SEG NOTÍCIAS - Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro completa 54 anos

Entidade é pioneira no apoio ao mercado de seguros de Pessoas e Benefícios e precursor de entidades congêneres de todo o país.

Seguros / 16:15 - 26 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Neste domingo, dia 28 de junho, o Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ) comemora o seu 54º aniversário. Pioneiro no apoio ao mercado de seguros de Pessoas e Benefícios e precursor de entidades congêneres de todo o país, o Clube completa mais 12 meses de atuação em meio ao cenário atípico e desafiador de uma pandemia, pronto para se reinventar mais uma vez.
"É impossível viver mais de 50 anos de história sem passar por desafios, e o CVG-RJ vem mostrando sua resiliência ao longo de todo esse tempo. Este ano, não poderemos nos reunir presencialmente com representantes e grandes líderes do mercado para a nossa grande festa, como é tradição, mas registramos a alegria de continuar investindo nossos esforços no desenvolvimento do segmento de Pessoas do país, adaptando-nos a essa nova realidade", afirma o presidente Octávio Perissé.
Ele faz um agradecimento especial a todas as empresas beneméritas do CVG-RJ, que viabilizam as suas atividades e apoiam as suas iniciativas, bem como aos associados e entidades parceiras. Além disso, menciona os membros da diretoria e do Conselho Consultivo do Clube, que contribuem constantemente para o sucesso da instituição.
.
Aniversário - II A Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) comemorou na quinta-feir seu 69º ano de fundação. Nasceu como Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Fenaseg) em 25 de junho de 1951, em meio a enormes transformações ocorridas no país e como resposta ao espírito desenvolvimentista da época. A década de 50 foi marcada por grandes transformações. O ano de 1951, abriga o surgimento, por exemplo, da Lei Afonso Arinos, pioneira contra o racismo no Brasil. Em 1952, foi criado o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (atual BNDES). No ano seguinte, é fundada a Petrobras. Já em 1954, ganhava destaque a atuação do setor segurador no meio rural, com a constituição da Companhia Nacional de Seguro Agrícola (CNSA).
Para atender uma necessidade de atualização do modelo de representação, a partir de 2008, a Fenaseg passou a ser o braço sindical e a CNseg foi criada para ser o braço associativo. O papel primordial da CNseg é atuar nacionalmente, em nome dos interesses das Federações segmentadas (FenSeg, FenaPrevi, FenaCap e FenaSaúde), que representam empresas de Seguros, Previdência Privada Complementar Aberta e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização. Sua missão é contribuir para o desenvolvimento do sistema de seguros privados, representar suas associadas e disseminar a cultura do seguro, concorrendo para o progresso do país. Hoje o setor de seguros é líder em arrecadação de prêmios na América Latina e ocupa o 16º lugar no ranking mundial. Além disso, o setor acumula ativos que equivalem a 25% da dívida pública brasileira.
Ao longo de sua história, a Confederação fomentou debates sobre temas como tarifa de seguro contra incêndio (1969), seguro de vida (1977) e muitos outros tópicos pertinentes para as seguradoras, os consumidores e o país.
.
Panorama do Seguro A 66ª edição do programa Panorama do Seguro traz o formato Mídia em Pauta, que tem como objetivo entrevistar os representantes das principais mídias do setor de seguros. A quarta edição recebe o Gustavo Doria Filho, publisher do Centro de Qualificação do Corretor de Seguros (CQCS). Confira em https://youtu.be/WzpR0L5U1bI.
.
Mais de 95% dos chineses estão cobertos por seguro médico básico
Mais de 95% dos chineses foram cobertos por seguros de saúde básicos no país em 2019, segundo estatísticas divulgadas pela Administração Nacional de Seguro de Saúde (ANSS).
Sob os programas de seguros, os residentes urbanos e rurais da China puderam desfrutar de reembolsos de mais de 60% de suas despesas hospitalares em 2019, de acordo com um comunicado anual sobre o desenvolvimento do seguro médico.
Em 2019, 329 milhões de chineses foram cobertos pelo programa nacional de seguro médico básico para trabalhadores urbanos e outros 1,02 bilhão pelo plano para residentes urbanos e rurais, informou o comunicado.
A receita do fundo sob os programas nacionais de seguro médico básico atingiu mais de 2,44 trilhões de iuanes (US$ 346,13 bilhões) em 2019, indicou o comunicado, observando que o montante representava 2,5% do PIB da China no ano passado.
O valor total gasto a partir do fundo em 2019 aumentou 12,2%, para cerca de 2,09 trilhões de iuanes, acrescentou.
.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Live O Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) reuniu associados via internet e anuncia novidades. Foi um reencontro emocionante que contou com mais de 20 associados, que renovaram os laços profissionais e afetivos através de uma live conduzida pela diretoria, com apoio operacional do professor Attina, da IndoRH.
O presidente do CCS-RJ, Fabio Izoton, anunciou três excelentes novidades durante o encontro: O início da etapa de encontros virtuais com as lideranças das seguradoras parceiras. "Já estão agendadas as participações da Capemisa, apoiadora do CCS-RJ desde janeiro deste ano, e da nova parceira, a Argo Seguros", informou o presidente.
O Connection 2020, que foi adiado em março por causa da pandemia, será realizado 100% virtual, mantendo os mesmos propósitos de valorizar a inovação e a conexão entre as pessoas do mercado de seguros. "Estamos alinhando alguns detalhes para fecharmos a data e divulgarmos para o mercado" comunicou o líder dos CCS-RJ.
O contador Alex Guedes, da Jual Assessoria Contábil, com 25 anos de sólida experiência na matéria, vai comandar a contabilidade do Clube e abrir também oportunidades mais acessíveis e modernas para criar e/ou apoiar a contabilidade das corretoras dos associados do CCS-RJ.
O presidente enfatizou "o caráter social e comercial do CCS-RJ e agradeceu a todos os membros do Clube que mantiveram as mensalidades em dia para que pudéssemos dar continuidade aos trabalhos"
Ressaltou também que "embora alguns compromissos fechados tivessem que ser cancelados por causa da pandemia, a exemplo do Connection, não houve interrupção no atendimento às demandas individuais dos associados pela diretoria. Viabilizamos a manutenção da secretária e das atividades administrativas do Clube em home-office e a redução do aluguel da sede até dezembro de 2020, negociada pelo diretor Luiz Mario Rutowitsch".
.

ENDOSSANDO

Clube Care - A Qualicorp anuncia a compra de carteira de cerca de 14 mil clientes da administradora de benefícios Clube Care, referente ao segmento Coletivo por Adesão e operada pelo Grupo Assim Saúde, que atua na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.
Com investimento de R$ 20 milhões, o objetivo da Qualicorp é reforçar sua presença regionalmente e ampliar o portfólio de planos de saúde. "Com a aquisição, nós queremos fortalecer cada vez mais a atuação da companhia, com oferta de produtos de qualidade e mais acessíveis para diferentes segmentos da população", destaca Bruno Blatt, CEO da Qualicorp.
O processo foi realizado de forma totalmente digital, incluindo a prospecção, as negociações, a due diligence, o fechamento do acordo e as assinaturas do contrato. "Pela primeira vez na história da Qualicorp realizamos uma transação desse porte sem nenhuma interação presencial. As equipes envolvidas conduziram todas as etapas de maneira online", ressalta o executivo. Além de seguro, esse formato trouxe mais agilidade para concluir a operação.
Recentemente, a Qualicorp firmou uma parceria com a operadora Assim Saúde para comercialização de planos de saúde do segmento Adesão, voltados a profissionais do comércio, profissionais liberais, servidores públicos e estudantes. A Assim Saúde é uma das operadoras que mais crescem no país, tendo registrado expansão de 95% em sua carteira de clientes do segmento Coletivo por Adesão em 2019.
"A nossa missão é viabilizar o acesso da população à saúde privada. A parceria com a Assim Saúde reforça a oferta de planos de saúde aos moradores do Rio de Janeiro. Entre as 16 milhões de pessoas que moram no Estado do Rio de Janeiro, apenas 5,36 milhões têm um plano de saúde particular", completa Bruno Blatt.
A iniciativa reafirma, também, a estratégia de crescimento da Qualicorp. De acordo com Elton Carluci, vice-presidente comercial, de Inovação e Novos Negócios, "um dos pilares da companhia é o crescimento por meio de fusões e aquisições (M&A). Por isso, estamos sempre atentos ao mercado. Outro caminho que a Qualicorp aposta é a expansão orgânica. Nessa frente, estamos nos aproximando cada vez mais do corretor e trabalhando no desenvolvimento de novos produtos, além de reforçar nossa política de regionalização".
A compra de carteira da administradora de benefícios Clube Care soma-se às 1,2 milhão de vidas que a Qualicorp possui em seu portfólio na categoria Adesão médico-hospitalar, que representa aproximadamente 92% do faturamento da empresa.
.
Agente virtual Em julho de 2019, a Europ Assistance Brasil, líder em soluções de serviços e assistência, apresentou ao mercado de seguros a Europ Virtual Agent (EVA), a primeira agente virtual com atendimento 100% digitalizado que chegava ao setor. Com o uso de inteligência artificial cognitiva, a Eva possui uma linguagem natural e alta capacidade de aprendizado a cada interação com o cliente, a EVA inicialmente atendia a carteira Auto da companhia. Agora, mais desenvolvida, agregará valor também ao atendimento Residencial.
Ricardo Alexandre, diretor-executivo de Operações da Europ Assistance e Ceabs Serviços, conta que é comum alguns clientes, às vezes, não perceberem que estão falando com uma assistente virtual. "Ela não substitui o nosso atendimento humano, que continua disponível aos clientes, pois há coisas que só eles podem resolver, mas tem trazido ótimos resultados e sido uma grande aliada", ressalta.
Desde que foi lançada, a agente virtual alcançou mais espaço nos atendimentos da companhia e foi de extrema importância na jornada de digitalização da empresa. Nos últimos anos a EABR vem desenvolvendo ferramentas para aperfeiçoar e agilizar o atendimento a clientes e parceiros, recentemente lançou o atendimento via WhatsApp, aplicativo de mensagens instantâneas conhecido e muito utilizado no Brasil e no mundo. E agora a EVA deixa de ser dedicada exclusivamente ao Automóvel, desde de que foi implantada no segmento de ramos elementares, já é responsável por 23% do volume de ligação. "Criamos a EVA justamente com esse propósito: entregar aos nossos clientes um serviço eficiente, que fosse capaz de minimizar os atritos e estresse que momentos desgastantes, como aqueles nos quais acontece um sinistro, provocam", comenta o diretor.
Entre os três principais serviços que podem ser solicitados pelo contato com a EVA estão os de encanador, eletricista e chaveiro. A grande vantagem de ser atendido por ela continua sendo a rapidez com que ela consegue entender os procedimentos para o acionamento do serviço; no início de sua implantação, ela já era capaz de auxiliar em questões complexas e agora, meses depois, tem ainda mais bagagem. "Cada atendimento feito até aqui está gravado na memória da nossa assistente virtual e vem sendo usado para entender os anseios e necessidades dos nossos clientes de maneira mais profunda", pontua Ricardo Alexandre.
.
Parceria A Fundação Viva de Previdência, entidade fechada de previdência complementar, fechou parceria com o Banco Original para facilitar as operações financeiras de seus participantes, cerca de 50 mil em todo o país. O objetivo da Viva é oferecer mais um benefício aos assistidos, que passarão a receber os benefícios mensais por meio do Original, de forma segura e com uma operação totalmente digital. O banco oferecerá vantagens exclusivas aos novos clientes, entre as quais o cashback para utilização do cartão no débito/crédito e isenção de tarifas bancárias nos próximos 24 meses. "Se somarmos os ganhos individuais dos nossos clientes, chegamos a uma economia total de quase R$ 24 milhões por ano em despesas bancárias", revelou Silas Devai Júnior, diretor-presidente da Viva.
O projeto de transferência da carteira da Viva para o Banco Original vem seguindo um rigoroso cronograma. A operação teve início em novembro do ano passado, quando o primeiro grupo a ser transferido para a instituição financeira foi o de colaboradores. "Foi um bom teste, pudemos fazer ajustes operacionais importantes", disse o diretor presidente da Viva. Segundo ele, neste momento de pandemia, a facilidade das operações virtuais oferecidas pelo Banco Original, além da isenção de taxas, "é um grande diferencial que levamos em conta na escolha da instituição como nova parceira". Além das facilidades tecnológicas, os participantes e assistidos da Viva terão acesso a atendimento humano de um agente do Original.
A parceira com o Banco Original é parte de um rol de ações estratégicas da Viva de Previdência que tem como objetivo dinamizar as operações da Fundação. O PREV 4U foi o projeto que inaugurou essa agenda. Nos meses de março e abril, cresceu em abril 40% o número de participantes cadastrados. Esse desempenho confirma o forte impulso das vendas online ocasionado pelo período de isolamento social. "Fomos os primeiros a lançar esse produto no mercado de previdência. Os resultados demonstram que estávamos certos", avalia o diretor presidente.
.
Pós-pandemia Como será o futuro pós-pandemia dos negócios, das empresas e dos seguros no Brasil? Para responder à pergunta mais frequente dos últimos tempos, executivos do setor contam o que vão incorporar da experiência durante o isolamento social para a rotina de suas empresas. Entre as principais lições, eles apontam o papel fundamental da tecnologia para garantir a continuidade das operações, seja qual for o contexto.
Para a Delphos, empresa de serviços e tecnologia, dado o sucesso da empreitada "compulsória", o regime de home office será uma opção certa para parte dos colaboradores. "Com a tecnologia que a Delphos dispõe, o atendimento ao cliente não sofrerá qualquer alteração", afirmou Elisabete Prado, diretora comercial e de Marketing.
Ela conta que o trabalho remoto já existia ocasionalmente na empresa. "Quando fizemos essa mudança, todos levaram computadores da empresa, com todas as informações protegidas por ferramenta de segurança, e com acesso à central telefônica da Delphos, podendo receber e fazer ligações pelo seu número de ramal, já conhecido pelos clientes e fornecedores", explica.
Os cuidados com a proteção de dados e garantia da segurança das informações, o apoio aos colaboradores na correta instalação e manutenção dos equipamentos, a viabilização de mecanismos de acessos à internet com ampliação de bandas ou contratação de provedores para alguns, foram determinantes para o sucesso da transição. "Isso mostra como investir em um bom modelo de TI é fundamental para garantir a continuidade do negócio das empresas, sem qualquer prejuízo em suas atividades, em situações adversas" pontua.
Segundo a executiva, a experiência interna foi positiva em vários sentidos: no comprometimento por parte dos colaboradores, que se empenharam para que o local de trabalho não interferisse na qualidade dos serviços; na solidariedade de uns com outros; nos estudos e reuniões em grupo, que se intensificaram para compensar a distância física. Além disso, a empresa adotou um regime mais flexível em relação a horários, permitindo que cada um organizasse sua nova rotina da melhor forma, o que acabou resultando na melhoria da produtividade.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor