Se ele pode…

     
          Não foi apenas o próprio pescoço que o ex-ministro Antonio Palocci salvou ao sair ileso do episódio sobre o seu enriquecimento exponencial em quatro anos. Pelo menos um sacoleiro acusado de contrabando de mercadorias socorreu-se de Palocci para se safar da Justiça. em processo por crime de descaminho.
Em audiência na 7ª Vara Federal Criminal de São Paulo, no último dia 7 – quando Palocci ainda estava ministro – um réu, duramente denunciado pelo representante do Ministério Público por importação irregular de muambas no valor de cerca de R$ 12 mil, saiu-se com essa, para sustentar que era injustiçado: “Pois o Palocci fez coisa bem pior e teve suas vultosas consultorias arquivadas pelo procurador-geral da República”, argumentou.

“Brindeirou”
A alegação causou um silêncio ensurdecedor na sala de audiências, quebrado apenas pela réplica, entre a ironia e o constrangimento, do representante do MPF, o qual informou que na Intranet da Procuradoria eram inúmeros os comentários insistindo em que “o Gurgel (Roberto, procurador-geral da República, que pediu a extinção da ação contra Palocci) brindeirou geral (numa referência a Geraldo Brindeiro, o procurador-geral da República do interminável Governo FH, conhecido pelo revelador epíteto de “engavetador geral da República).
Depois dessas considerações, o membro do MPF pediu a absolvição do muambeiro, tendo seu pedido acolhido pelo juiz.

Moto-serra
Levantamento feito pela Comissão do Verde e Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Paulo revela que, nos primeiros quatro meses deste ano, foram cortadas 12.187 árvores na cidade. A área equivale a 80% do tamanho do Parque do Ibirapuera e cedeu espaço para prédios, conjuntos habitacionais e obras de infra-estrutura.

Exército privado
Cerca de 20 mil armas estão nas mãos dos vigilantes das empresas de segurança privada no Estado do Rio. A informação é do superintendente regional da Polícia Federal, Valmir Lemos de Oliveira, durante depoimento na CPI da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) que investiga o tráfico de armas. O policial admitiu que o efetivo de 1.300 homens da PF no estado é pequeno para vistoriar as 256 firmas de segurança privada cadastradas na corporação, que, hoje, somam 240 mil profissionais.

Futuro do plástico
Competitividade: O Futuro Perfil da Transformação Brasileira de Plástico é o tema de seminário que a Abiplast realiza nesta quinta-feira, em São Paulo. No evento, haverá discussões a respeito do mercado interno e do internacional. Mais informações: www.plasticosemrevista.com.br

Parcerias
No próximo dia 21, o professor de Turismo Bayard Boiteux embarca para os Estados Unidos para conhecer novos modelos de gestão acadêmica e buscar parcerias internacionais em três instituições em Baltimore e Charlotte. Na pauta, ainda, palestra na George Washington University.

Chororô
Tem nome e sobrenome o direito que concerne ao Governo Berlusconi de recorrer à Corte de Haia contra a decisão, soberana, do Brasil de conceder asilo político a Cesare Battisti:  jus esperneandis. Emblematicamente, a negativa da Itália de extradição de Salvatore Cacciola para o Brasil não provocou a mesma comoção nas lides políticas conservadoras da península nem nos colonizados reverberadores tupiniquins. Pelo visto, punição a colarinho branco tem pouco ibope em ambas as elites.

Incêndio
A dura derrota sofrida pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), na sua opção pela truculência no enfrentamento com os bombeiros não se esgota no episódio, com a soltura dos 439 detidos e a melhora na sovina proposta salarial para a categoria. Também representa um jato de água fria na política de superávit primário (desvio de recursos para gastança com juros), da qual Cabral é fiel seguidor. O temor de que o movimento dos bombeiros se espraie por outros estados, carregando consigo reivindicações de vários setores do funcionalismo, confirma o quão tensa e instável é esse tipo de opção, de resto compartilhada pela esmagadora maioria dos governadores.
     
     

Artigo anteriorRio é vermelho
Próximo artigoVale tudo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Empresa pode dar justa causa a quem não se vacinar?

Advogado afirma que companhias são responsáveis pela saúde no ambiente de trabalho.

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

A cabeça do dragão

Por Gustavo Miotti.

Portugueses pedem extensão das moratórias bancárias

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) está pleiteando a prorrogação das moratórias bancárias até 31 de março de 2022”. O...

China libera reservas de metais não ferrosos para reduzir custos

A China disse que continuará a liberar suas reservas estatais de cobre, alumínio e zinco para garantir preços estáveis para as commodities e aliviar...