabelece atalhos, desmonta a burocracia. É preciso que a legislação permita efeitos práticos para incentivar os negócios e a criação de empresas, formando um ambiente facilitador”, comentou. “Para que ideias, projetos e sonhos saiam do papel, é necessário que o governo ajude, incentive. Foi isso que nós fizemos”, acrescentou.

Ao lado do parlamentar, o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, afirmou que a desburocratização é uma pauta constante para o Sebrae, pois impacta diretamente na qualidade de vida dos donos de micro e pequenos negócios. “Estamos trabalhando, sem parar, para desmistificar e facilitar o acesso à inovação. Toda a parte de abertura de empresas, remover barreiras, permitir e estimular a criatividade nós incentivamos e facilitamos. Para se ter ideia, há algum tempo, para abrir uma empresa nesse país a pessoa esperava 136 dias. Hoje, já temos estados que abrem instantaneamente, em poucos cliques”, reiterou.

A agenda do Rio Innovation Week tem 1.000 startups, 190 expositores e mais de 500 palestrantes de instituições públicas e privadas confirmadas. Alguns dos keynotes são Richard Branson, fundador do grupo Virgin, que irá conversar com o Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações do Brasil, Marcos Pontes; e Steve Wozniak, cofundador da Apple; e Katia Vaskys, General Manager IBM. A agenda de palestras conta ainda com profissionais como Camila Farani, investidora anjo do Shark Tank Brasil; Rony Meisler, sócio CEO da Reserva; Bruno Stefani, Global Innovation Director da Ambev; João Kepler, CEO da Bossanova Investimentos; Andrés de Léon, CEO da HyperloopTT; e Natalia Bayona, diretora de Inovação da UNWTO – Organização Mundial de Turismo.

Da Redação com informações do Brasil 247 e de O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Contas públicas ficaram positivas em R$ 4,3 bi em março

Segundo o BC, em 12 meses, o superávit primário chegou a R$ 122,8 bilhões.

Mercados globais operam no negativo com dados decepcionantes de China

Notícias de Xangai e IBC-Br também ficam no radar.

Últimas Notícias

Previdência privada é pouco usada; 92% dependem de recursos do INSS

Mais da metade dos brasileiros gostaria de parar de trabalhar com 60 anos, mas só 28% acham que vão conseguir.

Brilhante comércio de cerejas entre a China e o Chile

Um total de 356.000 toneladas de cerejas foram exportadas do Chile durante a temporada 2021-2022, com 88% do total indo para a China, de acordo com a iQonsulting, uma empresa de consultoria, com sede em Santiago, capital do Chile.

Empresa chinesa construirá parque de ciências agrícolas em Paracatu

A Prefeitura de Paracatu, no estado brasileiro de Minas Gerais, assinou um acordo com uma empresa chinesa para abrigar um parque de ciências agrícolas, visando construir o maior centro sul-americano de pesquisa e desenvolvimento de sementes de soja e milho e da cadeia de suprimentos.

Criação de mais um monopólio privado regional

Recurso de petroleiros contra decisão do Cade sobre venda da Reman

Restrição do Fed pode impulsionar a saída de capital dos países da AL

Sinalizou uma política monetária mais restritiva em meio às expectativas de inflações mais altas