Sabor dos ventos

“Exercer a liberdade (de imprensa) requer consciência coletiva, sob pena de se manter a ditadura da opinião preconcebida, que, por ser parcial, segue ao sabor dos ventos, inclusive dos ventos preconcebidos, dos ventos dos interesses velados.”
A definição sobre o limites do exercício da liberdade de imprensa foi produzida, quinta-feira, em discurso do (ainda) presidente do Senado, Renan Calheiros, cerca de um mês depois de vituperar contra a não renovação da concessão da RCTV. Ou seja, na singular ótica de Renan sobre o papel da imprensa, esta deve ser tolerada até o limite magnânimo de apoiar golpes de Estado contra governos que não rezam pela cartilha do liberalismo, mas deve ser podada quando se trata de removê-lo da própria cadeira.

No ar
Embora o caos que tornou o espaço aéreo brasileiro uma experiência mais virtual do que efetiva tenha raízes múltiplas, chama atenção em especial o grau de omissão da Anac diante do descaso dedicado aos passageiros pelo duopólio que domina o mercado.
A tentativa de Gol e TAM de transferirem toda a responsabilidade dos longooooos atrasos dos vôos para os operadores não resiste a um olhar leigo que observe o reduzido número de aeronaves para atender a todos destinos oferecidos pelas empresas, bem como a contínua prática overbooking, como já registrado pela própria Anac. O mais grave, porém, é a total omissão de informações aos passageiros, que são deslocados de uma fila para outra sem a menor perspectiva sobre a decolagem de seus vôos.
A não-ação da Anac reforça a  crescente percepção de que é muito mais uma representante do sindicato das empresas do que dos interesses dos passageiros

Mais Estado
Beiram no mínimo ao cinismo as críticas que colunistas pró-mercado expostos ao caos aéreo fazem ao resultados das políticas de desmonte do Estado, como se não fossem consequências óbvias do modelo que tanto os entusiasma. Algo como se Bush fundasse uma ONG filantrópica para ajudar as vítimas do Iraque e chorasse todas noites com os relatos sobre os efeitos dos bombardeios ordenados por seu governo.

Refugiados
O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) no Brasil encerra, na Vila Olímpica da Mangueira, a programação do Dia Mundial do Refugiado, neste domingo, no Rio de Janeiro, com o 1º Torneio Integração de Futebol e a 3ª Feira de Saúde. Promovido em parceria com a Cáritas Arquidiocesana do Rio e o Programa Social da Mangueira, o evento celebra a integração dos refugiados com a comunidade local.

Simbiose
A estranha relação entre a Ampla, distribuidora de energia de parte do Estado do Rio de Janeiro, e a Aneel foi criticada pelo deputado estadual fluminense Paulo Ramos (PDT). “O que parece é que a Aneel, que deveria estar em defesa dos consumidores, está subordinada à Ampla, esquecendo de seus verdadeiros deveres”, declarou o parlamentar. Segundo ele, a agência reguladora autorizou a distribuidora a continuar utilizando medidores de consumo eletrônicos mesmo após saber que laudo do Inmetro constatou que os equipamentos instalados pela Ampla apresentavam problemas.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPromessa é dívida
Próximo artigoProblema doméstico

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

AstraZeneca continuará a aumentar o investimento na China

AstraZeneca, a gigante farmacêutica britânica, está otimista sobre as perspectivas econômicas e o crescimento do setor de saúde chinês, e continuará a aumentar seu investimento na China, disse Leon Wang, vice-presidente executivo da AstraZeneca, informou o Chinanews.com nesta quarta-feira.

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.