Salário médio de homem branco supera em até 159% o de mulher negra

Estudo de pesquisadores do Insper mostra as desigualdades associadas a gênero, cor e tipo de instituição de ensino no Brasil.

Conjuntura / 21:27 - 15 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No Brasil, um homem branco que cursou o ensino superior em uma instituição pública ganha, em média, R$ 7.892. Já uma mulher negra formada no mesmo tipo de faculdade recebe, em média, R$ 3.047. Trata-se de uma diferença de 159%, a maior constatada por pesquisadores do Insper que analisaram as disparidades salariais no país associadas ao tipo de instituição em que se concluiu os ensinos médio e superior.

A segunda maior, de 128%, foi verificada entre o salário de homens brancos e o de mulheres negras que estudaram em instituições privadas no ensino superior. Eles embolsam, em média, R$ 6.627, enquanto elas, R$ 2.903.

A diferença persiste mesmo quando os pesquisadores olharam os dados para cada ocupação. No caso de médicos formados em instituições públicas, ela chega a 136%, com o salário médio de homens brancos em R$ 15.056 e o de mulheres negras em R$ 6.370.

Feito por Beatriz Caroline Ribeiro, Bruno Kawaoka Komatsu e Naercio Menezes Filho , o estudo "Diferenciais Salariais por Raça e Gênero para Formados em Escolas Públicas ou Privadas" foi publicado em julho deste ano.

Em todos os cenários analisados, homens brancos têm o maior salário médio e, na outra ponta, mulheres pretas e pardas, o menor.

Em relação aos indivíduos que cursaram ao menos o ensino médio, a maior diferença salarial, de 105%, ocorre entre homens brancos e mulheres negras que se formaram em escolas privadas. O salário médio deles é de R$ 3.672 e o delas, de R$ 1.792.

A pesquisa, cuja íntegra pode ser acessada aqui , foi feita com base nos dados dos suplementos educacionais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do IBGE, de 2006 a 2018. As informações se referem a pessoas de 25 a 59 anos.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor