SEG - Centro-Oeste concentra 4,5% das startups de seguro do país

Levantamento mostrou que, por divisão geográfica, o Sudeste lidera o ranking de insurtechs englobando 74,3%.

Seguros / 16:59 - 12 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Levantamento feito pela KPMG em parceria com a Distrito apontou que o Centro-Oeste concentra cinco startups ligadas ao setor de seguros (InsurTechs), localizadas no Distrito Federal e em Goiás, ou seja, cerca de 4,5% do total. Trata-se da terceira região do país com mais empresas desse tipo no país. Segundo o relatório, o Brasil tem atualmente 113 insurtechs, o que representa um aumento de 47% nos últimos três anos.

De acordo com a pesquisa, o Distrito Federal engloba três startups de seguros: uma de infraestrutura e backend (processo interno); uma de marketplace (mercado de comércio eletrônico) e uma de que oferece produto e distribuição de seguros. Já o estado de Goiás possui duas empresas deste tipo, sendo que um com foco em infraestrutura e backend e a outra em serviços adicionais.

O levantamento mostrou que, pela divisão geográfica, o Sudeste lidera o ranking de insurtechs englobando 74,3%, seguido pelo Sul com 17,7%; Centro-Oeste, 4,4%; Nordeste, 2,7%; e Norte, 0,9%.

"Os dados da pesquisa apontaram que o mercado de tecnologia em seguros ainda está em fase inicial na região e que está concentrado nos grandes centros urbanos. Apesar de não ser um setor de referência no Centro-Oeste, trata-se de um mercado em expansão e com perspectivas de crescimento a curto prazo", analisa o sócio da KPMG, Ray Souza.

.

Saúde suplementar começa o ano com novas contratações

O Brasil inicia 2020 com aumento na contratação de planos médico-hospitalares. O total de planos de saúde deste tipo cresceu moderadamente (0,05%) na comparação entre janeiro de 2020 e o mesmo mês do ano anterior, gerando 23,5 mil novos vínculos. Os números integram a Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), do Instituto de Estudos de Saúde suplementar (Iess), publicada na última segunda-feira. No total, há 47,03 milhões de beneficiários no Brasil.

"Apesar de modesta, a alta é um bom indicativo para o setor", opina José Cechin, superintendente-executivo do Iess. "Se os números de empregos formais e o PIB crescerem conforme as expectativas do mercado, será possível que o país veja o início de um processo de retomada do número de beneficiários da saúde suplementar, que passou pelo rompimento de mais de 3 milhões de vínculos entre 2014 e 2017", analisa.

O executivo destaca que o avanço de 0,05% é tímido frente ao crescimento do emprego formal com carteira assinada que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi de 2,6% em 2019. Os planos empresariais cresceram 0,13%, o que também é muito modesto frente ao crescimento do emprego formal. A explicação, segundo o executivo, está no fato de o avanço do emprego com carteira assinada ter sido mais pronunciado nos setores não industriais, que normalmente têm uma adesão a planos corporativos mais baixa do que em outros setores econômicos. De fato, enquanto a indústria registrou 29,8 mil novos postos de trabalho formais, os outros setores abriram 614,3 mil.

Mesmo com o resultado positivo, apenas 13 das 27 unidades da Federação tiveram aumento de vínculos nos 12 meses encerrados em janeiro. Entre eles, os maiores avanços foram registrados no Sudeste do país. Minas Gerais passou a atender 46,7 mil novos vínculos, alta de 0,9%; No Rio de Janeiro, foram 27,9 mil novos vínculos (+0,5%) e no Espírito Santo, 22,5 mil (+2,1%). Por outro lado, São Paulo foi o Estado em que mais pessoas deixaram de contar com os planos médico-hospitalares: 45,7 mil vínculos foram rompidos no período, uma retração de 0,3%.

O resultado paulista reforça a percepção de que o desempenho do mercado de trabalho formal é fundamental para a recuperação do total de vínculo com planos médico-hospitalares no país. "Do total de 17,1 milhões de beneficiários em São Paulo, 12 milhões são coletivos empresariais", comenta Cechin. "Podemos, claramente, relacionar o desempenho negativo constatado pela NAB nesta unidade da Federação ao aumento da informalidade no mercado de trabalho paulista constatado pelo IBGE desde 2016 e que, atualmente, está em 32%", completa.

Fora do Sudeste, os estados que apresentaram os melhores resultados foram: Goiás, no Centro-Oeste, com 21,7 mil novos beneficiários (+1,9%); Bahia, no Nordeste, com 15,7 mil vínculos firmados (+1%); Amazonas, no Norte, com 15,1 mil novas contratações (+3%); e Paraná, onde 9,7 mil pessoas passaram a ser atendidas por planos médico-hospitalares (+0,3%).

De acordo com a atualização, há 25,9 milhões de vínculos deste tipo no Brasil. O número representa um avanço de 6,5% nos 12 meses encerrados em janeiro ou 1,6 milhão de novos beneficiários.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

'Corretor de seguros é fundamental', afirma o novo presidente do Sindseg-SP

Recém-empossado no cargo de presidente do Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros de São Paulo (Sindseg-SP), Rivaldo Leite foi recebido pela diretoria e associados do Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP) no almoço realizado no dia 10 de março, no Circolo Italiano. Na ocasião, ele falou de suas novas responsabilidades, do momento turbulento na economia e no seguro e da atual fase de transformações na corretagem de seguros.

Com 40 anos de atuação no mercado segurador, Rivaldo Leite construiu sólida parceria com os corretores de seguros, que, agora, na condição de representante das seguradoras em São Paulo, faz questão de reforçar. "Sempre considerei o papel do corretor de seguros fundamental e toda a diretoria do Sindseg-SP não tem dúvida disso", afirmou. Ele ressaltou que não apenas no Brasil, mas em todo o mundo, os corretores exercem forte papel na distribuição de seguros.

O presidente do Sindseg-SP citou um estudo que comparou o custo médio de comissionamento de corretagem no mundo, concluindo que o Brasil está no mesmo patamar de outros países. Ele reconhece que a categoria tem enfrentado desafios, mas acredita na força de mobilização dos corretores, como ocorreu, por exemplo, na volta da regulamentação da profissão. "Graças à força-tarefa liderada pela Fenacor, Sincor-SP e CNseg, o texto da MP 905 poderá sofrer modificações".

Para Rivaldo Leite, algumas mudanças propostas pelo órgão regulador do setor são bem-vindas, como, por exemplo, na área de certificação técnica. "Durante anos, quase nada mudou na formação do corretor, e, agora, temos a oportunidade de melhorá-la", disse. Ele também acha salutar a concorrência na oferta de capacitação profissional. "A certificação é um bom caminho para promover mudanças", disse.

Além de manifestar a satisfação por ocupar a Presidência do Sindseg-SP, o novo presidente admitiu que está ciente do grande desafio. "A agenda do Sindseg-SP representa um enorme compromisso. Sei que vivemos um momento complicado na economia, mas sei que não estarei sozinho", disse ele, referindo-se à sua diretoria. Rivaldo Leite considera que na atual gestão o sindicato entrará em nova fase, com novos desafios.

Ele elencou os diversos projetos do Sindseg-SP, que está prestes a completar 80 anos de existência, garantindo que todos serão mantidos. Dentre eles, citou os projetos Mobilidade Urbana, Cultura do Seguro, relações com o poder público, comissão intersindical, além das parcerias com o Procon, Secretaria da Educação e Observatório Nacional. "Vamos mantê-las e buscar oportunidades em prol do mercado", disse.

Em relação ao momento econômico, o dirigente reconheceu que está complicado, sobretudo pelas consequências globais do coronavírus, como a queda na Bolsa de Valores e nos preços do petróleo. E, apesar dos impactos no seguro, considera que a situação deva melhorar e que o setor continue crescendo acima do PIB, como já vinha ocorrendo. "O mercado passa por turbulências, mas vamos superar. O importante é estarmos unidos", disse.

Rivaldo Leite encerrou sua apresentação com uma orientação aos corretores: "Não sejam dependentes do seguro auto; o prêmio está despencando e as margens estão apertadas. A dependência será mortal para o corretor de seguros. Por isso, ofereçam outros produtos aos seus clientes. Contamos com vocês para consolidar o mercado de seguros, não desistam nunca".

O mentor do CCS-SP, Evaldir Barboza de Paula, elogiou a participação do presidente do Sindseg-SP no evento e aproveitou para exortar a união das entidades do setor de seguros. "Temos várias lideranças dentre os associados do CCS-SP e devemos pensar no que é comum para o corretor de seguros. São Paulo tem grande representatividade no seguro, precisamos nos unir", disse.

.

Jantar dos Pedrinhas Em 9 de março, a Confraria dos Pedrinhas realizou o primeiro encontro do ano. O jantar, na Casa do Marquês, contou com a palestra do presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), Ricardo Pansera, que apresentou três tópicos: a história da entidade e suas realizações; os reflexos da MP 905/19 e; as perspectivas para o mercado segurador gaúcho.

O evento contou também com a representação do Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg-RS), através do presidente Guilherme Bini; e do Sincor-RS, com o vice-presidente André Thozeski e a diretora Genesi Cassol.

.

SEGURO CIDADÃO

Equidade, diversidade e respeito Como uma empresa especialista em pessoas, a Capemisa Seguradora criou uma agenda provocativa em comemoração ao Dia da Mulher. A Companhia que tem as mulheres como maioria em seu time de colaboradores, ocupando cargos diversos, de gestão e até no board (há duas conselheiras em um grupo de cinco) - promoveu rodas de conversa sobre as relações saudáveis, respeito, gênero e equidade. Plateia cheia para ouvir mulheres inspiradoras, que puderam falar sobre liderança inclusiva, empatia, empreendedorismo. Mas a iniciativa deste ano também envolveu os homens.

"Entendemos que era importante chamar os homens porque esse, na verdade, é um assunto de todos", diz Patrícia Pacheco, gerente de RH da companhia. "Este ano, convidamos nossos colaboradores para refletir sobre comportamentos e sociedade", conta ela, que trouxe o Memoh, grupo que propõe aos homens uma reflexão sobre seu modo de agir, consigo, com o outro e com a sociedade de uma maneira geral.

"Os homens devem ser aliados nesse processo de equidade para as mulheres", afirma o publicitário Pedro Figueiredo, criador do Memoh.

Para falar às lideranças, a companhia recebeu Thalita Gelenske, que atua na área de gestão da diversidade e cultura organizacional com sua startup Blend Edu, que desenvolve experiências educacionais para promover empatia, diversidade e inclusão nas empresas. Mestre, especialista em Liderança, Inovação e Gestão 3.0, Thalita foi selecionada para a lista Forbes Under 30 e também pelo Fórum Econômico Mundial para representar a juventude brasileira durante o Encontro Anual, em Davos, em 2019. Ela trouxe provocações para os gestores, inclusive as lideranças das 29 sucursais.

O terceiro encontro aconteceu nesta segunda-feira, dia 9 de março. A palestrante foi uma ex-executiva de multinacional desligada da empresa um mês antes de completar 50 anos. Patricia Braga havia cursado faculdade de Letras, falava três línguas e sofria da síndrome de Burnout, esgotamento físico e mental causado pelo excesso de estresse, porque acreditava que sucesso era ter dinheiro e prazer era para as horas vagas, como um hobby. Ela conta que precisou se reinventar e descobrir outros prazeres. Há quatro anos, Patricia equipou uma bicicleta e atualmente vende artesanato e pão de mel - ela se diz feliz e cheia de disposição - pelas ruas na Zona Sul do Rio.

Para a analista de treinamento comercial Bianca Nascimento, de 33 anos, as atividades de reflexão motivam para um olhar sobre seus próprios comportamentos e contribuem para a construção de uma sociedade melhor. Há 10 anos na companhia, ela assistiu a duas palestras e aprovou a tônica diferente das comemorações pela Semana da Mulher.

"São ações que ajudam a desconstruir padrões e comportamentos que a gente mesmo acaba reproduzindo. A primeira palestra que assisti, a do Memoh, provocou a discussão sobre como os homens podem e devem se responsabilizar por essa mudança de cultura. A segunda palestra, da Patricia, fala sobre coragem e autoconhecimento, uma busca pela felicidade, prazer e liberdade. Eu gostei muito", avalia.

.

ENDOSSANDO

Novo sistema de gestão Acompanhando a constante evolução do segmento odontológico, a Porto Seguro decidiu investir em um sistema de gestão específico para o produto. As mudanças previstas, e que já estão em fase de homologação, afetarão positivamente os processos que envolvem corretores, dentistas, empresas-clientes e segurados.

Sandra Ossent, gerente do Porto Seguro Odontológico, destaca que a melhoria no sistema deve ter impacto imediato no produto. "Essa mudança vem concretizar nossa busca por melhoria de processos e inovações que facilitem e otimizem o dia a dia de clientes, corretores e prestadores. A novidade, além de agilizar os processos, proporcionará uma melhor experiência dos usuários dos nossos portais. Tudo, será muito intuitivo", ressaltou.

Entre as mudanças, os corretores terão a oportunidade de gerar orçamentos em apenas três etapas, além de realizar a transmissão eletrônica simplificada por meio de arquivos de implantação personalizados por empresa e envio de carteirinha e boleto digital para seus clientes. Segundo André Lopes, gerente comercial do produto, "o novo sistema de gestão odontológico tornará o processo muito mais simples e altamente tecnológico".

.

Semana do Consumidor O Clube de Vantagens Bradesco Seguros, plataforma que oferece ao segurado descontos especiais em diversos produtos e serviços anuncia a sua participação na Semana do Consumidor 2020. O Grupo Segurador preparou ofertas variadas, com condições especiais até 15 de março (Dia do Consumidor).

A Semana do Consumidor tornou-se conhecida por reunir as melhores ofertas do primeiro semestre. O Clube de Vantagens e as empresas parceiras oferecem oportunidades imperdíveis para que os consumidores economizem e encontrem muitos benefícios durante toda a semana.

Para usufruir dos descontos atrativos nos mais de 500 mil produtos e serviços, basta se cadastrar no site Clube de Vantagens e ser cliente da Bradesco Seguros nos grupos de Previdência, Vida, Residencial, Saúde, Dental, Capitalização ou Cartão de Crédito da seguradora. O Clube também pode ser acessado via smartphone, por meio do aplicativo da Bradesco Seguros.

.

Remoção de máquinas agrícolas A Mapfre é a única seguradora no Brasil que oferece o serviço de remoção dos maquinários agrícolas em situação de perda total nas propriedades rurais de seus clientes. A novidade é similar à logística praticada no segmento de automóveis.

Os equipamentos utilizados no campo - colheitadeiras, tratores, plataformas de corte, pulverizadores, retroescavadeiras, entre outros - são grandes, pesados e circulam por terrenos de difícil acesso. Por isso, muitas vezes, acabam permanecendo no local onde apresentaram a pane, expondo a propriedade a possíveis invasões para furtos de peças, bem como, contaminação do solo pelos fluídos presentes nas máquinas.

"As dificuldades e custos para retirada do equipamento, que podem chegar a R$ 22mil, são decorrentes uma logística complexa e, muitas vezes, se tornam mais um problema ao segurado. O projeto é uma solução sustentável e prática para o segurado", avalia a diretora de Seguros Gerais da Mapfre, Patricia Siequerolli.

A remoção pode envolver uma equipe de até 12 profissionais de diversas áreas, desde o perito para avaliação da máquina sinistrada a engenheiros que verificam as condições do solo e quais veículos serão necessários para execução do serviço. "Esses equipamentos superaquecem, atolam ou tombam no meio da lavoura, exigindo procedimentos de desmontagem e içamento, por exemplo. Além dos cuidados com a segurança para o embarque, transporte e desembarque", explica o diretor técnico de Sinistros da Mapfre, Daniel Landwehrkamp.

