Ronca ronca

Cerca de 500 milhões de pessoas em todo o mundo dormem todas as noites sem ter consumido a alimentação mínima necessária para seu organismo. Além disso, dez milhões de crianças de menos de cinco anos morrem anualmente de fome ou doenças dela decorrentes. Os dados, chocantes quando lidos fora da banalização das estatísticas, consta do livro A fome, crise ou escândalo?, do professor Melhem Adas, da Unicamp: “A fome é uma vergonha para a humanidade. É um flagelo, um grande genocídio. Violenta, mutila e aniquila milhões de homens, mulheres e crianças em todo o mundo, principalmente nos países subdesenvolvidos”, denuncia o professor. Adas será um dos participantes da II Semana de Alimentação, que será aberta, na próxima segunda-feira, na Unicamp e debaterá a viabilização de ações humanitárias e emergenciais dirigidas aos milhões de brasileiros famintos.

Bom da cabeça
Satanizado pela mídia “chapa branca”, o dirigente máximo do MST, João Pedro Stédile, foi homenageado pelos psicólogos brasileiros, no encerramento da primeira mostra de psicologia realizada no Brasil e reuniu cerca de 12 mil psicólogos de todo o país. Stédile recebeu o Troféu Paulo Freire do Compromisso Social, destinado a personalidades brasileiras consideradas símbolo do compromisso social por uma sociedade mais justa. Além do líder do MST, foram agraciados como o mesmo prêmio o jornalista Luís Fernando Veríssimo, o escritor Frei Betto, o educador Mário Sergio Cortella e a psicóloga e escritora Maria Helena de Souza Pinto.

Referência
Sinal dos tempos. O tema da redação para os candidatos a uma vaga na Polícia Federal, cuja prova foi realizada este fim de semana, em São Paulo, foi “Liberdade”, tendo como fonte de inspiração artigos do ex-governador do Distrito Federal Cristovam Buarque, do PT. Não se sabe ainda o critério dos examinadores para julgar interpretações livres sobre o tema, a partir, por exemplo, do ponto de vista do juiz Nicolau dos Santos.

Chicana oficial
O número de processos examinados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) saltou de cerca de 2 mil, em 1940, para 60 mil até outubro deste ano. Os números foram apresentado pelo ministro  Sepúlveda Pertence, durante o encerramento do I Congresso de Direito e Processo do Trabalho.
Sepúlveda criticou o excesso de processos no Judiciário, citando o caso do FGTS. Ele lembrou que a Caixa Econômica Federal detém sozinha 28% dos processos, o que produz um efeito acumulativo ainda maior. O ministro defendeu que, com 3 votos vencidos no Supremo, o resultado da ação sobre correção de perdas no FGTS deveria ser estendida a todos os trabalhadores como um direito.

O autor, o autor
Além de classificar de “pequena” a diminuição da renda do brasileiro, no ano passado, o presidente FH joga a culpa do empobrecimento da população na “crise do ano passado. Como houve a crise, houve redução do PIB e, por consequência, a distribuição per capita também diminuiu”, ensinou o professor. Talvez por modéstia, não explicou que a crise se deveu à insistência de seu governo em manter o real artificialmente valorizado.

Primeiro Mundo
Freqüentadores recentes da casa do presidente do Banco Central, Armínio Fraga, no Jardim Pernambuco, no Alto Leblon, no Rio, têm saído deslumbrados com o palacete onde Fraga mora. Herança do tempo em que pertencia à familia Severiano Ribeiro, a casa tem até um cinema com 40 lugares.

Reprovado
Os números das eleições não confirmam o bom desempenho que querem atribuir ao prefeito do Rio de Janeiro, Luís Paulo Conde. Entre todos os prefeitos das capitais que tentaram reeleição, Conde colheu nas urnas o segundo pior resultado (34,69% dos votos), pouca coisa à frente de Juraci Magalhães, de Fortaleza, que teve aprovação de 33,08% dos eleitores. Na comparação com os prefeitos das principais cidades da Região Metropolitana do Rio, igualmente, Conde mostra que esteve abaixo da média. Em resumo, o espaço para a oposição à atual administração ganhar no segundo turno é enorme. Difícil mesmo é o eleitor encontrar diferenças entre o prefeito e seu adversário e mentor, César Maia.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNomenclatura
Próximo artigoElefante sujo

Artigos Relacionados

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...