Roleta

Menos de 5% das transações monetárias mundiais estão relacionadas ao comércio internacional de bens e serviços ligados à economia real, ficando o restante atrelado às múltiplas operações com “inovações financeiras” cada vez mais sofisticadas, surrealistas e alheias ao mundo real, informa o boletim eletrônico Resenha Estratégica. “Em 1980, a massa de instrumentos monetários e financeiros era aproximadamente equivalente ao PIB mundial, de cerca de US$ 9 trilhões. Em 2005, a proporção ativos financeiros/PIB havia subido para cerca de 3 por 1, sem contar os derivativos financeiros, cujo montante nem mesmo o Banco de Compensações Internacionais (BIS) sabe avaliar corretamente.”

Sempre criança
Com uma semana de atraso – justificável, pelo engarrafamento de atividades realizadas no Rio no último final de semana – a ONG RioVoluntário realizará uma festa em comemoração ao Dia das Crianças, no Parque do Flamengo, dia 19. A ação conta com o apoio da multinacional francesa Essilor.

No palito
Para aproveitar a temporada de verão, que para o setor de sorvetes vai de outubro a março e concentra 65% das vendas do ano, a Nestlé lança em todo o país o picolé Nescau, achocolatado líder em vendas no Brasil. O preço é de quem parte para a batalha: R$ 1.

Espiritual
O Chile lidera o ranking de prosperidade na América Latina, revelou o Índice de Prosperidade Legatum 2008. Argentina, Uruguai, Costa Rica, Brasil e México vêm a seguir. O índice define a prosperidade como uma “combinação holística de riqueza material e satisfação com a vida, medindo como as nações estão promovendo o crescimento econômico e a qualidade de vida”. A Austrália está em primeiro lugar, seguida de muito perto pela Áustria e Finlândia. Quem acredita neste tipo de levantamento pode obter mais informações em www.prosperity.com

Coisas do coração
O Hospital Pró-Cardíaco abriu as inscrições para o V Curso Teórico-Prático de Eco Color Doppler Vascular, direcionado para médicos. Com coordenação dos médicos Antônio Carlos Nogueira, Arnaldo Rabischoffsky, Luciano Belém e Salomon do Amaral, o curso será realizado de 31 de outubro a 2 de novembro, das 8h às 19h30m. A inscrição custa R$ 2 mil. Outras informações pelos telefones (21) 2131-1444 / 2131-1470 ou pelo endereço eletrônico  [email protected]

Platitudes verdes
Especialistas em análise do discurso que costumam assistir à propaganda eleitoral gratuita não têm mais dúvidas. O candidato do PV à Prefeitura do Rio, Fernando Gabeira, é imbatível em ao menos um quesito: campeão das generalidades. Noves fora o discurso neoduenista que já levou o assessor especial de Relações Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, a compará-lo a Carlos Lacerda, o verde raramente menciona alguma proposta com princípio, meio e fim. Mais, em compensação, tem uma pose…

Vazio
Aliás, a ausência de propostas da esmagadora maioria dos candidatos que passaram ao segundo turno torna os dez minutos de cada programa um verdadeiro latifúndio do nada.

Mercado futuro
Petistas resignados a votar em Eduardo Paes (PMDB) para prefeito do Rio de Janeiro buscam contornar o constrangimento racionalizando que, com Paes e o governador Sérgio Cabral (PMDB), o candidato petista a presidente em 2010 terá uma forte base eleitoral no Rio. Como dizia o antigo quadro humorístico: “Isso é muito relativo”. É bom lembrar que, até pelo DNA tucano, ambos têm muito mais afinidades com os governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas Gerais, Aécio Neves, do que com Lula. Ou seja, a decisão sobre quem vão apoiar vai depender dos números das pesquisas até lá.

Sem referência
Por falar em pesquisas, é impressionante como, a exemplo do que sucede com as desmoralizadas agências de classificação de risco, ainda haja quem leve aqueles institutos a sério.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrevisões de um “futeeconomista”
Próximo artigoPré-sal

Artigos Relacionados

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...