SEG NOTÍCIAS - Fundo de fundos previdenciários com impacto social

Chega ao mercado produto que se apresenta como inédito para investimento.

Seguros / 15:54 - 3 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O VRB anuncia um produto que diz prometer revolucionar o mercado de investimento pessoal, com fundos de fundos de previdência. Na prática, por apenas R$ 5 mil, o investidor tem acesso, na plataforma da XP seguros, a inteligência de alocação dos maiores gestores de fortuna do país, como Turim MFO, UBS Consenso, BWGI, Tera Capital e XP Advisory. Para ser cliente dessas instituições é necessário ter entre R$ 10 milhões e R$ 300 milhões de patrimônio financeiro.
Este comitê traça o cenário macro, seleciona as classes de ativos e diversifica a carteira através de estratégias consagradas como SPX Lancer, Kinea XTR, Navi Long and Short Prev, Constellation Ações Prev, Apex Long Biased Prev e Velt Prev FIA. "Com a redução das taxas de juros no país, as pessoas passaram a assumir mais riscos para atingir seus objetivos de longo prazo. Neste sentido, a diversificação de portfólio é a melhor forma de conseguir bons retornos com o risco controlado. Por isto, convidamos alguns dos principais gestores de fortunas da indústria, acostumados a fazer este trabalho há muito tempo para as famílias mais ricas do Brasil. A formação deste Comitê só foi possível em função da nossa proposta de valor de impacto social", explica Tiago Fernandes, CEO no VRB.
Além de ser um produto competitivo para o momento que o Brasil atravessa - já que busca a preservação de capital e a perpetuação de patrimônio no longo prazo - e possui a meta de rentabilidade anual entre CDI+3% e CDI+5%, ao optar pelo VRB Previdência, é possível ajudar milhares de pessoas. Um terço da taxa de administração do fundo é revertida para projetos sociais focados em educação e inclusão produtiva apoiados pelo VRB Impacto, sua divisão filantrópica. O investidor fica com os resultados financeiros, enquanto contribui diretamente para o impacto social para comunidades vulneráveis.
São apoiadas cinco instituições que atualmente impactam a vida de 28.000 pessoas, em diversas regiões do Brasil. A estratégia social é definida por um comitê consultivo composto por Rubem César, Edmar Bacha, Toia Lemann, Aik Brandão, Bernardo Sorj e Simón Schwartzman. Em 2020 as organizações apoiadas são: a Academia Pérolas Negras, time de futebol formado por jovens das comunidades cariocas, que recebem aulas de empreendedorismo e reforço escolar em português e matemática; a Junior Achievement, instituição centenária focada em educação empreendedora e com presença em mais de 100 países; Instituto PROA e Generation, ambas com atuação em São Paulo e foco na formação profissional, sobretudo em tecnologia; e o Instituto BEI, que capacita professores para dar aulas de Educação Financeira, articuladas à matriz curricular de Matemática, nas redes públicas estaduais de Goiás e Pernambuco.
Além disso, o VRB Impacto decidiu expandir a atuação através da distribuição de cestas básicas para comunidades fragilizadas pela crise do Covid-19. Investiu em projetos como o "SOS Favela!", atualmente presente em 337 comunidades do estado do Rio e, em São Paulo na ONG Ação da Cidadania, que entrega mantimentos em Heliópolis, a maior favela da capital paulista. A iniciativa tem duração de quatro meses e oferece ajuda contínua e não somente no pico da crise.
O CEO também reforça a inovação do projeto como um todo. "O impacto social é a cereja. As pessoas não vão querer comê-la se o bolo não for bom. Por isso, a estratégia de investimento precisa fazer muito sentido para o investidor. O fundo começou na virada do ano, captou R$ 21 milhões e tem capacidade para chegar a R$ 1 bilhão." Por ser um fundo de fundos, o VRB Previdência traz maior comodidade na declaração do imposto de renda e na realização de novos aportes. Esse produto possui um regime tributário mais eficiente no longo prazo, não possui "come-cotas" e o IR pode chegar a 10% sobre o ganho de capital após 10 anos, dependendo do regime escolhido pelo beneficiário. Além disso, podem reduzir a base de cálculo do imposto de renda para os optantes pela opção PGBL.
.
Seguradoras de Vida se reinventam e já colhem resultados
Na 2ª Rodada do Almoço com Especialistas, evento virtual do Clube Vida em Grupo de São Paulo (CVG-SP), realizado no último dia 29, com transmissão ao vivo pelo YouTube, três seguradoras descreveram suas ações para o desenvolvimento do seguro de pessoas. Em comum, MAG Seguros, Mapfre e Seguros Unimed registraram bons resultados no primeiro semestre e vendas em alta.
Sob a mediação do presidente do CVG-SP, Silas Kasahaya, as três seguradoras também revelaram que o bom desempenho, em plena pandemia, foi conquistado graças à reinvenção de seus processos e produtos. Todas se adaptaram rapidamente ao trabalho remoto, customizaram e desenvolveram produtos e, principalmente, apoiam o canal corretor de seguros.
Além de migrar suas operações para o meio remoto, a MAG Seguros enfrentou o desafio de ajudar os seus parceiros corretores de seguros durante o isolamento social. A solução veio de uma ferramenta em uso há quatro anos e também dos próprios corretores. "O Venda Digital era usado como apoio às vendas presenciais. Por outro lado, alguns corretores já usavam Skype e WhatsApp para se comunicarem com os clientes. Juntamos essas experiências para estruturar um bom treinamento de venda remota", disse o presidente da Comissão Fiscal do CVG-SP Marcio Batistuti, diretor nacional de Varejo na MAG Seguros.
Hoje, a MAG comemora os resultados. "Não tivemos queda no seguro de vida e mantivemos o mesmo volume de vendas do ano passado", disse. Também influenciaram os resultados, segundo ele, a popularidade do seguro de vida durante a pandemia, a tecnologia e a customização de alguns produtos. Batistuti conta que especialmente para os corretores, a seguradora criou um pacote de benefícios que garante, entre outros, suporte financeiro em caso de internação por Covid-19.
Em seguida, a empresa lançou a nova Linha Vida Toda Bem-Estar, produto com uma série de benefícios para problemas de saúde. Posteriormente, colocou no mercado o Master Acidentes Domiciliares, seguro de vida voltado para pessoas entre 61 e 85 anos com foco na proteção dentro da própria casa. Outro diferencial, segundo Batistuti foi o programa de leads da empresa. "Ajudar os corretores a encontrarem os clientes foi o maior gol que fizemos nesse momento", disse.
Ninguém acorda pesando em comprar seguro de vida, analisa Andre Serebrinic, diretor técnico de Vida, Previdência, Capitalização e Odonto na Mapfre Seguros. Embora a aceitação do seguro de vida tenha aumentado, ele observa que "incomoda as pessoas falar sobre riscos, sobre o imponderável". Diante disso, o corretor pode fazer a diferença. "Ele é peça fundamental. Não adianta digitalizar processos e ter as melhores ferramentas porque o cliente não comprará sozinho", disse.
Na Mapfre, segundo Serebrinic, a venda consultiva é importante para oferecer as soluções adequadas para cada perfil de cliente. Além de microsseguros e affinity, a seguradora dispõe de todos os tipos de seguro de vida, incluindo o Dotal. "Nenhum planejamento financeiro estará completo sem um seguro de vida", disse. A empresa também se preocupa em gerar conteúdo. Um estudo da Mapfre Economics aponta não apenas o potencial do seguro de vida na América Latina, como também os caminhos para o seu desenvolvimento.
Ele informou que a seguradora aumentou seus lucros em 23% no primeiro semestre, atingindo R$ 334 milhões, apesar da pandemia. Com parte de seu pessoal retornando ao trabalho, a seguradora prepara uma série de lançamentos. Um deles é o Bien Vivir 4.0 e, outro, um portal para os corretores. "Estamos superpreparados para ficarmos junto ao corretor nesse momento de desenvolvimento do seguro de vida no Brasil" disse.
Na 13ª posição no ranking de seguro de vida e com uma carteira de mais de 6 milhões de clientes, a Seguros Unimed deu um salto de evolução nos últimos meses. Segundo Flávio Sá, gerente nacional Comercial dos produtos de Vida, a seguradora precisou se reinventar. "Implantamos uma frente tecnológica 100% digital para o seguro de vida individual. Hoje, não temos nenhum produto que não seja comercializado de forma eletrônica" O maior desafio, entretanto, foi a mudança em tempo recorde. "Desenvolvemos entre três a quatro meses o que estava previsto para acontecer em quatro anos", disse.
Flávio Sá relata que a empresa também se preocupou com a eventual queda de faturamento dos corretores. Para tanto, aumentou o agenciamento. O executivo reconhece que vender seguro de vida no Brasil nunca foi uma tarefa fácil, mas este seguro conseguiu mudar o foco. "Deixamos de falar em seguro de morte para falar em benefícios que os segurados possam usufruir em vida", disse.
Outra iniciativa da empresa foi customizar produtos, como o seguro de renda por afastamento do trabalho, em que a idade limite foi aumentada para 70 anos e a importância segurada para R$ 40 mil. O mesmo produto ganhou cobertura para diagnóstico de Covid e renda por afastamento em caso de contaminação pela doença. Apesar do provável aumento de sinistralidade, Flávio Sá afirma que o objetivo foi garantir a renda dos médicos que estão na linha de frente do combate à Covid.

.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Webinar O Sindicato dos Corretores de Seguros do Paraná (Sincor-PR) programou uma série de eventos mensais e 100% virtual a partir deste mês de agosto. Ao todo serão quatro webinários, que têm como tema a "Jornada da Transformação do Corretor de Seguros".
O primeiro será no dia 11 de agosto, das 9h30 às 11h da manhã, e abordará "Mentalidade Empreendedora e Saúde Mental". Os eventos serão sempre às terças-feiras.
Além do webinar do dia 11 de agosto, os próximos serão nos dias 15 de setembro, 6 de outubro e 10 de novembro.
O Sincor-PR convidou dois grandes nomes do mercado de seguros para apresentar esta jornada, os professores, coaches e consultores Maurício Tadeu Barros Morais, da Ways Gestão Empresarial, e Rosana Sá, da Cyclos Consultoria Empresarial.
Os eventos contarão com abertura do presidente do Sincor-PR, Wilsinho Pereira, e mediação técnica do vice-presidente José Antonio de Castro. "O momento pede esse modelo de evento e levaremos mais conhecimento aos corretores de seguros em 2020. Por isso realizaremos quatro edições até o final do ano e, tenho certeza, de que será muito importante para o engrandecimento pessoal e profissional de todos", destaca Wilsinho.
Os palestrantes prepararam uma hora de apresentação e separaram 30 minutos adicionais para perguntas relacionadas aos temas abordados.
Em cada webinar serão sorteadas 12 Mentorias Online, com o Maurício e a Rosana, simultaneamente, de duas horas de duração cada. Cada ganhador também terá sua avaliação (assessment) de perfil comportamental. Participe e concorra! Ao final do ciclo todos os participantes dos webinários receberão um livro eletrônico com o conteúdo apresentado nos eventos. Haverá também certificado de participação.
A transmissão dos eventos se dará pelo canal do YouTube do Sincor-PR e as inscrições estarão abertas em breve. Quem se inscrever receberá por e-mail um link para participar. Para saber outros detalhes ligue de qualquer lugar do Brasil para 4020-2284.
.
Oportunidade de trabalho e capacitação - Desde o início da pandemia do novo coronavírus os números de desempregados no Brasil chegaram a 12,9 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para reverter parte do cenário negativo decorrente da crise, a Porto Seguro lança um projeto de impacto social que oferece oportunidades de trabalho para 10 mil pessoas.
Intitulada Meu Porto Seguro, a iniciativa ainda inclui um programa de capacitação via EAD e renda extra mensal, no valor de R$ 1.500 por pessoa, durante três meses. "Essa é uma das maiores crises que nosso país já enfrentou. Por isso, é essencial que grandes empresas se mobilizem com iniciativas de solidariedade. O Meu Porto Seguro tem objetivo de educar, formar e ajudar na renda familiar. Nossa intenção é criar opções para que os brasileiros que se encontram em dificuldades possam percorrer novos caminhos em sua jornada pessoal e profissional", destaca Bruno Garfinkel, presidente do Conselho de Administração da Porto Seguro. O intuito é fomentar a indústria de seguros e contribuir para alavancar a economia como um todo.
Para que as oportunidades cheguem ao maior número de pessoas, a organização do projeto incentiva que cada inscrito indique a outros amigos. A marca também está em busca de parceiros, como influenciadores, celebridades, ativistas sociais e outras empresas, para fomentar a causa com o uso da #MeuPortoSeguro, criando uma rede de compartilhamentos do bem e um movimento em prol das contratações.
Por meio do site meuportoseguro.org.br é possível realizar o cadastro e fazer a indicação. Essa é a primeira etapa do processo. Após concluída essa fase, os candidatos participam de um treinamento à distância (EAD) e os recrutadores da Porto Seguro iniciam a seleção dos 10 mil novos empregados.
Para Roberto Santos, presidente da Porto Seguro, a ação busca criar uma grande rede de solidariedade por meio de qualificação e geração de oportunidades. "Na vida todos nós temos um porto seguro, esse objetivo de vida que nunca queremos perder, e que nós queremos trazer de volta para muitos brasileiros que perderam seus empregos durante a pandemia. Vamos selecionar 10 mil pessoas para integrar o time da empresa por três meses, medidos por geração de leads. Vamos aproximar as pessoas que se sobressaírem de Corretores de Seguro parceiros, dando a oportunidade de crescimento no mundo do
Além das oportunidades, o Meu Porto Seguro irá disponibilizar cursos à distância gratuitos e abertos ao público com aulas diárias de duas horas para todos que quiserem aprender mais sobre seguros e produtos, com o básico sobre prospecção, leads e retorno. Dessa forma, a empresa consegue abranger a capacitação de profissionais e agregar ao currículo das pessoas.
As inscrições para participar do projeto Meu Porto Seguro iniciam hoje pelo site www.meuportoseguro.org.br. As 10 mil pessoas selecionadas vão receber os benefícios de renda extra por três meses, além de treinamentos e cursos para se desenvolverem ainda mais.
.

ENDOSSANDO

Balanço A Porto Seguro apresentou aumento relevante de sua rentabilidade no segundo trimestre e no primeiro semestre de 2020 decorrente, principalmente, dos efeitos do isolamento social, que resultou na significativa queda da sinistralidade e consequente melhora do desempenho operacional. Além disso, o elevado retorno das aplicações financeiras no segundo trimestre capturou a recuperação dos preços dos ativos e compensou as perdas do primeiro trimestre. Apesar dos reflexos da pandemia, as iniciativas adotadas pela empresa desde o início da crise permitiram manter os índices de renovação em patamares elevados e mitigar os impactos principalmente nos Negócios Financeiros, demonstrando a resiliência do seu modelo de negócios em meio a um cenário desafiador de mais um período de crise.
Os prêmios de seguros (ex-Dpvat) apresentaram um recuo de 4,9% no trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior. O seguro Auto (-9,9% contra 2T19) foi afetado pela retração na venda de novos seguros e pela redução do prêmio médio. Contudo, como resultado da diminuição do risco, o índice de renovação permaneceu elevado, favorecido pelas medidas adotadas para proteção da carteira. Os prêmios do Saúde expandiram 16,7% em comparação ao 2T19, mantendo a trajetória de crescimento em duplo dígito observada nos últimos anos. Nos seguros Patrimoniais, os prêmios decresceram 6,7% (contra 2T19), e o Vida recuou 1,3% (contra 2T19).
O índice combinado de seguros atingiu 83,8% no trimestre (-9,6 p.p. contra 2T19) - melhor resultado da história da Porto Seguro - foi beneficiado pela expressiva queda na sinistralidade do seguro Auto (-15,4 p.p. contra 2T19), decorrente, principalmente, da redução da circulação de veículos em função do isolamento social e da melhora na sinistralidade do Saúde (-18,5 p.p. contra 2T19). Esse índice é fruto, em maior parte, da diminuição dos procedimentos eletivos realizados no período e dos efeitos da pandemia. Já o índice consolidado de despesas administrativas e operacionais reduziu 0,4 p.p. no trimestre (contra 2T19). Ao desconsiderar despesas e incentivos a programas sociais para combater os impactos da pandemia de Covid-19 na sociedade, o índice de D.A+D.O teria reduzido 1,1 p.p. no 2T20.
Nos Negócios Financeiros e Serviços, as receitas trimestrais aumentaram 7,6% (contra 2T19), impulsionadas pelas Operações de Cartão de Crédito e Financiamento, que expandiram 10,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, a partir do aumento de 28,9% no número de cartões emitidos (contra 2T19) - atingindo 2,8 milhões de unidades ao final do trimestre. A inadimplência (NPL+90 dias) alcançou 6,1% ao final do 2T20, um aumento de 0,4 p.p. em relação ao 2T19. Apesar dos desafios enfrentados no período, os Negócios Financeiros reagiram à crise de forma consistente, beneficiados pelo gerenciamento da carteira e ações adotadas para mitigação do risco, principalmente nas renegociações de dívidas.
O elevado retorno das aplicações financeiras no trimestre se deve ao incremento de posições em renda variável realizadas no 1T20, compensando as perdas observadas no primeiro trimestre e a realização de títulos públicos atrelados a inflação. A rentabilidade trimestral da carteira (ex-previdência) foi de 5,3% (719% do CDI) no trimestre.
O lucro líquido atingiu R$ 656,7 milhões no trimestre (+72,4% contra 2T19) e R$ 885,1 milhões no semestre (+30,1% contra 1S19), resultando num ROAE de 34,9% no 2T20 e de 23,2% no 1S20. Excluindo o efeito do excesso de capital e considerando uma remuneração de 100% do CDI para os investimentos, a rentabilidade anualizada sobre o patrimônio seria de 31,5% no trimestre e de 25,4% no semestre.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor