SEG NOTÍCIAS - Idec: planos de saúde lideram atendimentos

Pelo oitavo ano seguido, planos estão entre os mais demandados por associados, seguido por serviços financeiros e telecomunicações.

Seguros / 16:59 - 17 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) divulgou ontem, na sequência do Dia Mundial do Consumidor (15.03), seu ranking anual de atendimentos de dúvidas de consumo. No topo do levantamento referente a 2019, e pelo oitavo ano consecutivo, ficaram os questionamentos relacionados a planos de saúde, com 23,8% dos registros; seguido por serviços financeiros (18,5%); telecomunicações, com 14,6%; e produtos (10%).

O principal tema abordado pelos associados da ONG de defesa do consumidor sobre planos de saúde continua sendo reajuste abusivo, predominantemente de planos coletivos, que não são regulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Em 2019, o percentual de casos envolvendo reajustes manteve o alto patamar do ano anterior e correspondeu a 50,1% - ou seja, a metade dos atendimentos desse segmento.

Excluindo os planos, outros temas relacionados à saúde que tiveram reclamações em 2019 foram medicamentos (2,1%), serviços particulares de saúde (2,1%), planos odontológicos (0,8%) e serviços de estética e beleza (0,2%).

Se mantendo em segundo lugar no ranking geral, a categoria de serviços financeiros foi responsável por 18,5% dos registros. Dentro do segmento financeiro, os problemas com "cartões de crédito/débito/loja" ficaram na liderança (25,5%), seguido dos problemas com "crédito pessoal" (15%). Dentro desses segmentos de serviços financeiros, o maior número de reclamações se deve a cobrança indevida, problema em renegociação e clonagem/furto/fraude.

Na terceira colocação, subindo uma posição em relação ao ano passado, ficaram as dúvidas e queixas sobre o setor de telecomunicações, com 14,6%. Problemas com combos de serviços (27%), telefonia fixa (19%) e telefonia móvel pós-paga (18%) foram os temas mais questionados.

Em 2019, as dúvidas e queixas relacionadas a produtos caiu para a quarta posição, com 10%. O maior motivo das dúvidas estava relacionado a problemas com produtos eletroeletrônicos, veículos, e itens de telefonia e informática.

Desde que registrou um forte aumento no número de atendimentos em 2017 (7,2%), os atendimentos sobre água, energia elétrica e gás passaram a ser contabilizados em um grupo separado. Em 2018 a participação desta categoria caiu para 4,1%, mas no ano passado voltou a crescer e atingiu 5,5% das reclamações dos associados do Idec, com a maioria relacionada a queixas sobre cobranças indevidas (84,7%).

.

Falecimento A Diretoria-Executiva do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ) e o seu Conselho Consultivo lamentam e comunicam, com pesar, o falecimento de seu ex-presidente, Antonio Ribeiro (1989/1990), ocorrido em 16 de março. O enterro foi realizado hoje, dia 17 de março, no Cemitério Jardim dos Eucaliptos, em Cabo Frio, no Rio de Janeiro, onde residia.

.

SEGURO CIDADÃO

Coronavírus - I Em reunião presidida pelo presidente da Assicurazioni Generali, Gabriele Galateri di Genola, o Quadro de Diretores Assicurazioni Generali aprovou a criação de um Fundo Internacional Extraordinário de até 100 milhões de euros dedicado à luta contra as emergências do Covid-19.

O fundo, o qual presta assistência prioritariamente à Itália, mas também está disponível aos outros países onde a Generali opera, oferecerá assistência imediata nesta crise em rápida evolução e tem o objetivo de apoiar os esforços da recuperação econômica nos países afetados. Os funcionários da Generali poderão doar para o fundo.

O presidente da Assicurazioni Generali, Gabriele Galateri di Genola, e o CEO do Grupo Generali, Philippe Donnet, comentaram: "Com esse fundo extraordinário, nós comprometemos uma pequena parte de nossos recursos para responder, imediatamente, à emergência do Covid-19. A Generali quer ser a líder na comunidade internacional a encarar tanto a crise de saúde quanto a econômica. Todos nós temos que trabalhar juntos para lutar nesta batalha. Nós somos parte tanto da história italiana quanto da europeia e, de acordo com nossa herança, nós precisamos, e vamos, fazer tudo que pudermos para beneficiar o bem estar de todos."

A primeira parcela de até 30 milhões de euros será disponibilizada para ajudar as emergências extraordinárias na Itália. As prioridades de investimento serão decididas junto ao Sistema Nacional de Saúde Italiana e à Proteção Civil Italiana (Protezione Civile), trabalhando junto com a Comissária indicada pelo governo para a emergência do Covid-19.

O fundo remanescente será focado em situações onde o Grupo possa ter impacto direto e significante: os clientes da Generali que estiverem em circunstâncias complexas como o resultado da crise, como pequenas e médias empresas do setor particular, assim como seus funcionários.

.

Coronavírus - II - Com o objetivo de contribuir com o controle da pandemia e manter o compromisso de tornar a experiência em saúde mais humana, a Doctoralia , maior plataforma de agendamento de consultas do mundo, disponibiliza a sua solução para a triagem de pacientes por meio de videoconferência para as instituições do sistema público de saúde interessadas, de maneira gratuita.

Com a ferramenta, os pré-atendimentos, antes realizados em locais de alta circulação de pessoas, serão feitos remotamente. A pré-consulta virtual, além de promover a segurança do enfermo e da comunidade, ainda garante a proteção dos dados dos pacientes, pois segue o padrão americano de criptografia avançada AES e está de acordo com a General Data Protection Regulation (GDPR), a Lei Geral de Proteção de Dados europeia.

"É importante destacar que o projeto não visa a substituir a consulta médica presencial, mas realizar uma orientação prévia, focada na situação de excepcionalidade da pandemia atual do coronavírus, para contribuir com a triagem dos casos, evitar a superlotação em consultórios e hospitais e prevenir a disseminação da doença no Brasil", esclarece o CEO da Doctoralia, Cadu Lopes.

Os gestores que se interessarem em participar do projeto devem entrar em contato por meio do e-mail coronavirus@docplanner.com ou WhatsApp: (41) 9-9898-7190. Para ter mais detalhes, acesse a página www.premium.doctoralia.com.br/coronavirus. "Estamos preparados para ajudar a evitar a proliferação do coronavírus no Brasil. Isso é o mais importante agora", completa Lopes.

.

Coronavírus - III - A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo confirmou hoje (terça, 17) a primeira morte no país em decorrência do novo coronavírus. A pasta, entretanto, não dá detalhes sobre sexo, nem idade da vítima, se ela viajou para o exterior ou se teve contato com alguém contaminado no Brasil. Segundo a Secretaria, essas informações serão detalhadas ao longo do dia pelo governador João Doria.

De acordo com a Secretária Estadual de Saúde, até ontem o Estado de São Paulo tinha 152 casos confirmados de Covid-19. Os casos suspeitos somam 1.777. Em todo o Brasil são 234 casos confirmados, de acordo com o boletim mais recente do Ministério da Saúde, desta segunda-feira.

A prefeitura do município de São Paulo decretou, na manhã desta terça-feira, situação de emergência na cidade em função da pandemia.

Já o governo do estado cancelou eventos públicos culturais e esportivos em locais abertos e fechados e está recomendando que eventos privados também sejam cancelados. Entre as medidas para intensificar o enfrentamento ao Covid-19, anunciadas pelo governo, a partir de hoje, todos os funcionários públicos estaduais de São Paulo com mais de 60 anos, exceto os que trabalham nas áreas de segurança pública e saúde, deverão trabalhar de casa. Já os 153 Centros de Convivência do Idoso ficarão todos fechados por 60 dias.

.

Obesidade Prevenção, alimentação saudável e promoção de atividades físicas. Esses são os pilares preconizados pelo Departamento Científico (DC) de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) no dia 4 de março, data em que é celerado o Dia Mundial de Combate à Obesidade.

De acordo com um estudo publicado em 2017 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), há 124 milhões de crianças e adolescentes obesos em todo o mundo.

No Brasil, segundo dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares, realizado pelo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2008 e 2009, o sobrepeso foi diagnosticado em 33,5% e a obesidade em 14,3% das crianças brasileiras entre cinco e nove anos de idade. Já nos adolescentes de dez a 19 anos, a prevalência de sobrepeso e obesidade foi de 20,5% e 4,9%, respectivamente.

Para a presidente do DC de Nutrologia da SBP, Virgínia Weffort, a estipulação de uma data para falar sobre o problema é de extrema importância, mas as discussões não devem ser limitadas unicamente ao dia. "Durante todos os dias precisamos falar e promover ações sobre essa grave questão de saúde pública. Com a celebração de um Dia Mundial conseguimos chamar atenção para o problema, mas a prevenção deve ser feita em todas as consultas para todas as faixas etárias", enfatiza.

A obesidade de causa nutricional ou exógena é a mais frequente e está diretamente associado à alimentação inadequada, sedentarismo e problemas emocionais. Existem alguns períodos críticos durante a vida nos quais é possível ocorrer o aumento do número de células adiposas (hiperplasia): último trimestre da gravidez; primeiro ano de vida; adolescência.

Além disso, existem ainda alguns fatores que têm relação com o início da obesidade, tais como os genéticos, fisiológicos, metabólicos, ambientais e comportamentais, sendo que os dois últimos podem diminuir ou aumentar a ocorrência dos anteriores. "Prevenir precocemente a obesidade na infância é fundamental para que no futuro essas crianças e adolescentes não desenvolvam problemas como diabetes, colesterol alto, hipertensão e dificuldades respiratórias", exemplifica.

A nutróloga também reforça a importância de sempre abordar o tema nas consultas pediátricas com as crianças e seus familiares, pois os pais e/ou responsáveis fazem parte de um pilar primordial na prevenção da obesidade.

"A família é o modelo na infância e adolescência, logo, se os pais e/ou responsáveis se alimentam de modo adequado e se exercitam, as crianças e os adolescentes seguirão o exemplo. Contudo, da mesma forma, se a família possuir hábitos ruins, eles passarão para a criança também. Desse modo, o pediatra deve falar sobre essa questão desde o pré-natal porque tem que orientar a mãe sobre os alimentos que está ingerindo", explica.

Duas outras questões abordadas pela especialista são: o aleitamento materno e a rotulagem de produtos ultraprocessados. Conforme preconizado pela SBP, OMS e Ministério da Saúde, amamentar o bebê exclusivamente até os seis meses e de forma complementar até os dois anos é fundamental para prevenir a obesidade e suas diversas comorbidades, entre elas, diabetes melitus, hipertensão arterial, arteriosclerose. "A questão da regulamentação da rotulagem precisa avançar aqui no Brasil e, para isso, é necessário pressionar o poder público por leis que desestimulem o consumo de produtos ultraprocessados que contém excesso de açúcar, sódio e gordura", complementa.

Além de uma alimentação equilibrada e saudável, é importante a prática de atividades físicas. "A receita é comer certo e evitar o sedentarismo. O pediatra deve orientar o paciente a utilizar os alimentos (frutas e verduras) da estação e a atividade física pode ser uma caminhada no parque, andar de bicicleta ou passear com o cachorro. Não precisa ser só academia", disse.

Tendo em vista a relevância do assunto, a SBP lançou, em outubro de 2019, a terceira edição do Manual de Orientação Obesidade na Infância e Adolescência produzido pelo DC de Nutrologia.

O documento foi elaborado pelos membros do Departamento Científico de Nutrologia com participação em experts na área, organizado por. Virgínia Weffort, e revisado pelo diretor dos Departamentos Científicos, Dirceu Solé; e presidente da SBP, Luciana Rodrigues Silva, o manual tem por objetivo principal tratar diretrizes para auxiliar ao pediatra no seu cotidiano a utilizar ferramentas simples para estimular a prevenção, estabelecer o diagnóstico, complicações, comorbidades, tratamento, prognóstico e o seguimento de crianças e adolescentes obesos.

Em 240 páginas, os 28 autores tratam de temas como fisiopatologia, dislipidemia, alterações dermatológicas, síndrome metabólica, atividade física visando promover uma vida saudável, entre outros.

"É preciso que o pediatra conheça a epidemiologia, a fisiopatologia, as várias apresentações clínicas, a avaliação diagnóstica e a conduta terapêutica mais apropriada para cada paciente portador desta condição", enfatiza a presidente da SBP, Luciana Rodrigues Silva.

Além disso, a obesidade infantil também será assunto do 18º Congresso Brasileiro de Gastroenterologia e Hepatologia Pediátricas; 4º Congresso Brasileiro de Nutrologia Pediátrica e 1º Simpósio de Suporte Nutricional em Pediatria. Os eventos ocorrerão simultaneamente entre os dias 26 e 29 de agosto, no Centro de Convenções de Goiânia (GO) e são uma realização SBP em parceria com a Sociedade Goiana de Pediatria (SGP).

.

ENDOSSANDO

Autorregulação do corretor de seguros O Clube Corretores Seguros do Grande ABC (CCS-ABC) se reuniu no restaurante Sete Mares, em São Caetano do Sul, em uma reunião de negócios com o presidente do Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Todos os Ramos de Seguros, Resseguros e Capitalização do Estado de São Paulo (Sincor-SP) Alexandre Camillo; e Paulo de Tarso Meinberg, representando o Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, de Resseguros, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Ibracor). Foi discutido e esclarecido as estratégias adotas pelas entidades de classe, incluindo o CCS ABC, para que o corretor de seguros volte a ser uma profissão regulamentada e continue inserido no sistema de seguros.

.

Importação de produtos médicos-hospitalares Grupo formado pelo Ministério da Economia para monitoramento dos impactos do Covid-19 divulgou algumas diretrizes baseadas nas decisões do Ministério da Saúde em linha com a Presidência da República. Entre as providências está a priorização do desembaraço aduaneiro de produtos médicos/hospitalares e redução a zero das alíquotas de importação desses itens. Ainda, fará desoneração temporária de IPI para bens produzidos internamente ou importados, que sejam necessários ao combate do Covid-19, conforme anúncio na noite de ontem.

O diretor comercial da Ativo Soluções em Comércio Exterior, Aron Flemming Brito, salienta que essas três medidas são extremamente importantes para o combate à pandemia no Brasil. "Essas novas diretrizes permitirão a importação em tempo recorde, provavelmente com uso de aviões cargueiros, de materiais como álcool gel, máscaras e outros equipamentos para profissionais da área da saúde, que são os que mais necessitam neste momento", destaca Aron.

No entanto, ainda faltam alguns detalhamentos. "Estamos acompanhando as novas informações para detalhamento de quais itens terão esses benefícios, pois depende da classificação tarifária de cada produto", salienta Aron.

O grupo criado pelo Ministério da Economia é constituído por representantes de todas as Secretarias Especiais tendo como coordenador o secretário-executivo, Marcelo Guaranys. Conforme o ministro da Economia, Paulo Guedes, as dimensões inicialmente monitoradas pelo grupo são: fiscal/orçamentária, creditícia, gestão pública, tributária, setor produtivo, federativa e trabalho/previdência.

.

Ressonância magnética à distância - A ressonância magnética é um dos principais aliados do profissional de saúde para fechar diagnóstico. No entanto, morar distante de grandes centros urbanos pode limitar o acesso aos exames com médicos especialistas. Muitas pessoas que moram no interior precisam enfrentar a estrada para conseguir realizar exames com profissionais especializados.