O serviço está disponível em todos os estados, para apólices que englobam a proteção desses equipamentos. Os maquinários são levados ao pátio exclusivo da Mapfre para este fim, localizado em Barretos, no interior de São Paulo. No local, as peças passam por avaliações e são classificadas em lotes para serem arrematadas em leilões públicos. "A procura pelos itens leiloados tem sido acima do esperado. A Mapfre acredita neste modelo de operação, que alia sustentabilidade e inovação na prestação de serviços, sobretudo numa das carteiras em que a companhia é líder no mercado", conclui Patricia.

.

Novo anexo - A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo está inaugurando o Novo Anexo da Unidade Pompeia. A obra, instalada em frente à Unidade Pompeia, possui área total de 22.848 m² e 10 andares. Um espaço projetado com o objetivo de ampliar e qualificar o atendimento às demandas da região, oferecendo uma estrutura diferenciada com foco nas especialidades clínicas da Rede, como cardiologia e oncologia; e especialidades cirúrgicas de baixa, média e alta complexidade, como Ortopedia e Neurologia.

A obra contempla a sustentabilidade com o uso de painéis solares, parede e coberturas verdes, além de fachadas unitizadas. A interligação com a Unidade é feita por meio de duas passarelas, no primeiro e no sexto andar; e um túnel, no terceiro subsolo, unindo as áreas de apoio e o estacionamento.

A expansão viabilizou também a implantação de novos projetos. Agora, o local conta com centros exclusivos de Obesidade, Centro de Reabilitação voltado para Prevenção e Promoção à Saúde, Linhas de Cuidado da Doença Inflamatória Intestinal e de Ortopedia (quadril, joelho, ombro e cotovelo), além de áreas destinadas à Saúde da Mulher e do Homem, Centro de Feridas e de Cardiologia.

Para a realização deste projeto, além de equipamentos de última geração, o Hospital São Camilo investiu fortemente em capital humano, reforçando sua equipe de colaboradores e ampliando o corpo clínico para oferecer aos pacientes um atendimento qualificado.

Para Carlos Eduardo Lodovici Tavolari, diretor de Relacionamento com o Mercado da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, a realização do Novo Anexo é fruto do compromisso social da Instituição com a comunidade.

"Todo o trabalho que desenvolvemos aqui é embasado nos valores camilianos, que priorizam a qualidade assistencial, sempre mantendo o paciente no centro do processo", comenta.

Ao todo, o complexo hospitalar São Camilo Pompeia passa para aproximadamente 70 mil m² de área, com 448 apartamentos e 51 consultórios.

.

Eleito um dos melhores hospitais do mundo Pela primeira vez, o Hospital Israelita Albert Einstein foi eleito pela revista americana Newsweek como um dos melhores hospitais do mundo. Em uma pesquisa feita em 21 países, foi o único da América Latina a ser mencionado.

O ranking "Os melhores hospitais do mundo", feito em parceria com a Statista Inc., empresa global de pesquisa de mercado e dados de consumidores, foi baseado em recomendações de profissionais de saúde, resultados de pesquisas com pacientes e indicadores-chave de desempenho médico em quatro continentes.

Esta é a segunda vez que o ranking é formulado. Os países participantes foram selecionados principalmente com base no padrão socioeconômico e expectativa de vida, tamanho da população, número de hospitais e disponibilidade de dados.

O hospital foi ranqueado em 38o lugar em uma lista que incluiu 50 estabelecimentos hospitalares. "Cada paciente, colaborador, voluntários dedicados, médicos de nosso corpo clínico e aqueles que participaram de forma fundamental em nossa história nos ajudaram a conquistar este reconhecimento internacional", afirma Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. "Temos muito orgulho de fazer parte da história de uma organização que nasceu de um sonho da comunidade judaica e que impacta positivamente não só a vida de milhares de pacientes, mas também todo o sistema de saúde brasileiro."

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor