SEG NOTÍCIAS – ANS: envelhecimento de população gera alta em custo de planos

A expectativa de envelhecimento da população brasileira e o aumento dos custos médicos devem elevar os valores dos planos de saúde até 2030, de acordo com Leandro Fonseca, diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O assunto foi debatido hoje no Fórum da Saúde promovido pela Câmara Americana de Comércio para o Brasil (Amcham), na capital paulista.

Até 2060, a faixa etária com 80 anos ou mais somará 19 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A ANS calcula que um em cada quatro brasileiros tem plano de saúde, o que movimentou R$ 160 bilhões em 2016. O setor realizou mais de 1 bilhão de procedimentos médicos no ano passado.

Para Leonardo Paiva, chefe de Gabinete da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Brasil passará pela transição demográfica antes de se tornar um país desenvolvido, o que aumentará o desafio. "Teremos a mudança de doenças infectocontagiosas para doenças crônicas As indústrias estão se movendo para isso. Hoje, 40% dos novos registros de medicamentos são para oncologia", declarou Paiva.

Para o chefe de gabinete da Anvisa, o Sistema Único de Saúde (SUS) precisa se preparar para o aumento de gastos com medicamentos voltados à população mais madura, que sofre com doenças crônicas. Ele prevê elevação do número de decisões judiciais obrigando o Estado a custear medicamentos o que, atualmente, é predominante entre doenças raras. Em 2015 e 2016, foram gastos R$ 1 bilhão ao ano com os 10 medicamentos mais solicitados por meio da Justiça.

Outra questão apontada pelo diretor da ANS é a falta de gestão de saúde adequada entre as operadoras dos planos. O país tem 900 operadoras, sendo que 125 delas respondem por 80% dos beneficiários. Segundo ele, os consumidores realizam muitos exames sem necessidade por falta de orientação.

No país, a saúde suplementar faz 132 exames de ressonância magnética por mil habitantes, média muito elevada. "Há um desperdício enorme de recursos porque os usuários do sistema não são orientados a transitar pela rede. As soluções são uso consciente do consumidor e a reorganização da rede", disse.

As operadoras de saúde que entram em processo de desequilíbrio econômico raramente são adquiridas por outras organizações, devido aos riscos sucessórios tributário e trabalhista. Fonseca explica que, diante das dificuldades, as operadoras passam a deteriorar seus serviços e a perder as melhores prestadoras.

"Não tem uma alternativa saudável, no âmbito jurídico, para que a operadora]seja adquirida. Ela vai deteriorando o serviço dela num processo que pode levar seis anos. Apenas em 20% dos casos, elas se recuperam e conseguem retornar ao mercado", esclarece Fonseca.

.

Idoso – II – No último dia 5, a Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) divulgou a "Pesquisa Longevidade: Idosos e Planos de Saúde", durante o 3º Fórum de Saúde Suplementar, que acontece até amanhã em São Paulo. Realizada pelo Datafolha com 1.110 entrevistados a partir dos 60 anos – com e sem plano de saúde – nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, o levantamento conclui que 64% dos idosos detentores de planos de saúde têm percepção de estado de saúde bom ou ótimo. Esse índice cai para 53% para os idosos que não dispõem do serviço.

"Esse resultado soma-se ao índice de 70% de satisfação do idoso com seu plano de saúde também demonstrado na pesquisa, sendo que 53% está satisfeito com tudo. Hoje, cria-se uma imagem de que o idoso é maltratado pelo serviço até ser expulso pelos planos, o que não foi constatada pela pesquisa, antes o contrário. Para ter ideia, os beneficiários acima dos 60 anos têm, em média, seus planos há 19 anos e a maioria não pretende mudar de plano nos próximos seis meses", revela Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da FenaSaúde.

O acesso do idoso aos serviços também foi comprovado pela pesquisa. O idoso que dispõe do serviço faz mais exames em relação a quem não tem o atendimento privado à saúde. Segundo o Datafolha, 51% dos beneficiários acima dos 60 anos na amostra faz, pelo menos, um exame a cada seis meses. Esse número cai para 39% para os idosos que não têm plano.

Atualmente, há 6,2 milhões de beneficiários acima dos 60 anos – grupo que mais cresce nos planos de saúde. Nos últimos doze meses terminados em julho de 2017, aumentou em 2,3% o número de idosos detentores de planos, enquanto as faixas etárias mais jovens apresentaram quedas significativas de beneficiários.

Em geral, 24% da população brasileira é coberta pelos planos de saúde. Na pesquisa, 37% dos idosos têm assistência privada, sendo que 50% acima da faixa etária dos 80 anos possui o atendimento. "O plano é um serviço estimado pelo idoso, que tem a garantia de atendimento à saúde de qualidade, como comprovam os resultados. Isso demostra que não há seleção de risco por parte das operadoras, como muitos alardeiam sem razão", explica a executiva, que complementa com mais um insight gerado pela pesquisa: "Outro dado interessante é o que o clínico geral é a segunda especialidade mais procurada, o que mostra que não há barreira cultural para um médico generalista ser um orientador do cuidado. A FenaSaúde defende esse tipo de modelo de atendimento que possibilita uma visão integrada do paciente, na qual um profissional detém todo o histórico de saúde".

As associadas à FenaSaúde realizam programas de promoção e prevenção à saúde em todas as faixas etárias de seus beneficiários, como também participam do programa Idoso Bem Cuidado, da ANS, que visa à melhora na qualidade do atendimento por meio de um acompanhamento sistemático.

Além de um retrato da saúde de idosos com ou sem plano, a pesquisa também apresenta características que influenciam a qualidade de vida desse grupo da população. O planejamento financeiro mostra, mais uma vez, a relação entre planos de saúde e idosos: dos 34% que fizeram planejamento, 46% possuem plano de saúde. Já em relação aos 66% que não se planejaram, 73% não têm o benefício.

Encomendada pela FenaSaúde, a pesquisa Datafolha entrevistou 1.110 pessoas, divididas entre homens e mulheres acima dos 60 anos, em agosto deste ano. Os resultados também são apresentados por faixas etárias: 60 a 69 anos, 70 a 79 anos e acima dos 80 anos.

.

Comissão analisa proibição da cobrança antecipada em atendimento de emergência

A Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) deve analisar na quarta-feira o Projeto de Lei do Senado (PLS) 460/2011, que torna abusiva a prática, por parte do prestador de serviço de saúde, de exigir caução, nota promissória ou qualquer outro título de crédito, garantia ou depósito antes da prestação de serviço em atendimentos de urgência e emergência.

De autoria do senador Ciro Nogueira (PP-PI), o projeto altera o Código de Defesa do Consumidor. A matéria já foi tornada crime pela Lei 12.653/2012, que modifica o Código Penal. No entanto, o relator da proposição, senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), ressalta que o texto em análise é importante porque a norma penal só protege pacientes ligados a planos de saúde, não os que pagam os serviços médicos diretamente com seus próprios recursos.

"É inegável que se trata de medida que aumentará enormemente a proteção dos consumidores em situação de vulnerabilidade", afirmou Flexa.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Congresso Brasileiro de Corretores de Seguros – A Mapfre Seguros, do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, leva a transformação digital e o foco nos parceiros para o 20º Congresso Brasileiro de Corretores de Seguros que acontecerá entre 12 e 14 de outubro, no Centro de Convenções, em Goiânia (GO). O Congresso é o maior evento do segmento e contará com a participação de corretores de todos os setores do mercado.

No dia 13, às 11h30, Luis Gutiérrez, presidente do grupo nas áreas de Auto, Seguros Gerais e Affinities, será um dos palestrantes do painel "Desafios do Seguro de Automóvel: proteção pirata e era digital". A palestra será um dos destaques do evento que, nesta edição, terá como tema o "Mercado de Seguros na era Digital".

"O corretor tem um papel importante na venda consultiva da apólice, por ser altamente especialista no tema e ter o conhecimento do comportamento e necessidade do consumidor. Na era Digital, colocamos o corretor no centro da nossa operação, como importante interlocutor e consultor para um atendimento mais assertivo", explica Gutiérrez.

A alta conectividade e interação dos participantes serão por conta da Mapfre Seguros, que patrocinará a conexão wi-fi do Congresso. "Com esta ação assumimos o compromisso de estarmos próximos das pessoas, atendendo suas necessidades e conectando-as com o mundo de maneira segura", afirma Raphael De Luca Júnior, diretor geral da Rede Mapfre e Canais da Mapfre Seguros, do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre.

No estande, a companhia promoverá atividades atraindo a atenção dos corretores para a campanha Mapfre DNA, que levará os profissionais premiados para uma viagem para Madrid, na Espanha, no segundo semestre de 2018. O espaço contará com seis apresentações por dia de dança flamenca, além de fotos e vídeos do país.

Outra ação que está diretamente ligada com a campanha DNA Mapfre será a instalação de um espelho interativo. Nele os visitantes irão refletir as suas melhores poses nas redes sociais e levarão uma versão impressa para casa. A foto também terá imagens de fundo de Madri.

A Mapfre Seguros terá em seu estande um estúdio de rádio. Durante todo o evento, uma equipe de jornalistas e radialistas fará entrevistas com os corretores parceiros da seguradora para o programa "O valor do seguro".

A Rádio Mapfre é uma parceria da seguradora com as rádios Bandeirantes, BandNews FM e Rádio Trânsito que passaram a veicular, desde o dia 25 de setembro, o programa que apresenta corretores especialistas tirando as principais dúvidas dos consumidores sobre as apólices em spots de 60 segundos. O objetivo é fomentar a cultura de seguros no país e reforçar o papel do corretor na venda de apólices. Além das rádios, os programas também podem ser acessados no site www.ovalordoseguro.com.br.

Inscrições no endereço www2.fenacor.org.br/congresso/20/inscricao.php.

.

SEGURO CIDADÃO

Circuito da Longevidade – Pernambucano de Garanhuns, o atleta José Marcio Leão conquistou o lugar mais alto do pódio da etapa Recife do Circuito da Longevidade – promovido pelo Grupo Bradesco Seguros no Forte do Brum – com o tempo de 1706. O corredor Elijah Chebonei ficou em segundo lugar, cruzando a linha de chegada em 17'22''. A terceira colocação foi de Ubiratan José dos Santos, com 17'27''.

"Treinei muito para esta prova. A ventania me atrapalhou um pouco no início, mas, na metade do percurso, o vento estava ao meu favor e pude impor o meu ritmo. Estou muito feliz por ter conquistado a primeira colocação, principalmente por ter competido com grandes atletas", declarou José Marcio Leão.

Completaram o pódio masculino, com o quarto e quinto lugares, respectivamente, o atleta Bradesco Seguros, Ederson Vilela Pereira (17'33''), e o corredor David Benedito de Macedo (17'45'').

Entre as mulheres, a vencedora foi Emily Chepkemoi, com o tempo de 20'24'', seguida de Marily dos Santos, com 20'54''. Completaram o pódio a atleta Bradesco Seguros, Adriana Cristina Silva de Luz (21'10''), Mirian Franco Silva (23'08'') e Rosem Mayara (25’43’’).

Após a corrida, saiu o grupo da caminhada, que percorreu 3 km no Forte do Brum. Ao todo, cerca de 4 mil pessoas participaram da etapa Recife, quinta da temporada do Circuito da Longevidade 2017.

Para os inscritos, foram oferecidos avaliação física, teste de pisada e massagem. Por meio de um equipamento de última geração, os interessados tiveram acesso a uma série de dados sobre sua condição física e receberam orientações de profissionais especializados para potencializar o treino e ganhar mais qualidade de vida. Já no teste da pisada, os participantes foram orientados a utilizar o tênis mais adequado ao seu passo. Todas as etapas do Circuito da Longevidade contam, também, com um bicicletário especial do "Movimento Conviva", uma iniciativa do Grupo Bradesco Seguros para incentivar a convivência harmoniosa entre ciclistas, motoristas, motociclistas e pedestres.

O Circuito da Longevidade foi criado em 2007 com o objetivo de sensibilizar o público para a prática de atividade física como um dos pilares para a conquista da longevidade com saúde, bem-estar e qualidade de vida. O Circuito é promovido pelo Grupo Bradesco Seguros na Bahia, Distrito Federal, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Desde a primeira edição, o evento já foi realizado em 19 cidades, reunindo mais de 414 mil inscritos. A próxima etapa do Circuito será em 29 d e outubro, em Campinas.

O valor equivalente ao da renda obtida com as inscrições – R$ 10 para a caminhada, em todas as faixas etárias, e de R$ 20 e R$ 10 para a corrida, nas categorias até 49 anos e acima, respectivamente – é sempre destinado a uma entidade de caráter social indicada pela prefeitura onde o evento se realiza. A ação tem como objetivo canalizar recursos para projetos que privilegiem a inclusão e o atendimento de pessoas carentes. Em Recife, o valor será direcionado à ONG Visão Mundial, entidade sem fins lucrativos que visa contribuir para que crianças e adolescentes tenham acesso a programas sociais que levam educação, saúde e lazer a comunidades carentes. Desde que o Circuito foi criado, mais de R$ 2, 6 milhões já foram distribuídos.

Os mais longevos da corrida e da caminhada receberam troféus e homenagens no palco. Ary Martins Pacheco, de 80 anos, foi o participante mais longevo da etapa Recife do Circuito da Longevidade. Entre as mulheres, o destaque foi Arleide Maria Feitosa Pachecho, de 72 anos.

A prova de corrida tem caráter competitivo, com participação de atletas de elite brasileiros e estrangeiros, além de amadores e iniciantes. Os cinco primeiros colocados, nos pelotões masculino e feminino, recebem R$ 23 mil em prêmios, divididos da seguinte forma: R$ 5 mil (1º lugar), R$ 3 mil (2º lugar), R$ 2 mil (3º lugar), R$ 1 mil (4º lugar) e R$ 500 (5º lugar), livres de impostos, além de troféus e medalhas. Desde o início do projeto, foram pagos R$ 1,8 milhão em premiações.

Já a caminhada tem foco maior naqueles que não praticam exercício físico com regularidade, com a presença de participantes de todas as faixas etárias, de crianças a idosos. O objetivo é estimular os que caminharam para que, em uma próxima oportunidade, possam participar correndo. Os mais longevos têm destaque especial. Eles são homenageados, no pódio, com troféus e medalhas. Com essa ação, o Grupo Bradesco Seguros dá visibilidade aos longevos que, por meio do exercício físico, conquistaram uma vida saudável.

O Circuito da Longevidade conta também com a participação de pessoas com deficiência, que marcam presença nas pistas com frequência. A elas, é reservada uma largada diferenciada, que acontece antes da oficial.

.

ENDOSSANDO

Parceria – A Genesys, empresa de contact center, anuncia a Porto Seguro como novo cliente para o setor. A parceria visa transformar a experiência do cliente Porto Seguro, garantindo uma estrutura verdadeiramente multicanal integrando o atendimento, para melhorar o relacionamento e suporte às demandas dos consumidores quanto aos produtos e serviços da marca.

"Escolhemos a Genesys em grande parte devido ao foco contínuo da Porto Seguro em oferecer sempre o melhor atendimento a seus clientes. Nessa busca, a omnicanalidade vem como uma tecnologia para a integração de nossos canais de atendimento sendo, portanto, uma aliada para continuarmos neste caminho. Esperamos que esta parceria dure por décadas", afirma Italo Flammia, CIO da Porto Seguro.

Em um primeiro momento, a empresa fará a substituição completa da plataforma de relacionamento com o cliente da Porto Seguro nos sistemas de telefonia e de Unidade de Resposta Audível (URA). Posteriormente realizará a implementação de tecnologias como Inteligência Artificial e chatbots e integrará o suporte de outros canais de relacionamento com cliente através da plataforma PureEngage.

"Esta parceria com uma empresa como a Porto Seguro é muito simbólica para a Genesys", afirma o country manager da marca, Marcelo Menta. "Pois reforça os valores da companhia na área de transformação digital, além do esforço de levar sempre a solução mais completa e avançada para os seus clientes, independente do seu tamanho e área de atuação".

A plataforma PureEngage oferece a verdadeira experiência omnicanal para o relacionamento com o cliente, com o diferencial de integrar soluções baseadas na nuvem e em infraestruturas legadas. Ela também é capaz de entregar uma jornada altamente personalizável aos seus clientes, assim como se adaptar a empresas que contam com uma grande estrutura de servidores e data centers, mesmo que estejam localizados a grandes distâncias.

Artigos Relacionados

Uso de dados direciona mais recursos para campanhas de prevenção

O British Medical Journal estima que 37 milhões de mortes prematuras, no mundo inteiro, poderiam ser evitadas até 2025, caso fossem tomadas medidas de...

Avaliação do desempenho do seguro no primeiro bimestre

O Brasil usou força máxima no primeiro round da luta contra a Covid-19 no ano passado, e os estímulos governamentais suavizaram a queda do...

Delphos coloca uma mulher na sua presidência

A Delphos, a primeira empresa de serviços criada no país para atender especificamente ao mercado segurador brasileiro, tem uma nova presidente: Elisabete Prado. Admitida...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

Quase 80% não trabalham totalmente remoto na pandemia

Segundo levantamento sobre adaptação ao modelo de teletrabalho, 49,7% dos entrevistados estiveram na empresa semanalmente.

Tunísia pretende exportar 80 mil toneladas de frutas

País produz pêssegos, nectarinas, damasco, ameixa e estima aumento de 7% na safra de frutas em 2021; grandes importadores são Líbia, França e Itália.

Rio acaba com toque de recolher

Novas medidas têm validade até o dia 20 de maio; medidas podem ser revistas.