Para atender a esta demanda e possibilitar que esta parcela da população consiga realizar exames com alta qualidade, a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) apoiou o desenvolvimento o Virtual Operations Center (VOC), tecnologia para comando remoto de aparelhos de ressonância magnética e tomografia computadorizada. O projeto foi desenvolvido pela Unidade Embrapii de Sistemas Inteligentes, Fundação Certi, e a Siemens Healthineers.

"Este projeto é uma demanda de inovação típica da indústria brasileira. Na Alemanha, a Siemens não investiria em um projeto de inovação semelhante, mas no Brasil, pela própria dimensão do país, enxergou em um obstáculo, uma oportunidade para inovar. A empresa contou com a competência técnica da Fundação Certi, que é uma das primeiras Unidades Embrapii, para o desenvolvimento do projeto", destacou o diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães.

Os técnicos responsáveis pelos laudos acompanham, por meio de software, sensores, câmeras e microfones, as etapas dos exames, com permanente comunicação com o paciente e o auxiliar técnico que está operando o equipamento. O modelo também reduz o índice de repetição dos exames, além de aumentar a oferta de serviços e incrementar a complexidade dos exames. Com o VOC, os técnicos podem operar até 3 máquinas ao mesmo tempo e atender mais de um paciente por vez. O desenvolvimento do projeto-piloto foi testado no Brasil pelo Grupo Alliar Médicos à Frente, em São Paulo, e virou uma iniciativa global da empresa alemã.

A inovação também reduz a insalubridade do serviço à medida que os profissionais não estão em contato com a radiação, além de dar mais precisão e eficiência nos resultados dos exames, já que o responsável pelo laudo atenderá apenas a sua especialidade (cabeça, perna pescoço etc). O VOC está sendo exportado para EUA, Alemanha, China e Índia.

A partir da central, é possível fazer adequação dos equipamentos remotamente para a realização de exames, de acordo com as especificações do paciente, histórico clínico e solicitação médica. "Percebemos que num país de grandes dimensões como o Brasil é viável reunir técnicos especializados numa sala remota, acessando o equipamento. As vantagens são redução de custos, melhor qualidade das imagens e maior produtividade dos profissionais", explica o superintendente de negócios da Certi, Laercio Aniceto Silva.

.

Escritório em Brasília Para se aproximar do centro das decisões e atividades do Governo e agências regulatórias, Legislativo e Judiciário, a Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde (Abimed) acaba de inaugurar um escritório em Brasília.

A nova sede ficará sob o comando de Felipe Dias Carvalho, gerente regional de Relações Institucionais e Governamentais. Para ele, a nova sede é uma resposta da associação à necessidade de dar um suporte ainda maior às empresas associadas da Abimed junto ao Poder Público.

Segundo Fernando Silveira Filho, presidente-executivo da Abimed, a abertura do novo escritório representa um diferencial na atuação da entidade e uma oportunidade de intensificar o diálogo com as instâncias decisórias.

"O setor de dispositivos médicos que a Abimed representa é altamente regulado e demanda muita interação entre a indústria e os agentes regulatórios. Além disso, pela característica da associação, que sempre contribuiu muito com o Governo na discussão de políticas públicas, é importante ficar mais próximo de ministérios como o da Saúde e da Economia", afirmou.

Walban Damasceno Santos, presidente do Conselho de Administração da Abimed, destacou que a associação desempenha um papel muito importante como representante de empresas que buscam soluções inovadoras para melhorar a qualidade da Saúde e o desenvolvimento socioeconômico do país.

"Temos o compromisso e a responsabilidade como setor de trabalhar para ampliar o acesso da população a tecnologias médicas que ajudem a salvar e prolongar vidas, prevenir doenças e promover uma saúde com qualidade, além de melhorar a gestão e sustentabilidade dos sistemas público e privado de saúde", disse.

A Abimed representa cerca de 200 empresas de tecnologia avançada na área de equipamentos, produtos e suprimentos médico-hospitalares, que geram mais de 140 mil empregos e respondem por 65% do faturamento do segmento médico-hospitalar no país.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor