Saraiva não vai mais investir em megastores

271
Livros (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Livros (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

Nos últimos quatro anos, a Saraiva enfrentou um cenário desafiador, com o fechamento de dezenas de livrarias em todo o Brasil. Mas agora, na fase final de uma recuperação judicial, a varejista enxerga a oportunidade de retomar a expansão de sua rede de livrarias. A expectativa é abrir 10 unidades até o fim de 2023. As informações são do Jornal Giro News.

“A primeira loja foi inaugurada em novembro, em São Paulo, no Shopping Aricanduva, com 190m² e leiaute moderno, com um mix de produtos que abrange literatura nacional e estrangeira, papelaria, uma seção dedicada ao público geek e uma área especial dedicada às crianças”, afirma Marcos Guedes, CEO da Saraiva, com exclusividade ao Jornal Giro News. As novas lojas serão em tamanhos menores, de até 400 m².

“Nosso objetivo não é investir mais em megastore. Queremos ampliar nossa capilaridade pelo Brasil com lojas menores”, completa.

O 11º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2022, pesquisa realizada pela Nielsen Book do Brasil e divulgada pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), mostra que no acumulado de 4 de janeiro a 7 de novembro de 2021 comparado com o período de 3 de janeiro a 6 de novembro de 2022 foram vendidos 47,65 milhões livros em 2022, com uma arrecadação de R$ 2,06 bilhões, valores superiores em relação ao ano anterior em 4,06% e 8,59%, respectivamente. Em 2021, o mercado editorial já celebrava uma performance que era superior ao ano inteiro de 2020.

Espaço Publicitáriocnseg

O 11º período que antecedeu a Black Friday (de 11 de outubro a 7 de novembro de 2021 ante de 10 de outubro a 6 de novembro de 2022) registrou um bom resultado em faturamento. Houve um aumento de 6,44% e a soma total das vendas chegou a R$ 162,32 milhões contra R$ 152,5 milhões alcançados em 2021. A quantidade de livros comercializados no mais novo período analisado mostra que em 2022 houve resultados próximos em relação a 2021, sendo 3,75 milhões contra 3,74 milhões, alcançando uma variação positiva de 0,21%.

Outro fator a ser notado é o número de ISBNs (International Standard Book Number) nesse 11º período.

Os números têm como base o resultado da Nielsen Bookscan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

 

Com informações do Jornal Giro News.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui