Rumo ao iceberg e avante

Diante do risco de crise cambial e depressão, economista quer aprofundar o que deu errado.

Fatos e Comentários / 19:22 - 19 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Em recente artigo, o economista Affonso Celso Pastore alerta para o problema na balança de pagamentos do Brasil. Grosso modo, o balanço de pagamentos é o resultado da diferença entre as contas correntes e a conta financeira e de capitais.

Pastore mostra que o país quase sempre teve déficits nas contas correntes, que nunca deixaram de ser superados pelos ingressos de capitais – os investimentos estrangeiros diretos e em carteira (renda fixa e ações). Fortes ingressos em 2007 e 2011 possibilitaram reforçar as reservas brasileiras em moeda forte.

Nos últimos 12 meses, contudo, assistimos a um déficit nas contas correntes de US$ 50 bilhões, com um ingresso nulo na conta financeira e de capitais. Pela primeira vez, em décadas, temos um déficit no balanço de pagamentos, que nos últimos 12 meses já atingiu US$ 50 bilhões”, assinala.

O motivo? Segundo Pastore, a queda – que vem se acelerando – observada nos investimentos em carteira desde a perda do grau de investimentos do país. Também que os investimentos diretos desabem, chegando aos níveis mais baixos dos últimos 20 anos.

Para o economista, há um iceberg por perto, e o risco de colisão é alto. E o que ele propõe? Para surpresa, Pastore sugere manter o rumo. “Uma política fiscal expansionista não só piora a dinâmica da dívida pública como acentua o desequilíbrio externo”, prega. “No mercado financeiro ninguém (ainda) acredita que um ministro, que repetidas vezes tem reafirmado seu compromisso como teto de gastos, aceitaria tal mudança de rumo”, prossegue.

Se foi justamente a política fiscal restritiva, ou mais popularmente, o austericídio, que levou o Brasil às portas da crise cambial – que só está sendo adiada por conta da queda mais forte da economia – propor sua manutenção equivale a acreditar que o país, após colidir com o iceberg, não afundará porque a orquestra permanecerá tocando uma música conhecida por todos.

 

Depois da pandemia

A pandemia provocou uma queda de 50% nos atendimentos no hospital da Unimed Volta Redonda. Mesmo assim, a cooperativa optou por manter projetos, como a expansão do estabelecimento e a estruturação do centro oncológico, que representam um investimento de R$ 90 milhões. O presidente da cooperativa, Luiz Paulo Tostes Coimbra, explica que vai haver uma retomada por serviços de saúde, e a Unimed vai sair fortalecida e preparada para atender à demanda.

 

Ações emergenciais

Famílias atendidas pela Legião da Boa Vontade (LBV) recebem benefícios para diminuir os impactos da pandemia por meio de ações emergenciais pela campanha S.O.S Calamidades em todo o Brasil e no exterior. São mais de 328 toneladas de doações para 40 mil pessoas em 94 municípios.

No Rio, no Centro Educacional José de Paiva Netto, as famílias dos alunos, residentes nas comunidades próximas, foram beneficiadas com cestas de alimentos e kits de limpeza. Durante a pandemia, estão sendo realizadas aulas por meio das plataformas digitais.

 

Sessenta

A King Contabilidade, empresa localizada na Vila Laís, zona leste da Capital paulista, completa 60 anos com uma equipe de 80 funcionários. Para o presidente da King, Márcio Shimomoto, o segredo do sucesso é fruto da filosofia implantada desde o início pelo seu fundador e hoje presidente do conselho, Hatiro Shimomoto: “Não trabalhamos para ganhar dinheiro, e sim para servir e ser útil.”

 

Cenas do próximo capítulo

Aguarda-se, nos próximos capítulos, as quebras dos sigilos dos telefones de Queiroz e do capitão Adriano.

 

Rápidas

O presidente do Instituto Preservale, Nestor Rocha, é o entrevistado desta segunda, às 17h, de Viviane Fernandes. As lives do Preservale vão apresentar assuntos diversos da cadeia produtiva do Vale do Café no Instagram @niceviaapiaturismo *** Na próxima terça-feira, o CAMP Mangueira realiza live com Gilberto Porcidonio, jornalista e cientista social, no Instagram, às 18h, sobre “E se as oportunidades aparecerem hoje?” *** A publicitária Deborah Katz inicia 25 de junho as aulas de sua primeira turma de mentoria, voltada para empreendedores da área de comunicação. Os encontros serão semanais através da plataforma Zoom. Informações pelo e-mail deborah@katzcomunica.com *** Na quarta-feira, às 19h30, os ativistas sociais da A Liga farão live com a delegada e deputada estadual Martha Rocha. O encontro digital no Facebook da Liga (@aligario2020) abordará a política no Rio de Janeiro.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor