Riscos excluídos e perdas econômicas da pandemia

Um webinar no próximo dia 21, promovido pela Federação Interamericana de Empresas de Seguros (Fides), discutirá as conclusões do estudo “Confronting the Uninsurability and Economic Effects of the Pandemic” (Confrontando os riscos excluídos e os efeitos econômicos da pandemia, em tradução livre).

Organizado pela Associação Americana de Seguros de Danos e Responsabilidades (APCIA, na sigla em inglês), o estudo demonstra as razões pelos quais os riscos de interrupção de negócios derivados de uma pandemia não podem ser segurados, tendo em vista que suas causas não são, em sua maioria, decorrentes de ordens de restrições à mobilidade em si, mas sim uma consequência da queda de procura do consumidor por serviços.

Em 2020, destaca o estudo, os prêmios da cobertura de interrupção de negócios somaram US$ 30 bilhões, ao passo que as indenizações pagas na carteira, US$ 1,7 bilhão. O estudo diz ainda que os governos devem compreender que o seguro não pode proteger contra mudanças nas tendências de consumo. Além disso, o estudo lembra que pandemias, tradicionalmente, são riscos excluídos na grande maioria dos ramos e modalidades de seguros do mercado global, dada a dificuldade de quantificar as perdas econômicas de sua incidência e, ao mesmo tempo, de estipular os valores dos prêmios.

Os resultados do estudo serão apresentados pelo chefe da área internacional e vice-presidente da APCIA, Steve Simchak. O webinar terá tradução simultânea para o espanhol.

Inscrições gratuitas: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdFV8JS_soJ-J5Gj13jO-qFllbwwFcmYptCqzKU7DKsBltRAQ/viewform

Artigos Relacionados

Aposentado sem pagar INSS é a 1ª ideia legislativa feita por telefone

Extinguir a cobrança de contribuição previdenciária dos aposentados é a primeira ideia legislativa feita por telefone, e não pela internet, que alcançou a marca...

Petrobras diz que pagará dívida de migração de planos

A Petrobras assinou na quarta-feira, junto à Fundação Petrobras e Seguridade Social (Petros), um Termo de Compromisso referente à sua participação paritária para pagamento...

Setor segurador cresce 11% em doze meses até maio

Na evolução dos últimos 12 meses, o setor de seguros apresentou taxa de crescimento de dois dígitos em maio, alcançando expansão de 11%. A...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Taxar dividendos aumentou investimentos na França

Redução, nos EUA e na Suécia, só elevou distribuição de lucros.

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.