27.3 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

SEG NOTÍCIAS

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

 

O tradicional e centenário MONITOR MERCANTIL, jornal de economia com cobertura crítica e independente, de política, reinventa sua frente digital.

De relevante circulação impressa no Rio, SP e DF, seus destaques podem ser conferidos desde 2 de janeiro em https://twitter.com/sigaomonitor

 

 

Os planos médico-hospitalares encerram 2018 com 47,4 milhões de beneficiários, alta de 0,4% em relação ao ano anterior. Segundo o IESS, no total, foram firmados 200,2 mil novos vínculos de janeiro a dezembro de acordo com a Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do IESS, destaca que mesmo após a revisão periódica que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) realiza, é provável que o setor tenha registrado uma alta real no número de vínculos entre 2017 e 2018. Apesar de o crescimento de 0,4% ser modesto, mesmo após a revisão que deve acontecer em alguns meses, é provável que o resultado se mantenha positivo. O que significa que o setor voltou a encerrar um ano com aumento de beneficiários, o que não acontecia desde 2014, comemora.

O movimento foi impulsionado pelo resultado do setor no Centro-Oeste do País, onde foram registrados 111,8 mil novos vínculos ao longo de 2018. Com o avanço de 3,6%, a região passa a atender 3,2 milhões de beneficiários. Dos novos vínculos, 49,9 mil concentram-se no Distrito Federal, que encerrou dezembro com 917,8 mil pessoas assistidas por planos médico-hospitalares, 5,8% a mais do que no período anterior.

Outro destaque é o Nordeste. 82,8 mil novos vínculos foram firmados na região que conta com 6,6 milhões de beneficiários. Avanço de 1,3%. Apesar de o Sudeste ter registrado 0,1% mais vínculos em dezembro de 2018 do que no mesmo mês de 2017, a revisão futura da ANS ainda pode indicar que não houve um aumento real no número de beneficiários, mas redução. Carneiro aponta que, ainda assim, o resultado é positivo na comparação com os anos anteriores. “É importante notar que São Paulo, o maior mercado de planos de saúde do país, fechou o ano com impulso de 0,3% no total de vínculos médico-hospitalares ou 58,3 mil novos vínculos, argumenta. O Estado representa mais de um terço (36,3%) do total do mercado nacional. Com esse tamanho, é natural que qualquer processo de retomada seja mais lento. Mas, uma vez engatada, a tendência é que a saúde suplementar volte a apresentar resultados positivos, completa.

O executivo, entretanto, ressalva que o processo de recuperação de beneficiários está atrelado ao desenvolvimento econômico e a geração de empregos formais, especialmente nos setores de comércio e serviço dos grandes centros urbanos. Esperamos ter indicadores econômicos positivos, mas se isso não acontecer o setor pode permanecer estagnado por mais um tempo, alerta.

 

Cadastro para aluguel online – Para agilizar o processo de seguro fiança, a Porto Seguro passa a ter a análise cadastral 100% online para imóveis residenciais. Com o novo modelo, nossa expectativa é que os corretores, que realizaram uma média 180 mil cotações em 2018, dobrem o número de orçamentos do seguro aluguel residencial este ano, diz Luiz Henrique, superintendente de Riscos Financeiros da Porto Seguro.

A partir de agora, o corretor, que levava até três horas para saber se o cliente foi aprovado, tem esse retorno instantaneamente. Para isso, basta fornecer algumas informações a apresentação de documentos não é mais necessária, o que não só agiliza como desburocratiza o processo.

Com as mudanças, já disponíveis no Portal do Corretor de seguros, buscamos oferecer vantagens a todos os envolvidos na locação. O proprietário e a imobiliária ganham agilidade, o corretor tem mais tempo para fechar novos negócios, e os inquilinos se interessam em adquirir um seguro fiança em vez de recorrer ao fiador, uma vez que o processo está muito mais ágil, explica Luiz Henrique.

 

Oportunidade de franquia do modelo de negócio – Em seu plano de expansão 2.0, a Regula Sinistros, empresa que oferece inovador serviço de atendimento de sinistros a corretoras de seguros, inaugura a Regula Franchising, abrindo oportunidade de negócios a investidores e possibilitando atender mais corretores de seguros de todo o Brasil. A Regula Franchising conta com o suporte da Franquear, empresa especialista em formatação, expansão e gestão de negócios do franchising.

Com pouco mais de um ano de atuação, a Regula Sinistros já atende corretoras e rede de corretoras de seguros de todo o Brasil, mas, segundo o CEO Daniel Bortoletto, a ideia surgiu porque o modelo de negócios tem despertado interesse de muitos parceiros investidores, e a criação das franquias irá facilitar a distribuição do serviço e o atendimento aos corretores de seguros.

O plano de expansão prevê a formação de unidades regionais que irão atender grupos de franqueados por localidades. As unidades irão atuar com treinamento e suporte comercial, fornecimento de material de divulgação, implementação de vendas, geração de leads (indicações) para os franqueados, gestão administrativa de comissões e premiações, geração de novos produtos para agregar na rede, divulgação e fortalecimento marca, e desenvolvimento com entidades da classe.

A meta da Regula Franchising é alcançar, em dois anos, 200 contratos para franqueados, afirma Daniel Bortoletto. A atuação dos fraqueados envolve prospectar os corretores de sua localidade, realizar treinamento comercial, seguir as diretrizes da unidade franqueadora e da máster, atender os leads gerados pela máster, atuar na divulgação e fortalecimento da marca, promover o desenvolvimento com entidades de classe dos corretores de seguros.

Como todo processo de franquia, o credenciamento para participar da Regula Franchising é submetido a análise de regiões disponíveis, seguindo estudo de potencial de negócios por localidades de todo o Brasil, e observando onde ainda não há um ponto da Regula em atuação.

 

Seguros voltados à educação protegem alunos, famílias e instituições de ensino – Garantir a continuidade e a qualidade dos estudos é uma preocupação compartilhada entre alunos, famílias, instituições de ensino e com o mercado de seguros. Para proteger todas as fases da vida escolar e garantir o funcionamento adequado das empresas de educação, a MAapfre oferece soluções para instituições, que vão do suporte no pagamento de mensalidades quando existe o risco de inadimplência à cobertura de danos patrimoniais que a escola possa correr.

Há dois produtos disponíveis para às instituições particulares de ensino de todos os níveis, abrangendo também as de cursos profissionalizantes e de idiomas, com benefícios que refletem no bem-estar de alunos e seus responsáveis financeiros, bem como de funcionários das empresas seguradas.

A adesão ao seguro educacional vai além da proteção às próprias instituições e se torna um diferencial que oferece segurança e qualidade de vida ao consumidor final, define o diretor de Vida, Saúde e Previdência da Mapfre, André Serebrinic. A principal vantagem da Proteção Educacional Multiflex é a cobertura de despesas dos inadimplentes quando há redução da renda familiar, seja por desemprego, invalidez ou morte. Enquanto as contas da escola seguem saudáveis e com direito a serviços como reparos de manutenções prediais, o aluno e seus responsáveis financeiros contam com acompanhamento exclusivo para recolocação no mercado de trabalho, quando o impacto no orçamento doméstico é causado pela falta de trabalho, por exemplo.

Já a Proteção Escolar Multiflex resguarda a integridade física e psicológica de alunos, professores e funcionários. A garantia vai do socorro a pequenos acidentes, com interface com planos de saúde, acesso a clínicas odontológicas e professores particulares, caso o estudante precise se afastar por um período maior, chegando à preocupação com o bullying, dando à vítima o direito a sessões de terapia e demais acompanhamentos que sejam necessários.

 

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Workshop discutirá como adequar os produtos de seguro de vida à nova geração – O mercado de seguro de pessoas está diante de uma nova geração de consumidores mais preocupada com prevenção e qualidade de vida, que privilegia os canais digitais e está disposta a investir em produtos que tragam experiências inéditas. Como atender às demandas de proteção dessa nova geração é o enfoque principal do Workshop O cenário atual no desenvolvimento de produtos de vida, que o CVG-SP realizará no dia 21 de fevereiro, das 8h30 às 11h30, no auditório do Sindseg-SP, com a participação de representantes de seguradoras.

Coordenador do evento, Gustavo Toledo, diretor de Relações com o Mercado do CVG-SP, explica que o desafio do mercado de seguros é entender o comportamento de consumo e atender as necessidades de proteção dessa nova geração. “É uma geração digital, que analisa e compra de forma diferente e que está mais preocupada em manter seu padrão de vida do que em acumular bens, diz. Toledo adianta que o evento também trará a apresentação de cases de seguradoras que já avançaram nessa área, investindo em novos produtos e canais digitais.

 

SEGURO CIDADÃO

Dicas para pessoas que trabalham em pé evitarem acidentes de trabalho – Diversas profissões exigem que o funcionário trabalhe de pé, em período integral, e isso, sem as devidas pausas, pode ocasionar graves prejuízos para a saúde dos colaboradores. Independentemente da atividade profissional, o funcionário que trabalha de quatro a seis horas tem direito a um intervalo de 15 minutos. Já quando a jornada de trabalho for superior a seis horas, no mínimo uma hora deve ser para descanso, afirma a Gerente Técnica do Porto Seguro Saúde Ocupacional, Cristina Uglik.

Ficar horas excessivas em pé pode ocasionar dores na lombar, pés, tornozelos e joelhos, além de calos, bolhas, inchaço e formigamento no corpo. Diante disso, Cristina dá dicas para que esses funcionários possam ter uma rotina mais saudável no ambiente de trabalho:

1) se movimentar frequentemente durante o dia a dia contribui para melhorar o funcionamento do corpo e evita a fadiga. Não se esqueça de mexer o calcanhar; 2) use roupas leves. Se você coloca uma roupa pesada, você adiciona mais peso ao seu corpo. A roupa certa e um calçado confortável farão diferença. Um sapato apertado não ajudará na circulação; 3) o uso de uma cadeira especial chamada "banco semi sentado" pode oferecer um encosto para aliviar as pernas e os pés e não sobrecarregar a postura. Encoste ali alguns minutos sempre que puder para ajudar; 4) faça atividades físicas regularmente e alongamentos para fortalecer a musculatura. Musculação e corrida, nesses casos, vão trabalhar diretamente nas regiões que precisam estar fortes para manter o equilíbrio e a rotina. Além disso, ajudam a mente, previnem e contribuem para o tratamento de doenças, como a obesidade, a diabetes e a hipertensão.

Artigo anteriorSEG NOTÍCIAS
Próximo artigoSEG NOTÍCIAS

Artigos Relacionados

SEG – Desempenho da economia impacta os seguros de modo diverso

Destaque para Danos e Responsabilidades, com avanço de 5,7% no acumulado do ano; seguro rural cresceu 31,1% nos 11 meses do ano.

SEG – Escassez de oxigênio em Manaus preocupa federação de hospitais

Para presidente da FBH, 'é preciso que o governo pressione as empresas devido à urgência da situação'.

Ferramenta Studio contribui para que corretora atenda a resolução 382

Em meio aos debates sobre o cumprimento da Resolução 382, emitida em 04 de março de 2020 pela Susep, surgem várias ponderações. Muitas das...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.