Rodapé

22

Embora publicados na segunda quinzena de novembro, os dados do Panorama Social 2007 da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) sobre a performance da Venezuela permanecem quase clandestinos na mídia daquela país e na dos arredores, apesar do espaço que tem sido dedicado nos últimos meses ao país governado por Chávez. Segundo a Cepal, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Venezuela cresceu 0,08 ponto, em 2006. Caso esse performance seja repetida em 2007, o país ingressará no grupo de países com elevado IDH.

Miséria recua
Ainda segundo o documento da Cepal, quando Chávez chegou à presidência, em 1999, 49,4% da população venezuelana estava abaixo da linha de pobreza. Em 2006, esse índice foi reduzido em 19,2 pontos, para 30,2%, o que significa que milhões de pessoas deixaram de ser pobres e que a Venezuela foi o país de América Latina no qual houve maior redução da pobreza nesse período de sete anos.

Horas perdidas
Há praticamente um mês os ponteiros do relógio da Central do Brasil estão inertes, privando a população carioca de um de seus hábitos mais tradicionais: acompanhar a hora no mecanismo que fica numa torre que pode ser vista de vários pontos da cidade. O problema não é novo e, volta e meia se repete. Mas parece que a Secretaria Estadual de Segurança Pública, responsável pela manutenção, não está nem aí para a hora do Brasil.

Censura
A Associação Nacional de Jornais (ANJ) condenou a decisão do juiz Antônio Carlos de Oliveira Bispo, da 22ª Vara Cível de Belo Horizonte, de impor censura prévia ao jornal Mosaico, de Itabira, em Minas Gerais. O juiz concedeu liminar ao pedido do prefeito da cidade, João Izael, que se considerou ofendido por material publicado pelo jornal e solicitou à Justiça o impedimento de matérias a seu respeito e à sua equipe de governo, sob pena de multa diária de R$ 5 mil. “Mais uma vez o Poder Judiciário pratica a censura prévia, em claro desrespeito às normas constitucionais”, diz a ANJ.

Estratégia
O professor e economista Marcos Coimbra, colaborador dessa página, foi eleito membro efetivo do Conselho Diretor do Centro Brasileiro de Estudos Estratégicos (Cebres), cujo presidente é o major-brigadeiro Oswaldo Terra de Faria.

Alta
O reajuste em 10,7%, do piso salarial regional foi aprovado pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O piso é destinado às categorias profissionais que não tenham patamar definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo. O Rio passará a ter nove pisos, variando de R$ 447,25, para os trabalhadores agropecuários e florestais, a R$ 1,2 mil, para advogados e contadores empregados, a partir do dia 1 de janeiro do próximo ano. O valor mínimo não será extensivo aos servidores públicos municipais.

Fatia
Também nesta segunda, a Comissão de Orçamento da Alerj reduziu de 30% para 20% o índice de remanejamento que o governador poderá fazer nas contas do estado. A redução foi feita em acordo com o governador Sérgio Cabral, que ainda assim poderá remanejar expressivos R$ 8 bilhões, já que o orçamento do Rio soma R$ 40 bilhões em 2008.

Caixa
No acumulado de janeiro a novembro, a arrecadação de ISS da cidade do Rio de Janeiro ultrapassou R$ 1,8 bilhão e cresceu 12,61% – já descontada a inflação pelo IPCA – em relação a 2006, revela o prefeito Cesar Maia.

Aniversário
A Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg) comemora 56 anos e empossa a nova diretoria, que tem à frente o professor Pedro Ernesto Mariano de Azevedo. Também tomaram posse os membros dos conselhos Superior e Fiscal da entidade.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui