Riscos para países que não têm reservas adequadas

Os riscos de médio prazo para a estabilidade financeira mundial e o crescimento permanecem elevados, analisa o Global Financial Stability...

Os riscos de médio prazo para a estabilidade financeira mundial e o crescimento permanecem elevados, analisa o Global Financial Stability Report (GFSR), do FMI. “Um aperto súbito e agudo das condições financeiras poderia trazer à tona uma série de vulnerabilidades acumuladas ao longo dos anos. Nas economias avançadas, as principais vulnerabilidades financeiras são os níveis elevados e crescentes de alavancagem no setor não financeiro, a deterioração contínua das normas de subscrição e avaliações exageradas de ativos em alguns mercados importantes.”

O total da dívida do setor não financeiro em mercados financeiros importantes cresceu de US$ 113 trilhões (mais de 200% do seu PIB combinado) em 2008 para US$ 167 trilhões (quase 250% do seu PIB combinado). “Os bancos aumentaram suas reservas de capital e liquidez desde a crise, mas ainda estão expostos por terem em suas carteiras empresas, famílias e devedores soberanos altamente endividados; por deterem ativos opacos e ilíquidos ou por recorrerem a financiamento em moeda estrangeira”, entrega o FMI.

O endividamento externo continuou aumentando na maioria das economias de mercados emergentes. “Isso gera problemas para os países que estão enfrentando riscos de financiamento externo e choques comerciais, mas que não detêm reservas adequadas nem dispõem de bases de investidores internos sólidas para amortecer o impacto de choques externos. Em vista desse ambiente externo desafiador, as autoridades nas economias de mercados emergentes devem se preparar para novas pressões para a saída de capitais.”

 

Dólar forte

Os indicadores desta semana devem confirmar que a inflação, inclusive o núcleo, segue acima da meta perseguida pelo Fed dos EUA. Os dados de empregos criados devem corroborar a percepção de dinamismo econômico. Ambos os dados reforçam a expectativa de alta dos juros, levando à continuidade do movimento de fortalecimento do dólar, analisa a Mapfre Investimentos.

Ao longo deste ano, a moeda norte-americana se valorizou 9,9% frente a uma cesta de moedas de seus parceiros comerciais. O dólar está em seu ponto de maior valorização dos últimos 16 anos.

É interessante observar que a paridade do dólar frente ao real vem apresentando comportamento inverso ao observado frente às demais moedas desde meados de setembro. A moeda brasileira apreciou-se 11,9% perante o dólar entre 13 de setembro e o final da semana passada. Neste mesmo período, as moedas dos parceiros comerciais dos EUA se depreciaram 1,9% frente ao dólar. Ou seja, a moeda brasileira apreciou-se quase 15% frente as moedas dos parceiros comerciais dos EUA em termos nominais. Cabe avaliar a partir de agora se as expectativas favoráveis para a economia brasileira justificam tal apreciação”, comenta a Mapfre.

 

Cheque em branco

Paulo Guedes começa a preencher o cheque em branco que parte dos eleitores deu a Bolsonaro. E a conta é alta. Reduzir as reservas em moeda forte é chamar a crise para o colo. Não demora, o presidente receberá um zap do colega argentino: “Yo soy tú mañana”

 

Rápidas

O Ibracon (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil) patrocinará, pelo terceiro ano consecutivo, os Jogos Contábeis do curso Bacharelado em Ciências Contábeis do Centro Universitário Senac – Santo Amaro. A etapa final será realizada nesta quinta *** A Comissão de Direito e Liberdade Religiosa do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) promoverá o seminário “A cidadania religiosa num Estado laico”, nesta quarta-feira, das 14h às 17h, na Biblioteca Daniel Aarão Reis, no Centro do Rio. Inscrições: www.iabnacional.org.br/eventos *** Na próxima segunda-feira, a Shell Brasil promove mais uma edição da Feira de Negócios do Shell Iniciativa Jovem (IJ), no Museu do Amanhã, Rio de Janeiro. O evento reunirá 47 empreendedores do programa, que apresentarão os seus projetos *** A consultora Cris Guerra, do blog Hoje Vou Assim, inspirada no seu livro Moda intuitiva para vendedores, fará palestra na Fecomércio MG, dia 9. Inscrições: www.fecomerciomg.org.br/2018/10/palestra-moda-intuitiva-com-cris-guerra/ *** No dia 8, a partir das 9h, acontecerá o simpósio “Protestantismo, Escravidão e Abolicionismo”, na Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), no Campus Higienópolis, em São Paulo. Inscrições: simposiomackenzie.wixsite.com/abolicionismo

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Como transformar US$ 600 mil em US$ 516 mil

Com ajuda de um banco suíço, claro.

É urgente a revogação da PPI

Federação do Fisco taxa PEC de Bolsonaro de eleitoreira.

Olavo de Carvalho, quem diria, já escreveu no MM

Críticas à ‘Nova Ordem Mundial’, ‘Globo’, ‘Time’ e Garotinho.

Últimas Notícias

Mercados fecham semana marcando volatilidade

Os mercados acionários demonstraram volatilidade nesta sexta-feira e com um comportamento de certa forma incomum, com o Ibovespa se mantendo em trajetória oposta aos...

Varejo online da China faturou US$ 1,58 trilhão no ano passado

As vendas no varejo online de bens físicos da China ultrapassaram a marca de 10 trilhões de iuanes (US$ 1,58 trilhão) em todos os...

ANP avalia padrões de qualidade dos combustíveis

Entre os dias 24 e 27 de janeiro, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou ações de fiscalização no mercado...

Brasil perde 10 posições em índice de direitos de propriedade

O Brasil perdeu 10 posições no Índice Internacional de Direitos de Propriedade 2021 (International Property Rights Index 2021 – IPRI), passando a ocupar a...

Seguro enfrentará desafios com custos e preços

O presidente Sindicato das Seguradoras do Paraná e de Mato Grosso do Sul (Sindseg PR/MS), Altevir Prado, disse que 2021 foi extremamente desafiador e...