SEG NOTÍCIAS – Cai número de cesáreas na saúde suplementar

Análise mostra assistência à mulher na saúde suplementar com dados relativos ao câncer, partos e métodos contraceptivos.

https://monitormercantil.com.br/planos-medico-hospitalares-voltam-a-ultrapassar-os-47-milhoes-2/Acelera o ritmo de queda do número de cesáreas entre as beneficiárias de planos de saúde. Os dados fazem parte da publicação “Análise da assistência à saúde da mulher na saúde suplementar brasileira entre 2014 e 2019”, produzida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess). De acordo com o estudo, houve queda de 12% na taxa de cesarianas e aumento de 5,6% na quantidade de partos normais no período analisado.
Segundo estudo de 2018 da Universidade de Gante, na Bélgica, publicado na revista “Lancet”, a América Latina é a região com maior número de cesáreas no mundo, com 44,3% dos nascimentos, e o Brasil é o segundo país que mais realiza esta cirurgia, atrás apenas da República Dominicana.
“Claro que a decisão sobre o tipo de procedimento adotado no parto deve ser avaliada caso a caso pela mãe e a equipe médica de sua confiança. Entretanto, a saúde suplementar tem avançado em iniciativas que buscam melhorar a qualidade assistencial durante a gestação, o parto e o período neonatal”, comenta José Cechin, superintendente-executivo do Iess. “E esse debate tem avançado no que diz respeito aos novos modelos de remuneração dos obstetras, resgate do papel essencial das enfermeiras nos partos de baixo risco e mudança de mentalidade em toda a cadeia”, reforça o especialista.
No intervalo analisado pelo estudo do Iess, o número de cesarianas foi de 466 mil em 2014 para 410 mil em 2019, uma queda de 12%. No mesmo período, o número de partos normais avançou de 78 mil para 82 mil, crescimento de 5,6%. Vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera aceitável que 15% dos partos sejam feitos por cesárea. Contudo, os partos desse tipo respondem por 55% do total no país. “Embora em queda, o número de cesáreas ainda é muito expressivo. O que reforça uma necessidade premente de campanhas de conscientização sobre os riscos e vantagens de cada procedimento”, analisa Cechin.
Em 2015, a ANS instituiu o programa “Parto Adequado”, que busca reduzir o percentual de cesarianas desnecessárias. Nessa época, a taxa de partos normais no conjunto dos hospitais participantes era de cerca de 20%. Em sua terceira fase, a iniciativa evitou 20 mil cesarianas desnecessárias desde o lançamento.
Por entender que a população feminina requer programas de prevenção e cuidados específicos de saúde, o Iess produziu a análise especial com o objetivo de acompanhar alguns procedimentos de assistência à saúde realizados pelas mulheres beneficiárias da Saúde Suplementar brasileira entre 2014 e 2019. Os dados apresentados nesta análise foram coletados do “Mapa Assistencial da Saúde Suplementar” da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
A publicação ainda traz dados sobre a atenção à mulher relativos ao câncer, partos e métodos contraceptivos. O estudo mostra que a procura por exame diagnóstico preventivo de câncer de colo de útero (Papanicolau) também tem recuado. Em 2014, esse procedimento diagnóstico preventivo foi realizado em 47,9 de cada 100 mulheres na faixa etária entre 25 e 59 anos. Em 2019, essa taxa foi de 46,1 e, em 2018, de 44,2 na saúde suplementar. Embora mostre um leve avanço entre 2018 e 2019, os números mostram que é fundamental que as mulheres dessa faixa etária fiquem atentas a este importante aspecto da promoção da saúde e prevenção no que se refere ao câncer de colo de útero.
O levantamento do Iess ainda aponta que o número de internações para a realização da laqueadura tubária (procedimento de anticoncepção definitivo) e implante de dispositivo intrauterino (DIU) tem crescido exponencialmente. Na comparação entre 2014 e 2019 houve aumento de 15,4% no número de internações para laqueadura tubária, saltando de 14,9 mil para 17,2 mil. Já o aumento no número de procedimentos de implante do DIU mais que quadruplicou no período, avançando de 50,9 mil para 205,2 mil.
.
Susep autoriza primeira empresa a atuar no ambiente regulatório do Sandbox
A Superintendência de Seguros Privados (Susep) publicou a Portaria nº 7.711, que autoriza a Pier Seguradora S.A. a atuar, por até três anos, dentro do modelo Sandbox, com menor custo regulatório e mais flexibilidade para inovar.
Além da Pier, mais 10 projetos estão em fase de autorização e propõem novas tecnologias ou processos inovadores para o mercado de seguros brasileiro, modernizando o setor e trazendo recursos simples para os usuários.
Com as autorizações da Susep, a expectativa é que, em breve, as empresas iniciem suas operações e comercializem novos produtos. Os seguros a serem oferecidos incluem tablets, smartphones e dispositivos portáteis; animais domésticos; residência e estabelecimentos comerciais; automóveis; acidentes pessoais; funeral. Haverá oferta de seguros intermitentes, utilizados sob demanda, bem como seguros paramétricos para desastres, de acordo com alertas das autoridades públicas de cada estado.
O Sandbox Regulatório é um ambiente experimental constituído com condições especiais, limitadas e exclusivas que não representem barreiras à inovação. O ambiente tem como objetivo reduzir os custos e facilitar os processos para os consumidores, com foco na melhoria da experiência do usuário.
.
Previdência corporativa é o benefício mais desejado por quem tem maior salário
A preocupação com o futuro financeiro é uma constante entre os profissionais, principalmente entre os que têm os maiores salários. Afinal, sem um bom planejamento é quase impossível manter o padrão de vida depois da aposentadoria. Tanto que uma pesquisa realizada pela PrevTech Onze, primeira empresa de previdência privada 100% digital do Brasil e recém-chegada ao mercado, aponta o quanto a previdência corporativa é valorizada pelos talentos.
O estudo ouviu 2.508 pessoas, com idades entre 18 e 57 anos, de todo o Brasil, e que trabalham em diversos tipos de setores, como Saúde, Serviços, Tecnologia, Petróleo e Logística.
Entre as pessoas com salário superior a R﹩ 6.000 por mês, 28% disseram que a previdência corporativa é o benefício mais desejado, perdendo apenas para o bônus em dinheiro (valorizado por 35% dos entrevistados).
Mesmo entre aqueles que têm renda um pouco mais baixa, em torno de R$ 3 mil por mês, a previdência tem seu peso: ela aparece em terceiro lugar entre os benefícios mais desejados, perdendo apenas para bônus e descontos em cursos.
“O que se observa é que quanto mais alto o salário, mais o profissional valoriza a previdência. Essa informação pode ser muito valiosa na hora de planejar um pacote de benefícios pensando em atrair e reter talentos”, afirma Antonio Rocha, CEO da Onze.
.

SEGURO CIDADÃO


Libras – Segundo o IBGE, mais de 10 milhões de pessoas têm algum problema relacionado à surdez no Brasil, o que representa quase 5% da população. Nesse grupo, 2,7 milhões de indivíduos não ouvem nada. Apesar dos números significativos, a acessibilidade digital em libras ainda é pouco difundida entre empresas e organizações. A fim de facilitar o acesso dessa comunidade à informações, a Tokio Marine acaba de lançar em seu site um tradutor virtual de Língua Brasileira de Sinais (libras). A iniciativa reforça o compromisso da Companhia com a Diversidade.
A área de Tecnologia da Tokio Marine, em parceria com a startup brasileira Hand Talk, desenvolveu uma funcionalidade no site da Seguradora que permite, com apenas um clique, que o usuário ative uma janela de acessibilidade para o Tradutor de Libras. A ferramenta apresenta o usuário ao Hugo, um avatar digital intérprete da língua de sinais, que realiza a tradução dos textos de todas as páginas do endereço eletrônico. Para tanto, basta que o usuário faça a seleção com o mouse do conteúdo ao qual deseja ter acesso.
“Além de ser parte da nossa estratégia corporativa, é um orgulho para a equipe de TI disponibilizar soluções para a construção e manutenção de uma Companhia cada vez mais diversa e plural. Com a tradução em Libras no site, podemos contribuir para a autonomia e inclusão da comunidade surda no universo do seguro”, afirma o diretor de Tecnologia da Tokio Marine, Wilson Leal.
De acordo com dados da Federação Mundial dos Surdos (WFD), chega a 80% o número de deficientes auditivos de todo o mundo que não compreendem a linguagem escrita e se comunicam apenas por meio da língua de sinais. Diante disso, o executivo ressalta a importância das iniciativas de romper barreiras de comunicação e de ampliar a oferta de serviços a uma parcela da população ativa nos meios digitais e com diversas demandas por proteção.
.

ENDOSSANDO


Plano de gestão e crescimento –  O Plano de Gestão da Vieira Corretora de Seguros foi revisto no início da pandemia e os colaboradores permaneceram em trabalho remoto. As atividades, os planos e as metas estabelecidas foram monitorados em tempo real, com objetivo de atender a demanda em alguns ramos, que tiveram aumento na procura pelos segurados. Antes do período de isolamento, o gestor da corretora, Fernando Vieira, ministrou palestra sobre Ramos Elementares em um dos subgrupos BNI Millenium, no qual é membro e com a participação nas reuniões semanais, a dinâmica de indicações dos membros em outras empresas, fez com que houvesse um aumento de novos negócios em 30%, no aumento da carteira de clientes. A reestruturação da equipe de vendas foi conduzida através de transmissões online internas, onde todas as informações sobre as comercializações de apólices e os resultados, foram acompanhadas com frequência.
A Vieira Corretora de Seguros obteve um aumento na procura em diversas modalidades de seguros. A Capitalização Aluguel e o Seguro de Vida tiveram a maior demanda, somando 40%. Os seguros Imobiliários, Residencial, Saúde e a Fiança Locatícia, foram de 30%. E automóvel, com 20%. No decorrer do ano, houve a implantação do Seguro Cibernético e do Garantia Judicial na corretora, duas grandes apostas para 2021.
Fernando Vieira avalia o ano de 2020 como um período delicado, devido às mudanças repentinas, mas ressalta a importância de colocar em prática todo o planejamento elaborado para a corretora. “Iniciamos o ano com um planejamento, que é sempre elaborado entre o meado e o fim do segundo semestre. Com a pandemia, tivemos que rever todas as atividades e adequar o expediente, para que todos tivessem uma sinergia cada vez melhor, mesmo trabalhando de casa. A Vieira Corretora de Seguros teve aumento na procura por seguros de diversos ramos e aproveitamos essa oportunidade para conduzir o negócio, aumentando a demanda da comercialização de apólices e tendo o suporte ao cliente como uma ferramenta de excelência. Para deixar tudo em dia, foi necessária a dedicação de todos, que foi fundamental em todo o processo”, explicou.
No segundo semestre, o gestor da Vieira Corretora de Seguros, Fernando Vieira, participou de uma transmissão remota organizada pela Kuantta Digital, com o tema “O Futuro do Seguro Imobiliário e os Impactos da Circular 587 da Susep” que contou com a participação do Arley Boullosa e do André Luiz Rocha. Ele também foi um dos executivos participantes do 4º Workshop Corretor do Futuro – A transformação do mercado de seguros pós Covid-19, num painel onde foi entrevistado pela jornalista da Ruco Comunicação, Thais Ruco. No mês de novembro, foi à vez de participar junto com Claudio Macedo Pinto, da Clamapi Seguros, de uma transmissão online realizada pela Kuantta Consultoria, no Canal Kuantta Digital, com o tema “Seguro Cyber Risk”.
.
Classificação IFS em Baa1 – A Moody’s anunciou que confirmou a classificação IFS em Baa1 da Generali. Ao mesmo tempo, ratificou todas as classificações de instrumentos de dívida emitidos ou garantido pelo Grupo: Dívida sênior não garantida Baa2; Dívida sênior subordinada Baa3 (hyb); Dívida junior subordinada Ba1 (hyb), ações preferenciais Ba1 (hyb). A perspectiva continua estável.
As classificações refletem uma forte posição competitiva da Generali em seu mercado primário e um perfil financeiro resiliente apesar da turbulência causada pelo coronavírus, junto com uma excelente diversidade geográfica e operacional e um perfil de baixo risco empresarial.
A posição sólida de capital da Generali é confirmada pelo Índice de Solvência II nos primeiros nove meses de 2020.
.
Homenagem – A Aconseg-RJ recebeu ontem o Troféu Gaivota de Ouro 2020 da Revista Seguro Total, que comemora seus 20 anos de divulgação do mercado segurador. A 20ª edição da premiação aconteceu de forma remota pelo canal da revista no Youtube (https://www.youtube.com/revistasegurototal), seguindo os protocolos de isolamento por causa da pandemia da Covid-19. A Seguro Total fez uma homenagem a todas as personalidades e empresas que tiveram as melhores performances do mercado, inovando em produtos, gestão e relacionamento.
A Aconseg-RJ recebeu o prêmio pelo o apoio e atendimento que presta aos corretores junto às seguradoras parceiras. O líder da Aconseg fluminense agradeceu a revista pela premiação.
“A Aconseg-RJ nasceu sob o signo do empreendedorismo. Hoje, é exemplo de profissionalismo nas operações do setor. Investimos em capacitação, temos a Universidade Aconseg. Também desenvolvemos ferramentas de comunicação, como o site e a Revista da Aconseg-RJ, e estamos nas redes sociais, para dar visibilidade às atividades. A Aconseg-RJ se tornou um selo de qualidade para as seguradoras. Junto com a turbulência em 2020, a carteira de Auto voltou a crescer em função da busca por mobilidade segura. Oportunidade para as assessorias que detêm 60% da produção no Estado. Parabéns a Seguro Total pelos seus 20 anos. Muito obrigado pela homenagem”, disse Joffre Nolasco.
Joffre também fez questão de estender as homenagens recebidas a todos os seus associados: Baeta Assessoria, Bornny Assessoria, Central Distribuidora Adm. e Corretora de Seguros, Chase Empresarial, CP Gomes Assessoria, Nova Four Assessoria de Seguros, Guarda Adm. e Consultoria de Seguros, LFA Assessoria de Seguros, Link Consultoria de Seguros, Nova Assessoria, Nova Fortaleza Assessoria, Paper Assessoria de Seguros, Plataforma Assessoria de Seguros, Preseg Barra Serviços de Apoio Securitário, Rapport Seguros, Senra & Associados, Serra Penedo, e TEA Assessoria e Consultoria de Seguros.
O Prêmio Troféu Gaivota de Ouro é reconhecido por sua importância no mercado segurador. Organizado pela Revista Seguro Total e realizado anualmente, a premiação reúne seguradores, corretores, prestadores de serviço e entidades representativas. Tem como objetivo homenagear e divulgar ao mercado as empresas de segmentos que atuam, através de parcerias com as corretoras de seguros, seguradoras e o consumidor, para o desenvolvimento do setor. Os critérios de escolha são baseados no histórico e performance de mercado das respectivas empresas, assim como em função de pesquisas nas principais mídias do setor sobre sua atuação e resultados alcançados no seu segmento.

Leia mais:

Planos médico-hospitalares voltam a ultrapassar os 47 milhões

SEG NOTÍCIAS – ANS suspende a comercialização de 12 planos de saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

CVG-RJ celebra missa de 56 anos de fundação

Octávio Perissé: 'A importância do Seguro de Vida na proteção dos lares e das famílias brasileiras'

Icatu amplia benefícios para os corretores especialistas

O primeiro colocado em produção ganhará um carro zero quilômetro

Planos de saúde odontológicos crescem 8,8% em um ano

Passaram de 27 milhões em abril do ano passado para o patamar atual de 29,4 milhões

Últimas Notícias

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico