SEG NOTÍCIAS - Justiça obriga plano de saúde a fornecer remédio

Em BH, aposentado tem doença inflamatória intestinal e está com imunidade baixa.

Seguros / 17:10 - 13 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O juiz da 2ª Vara Cível de Belo Horizonte, Sebastião Pereira dos Santos Neto, obrigou a Unimed-BH a fornecer medicamento para um aposentado que tem doença inflamatória intestinal crônica, sob pena de pagar multa diária de R$ 2 mil.
Diabético, o paciente foi diagnosticado com a doença há mais de 10 anos, mas não tem obtido resultado com o atual tratamento médico. Com isso, sua imunidade está baixa, e ele corre risco de contrair outras doenças, especialmente, nesse período da covid-19.
O médico que acompanha o aposentado recomendou o tratamento com Vedolizumabe por causa da gravidade do caso, mas o plano de saúde se negou a fornecer o remédio.
Segundo a Unimed-BH, o tratamento prescrito pelo médico não consta no rol de procedimentos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
O juiz Sebastião Pereira Neto analisou o relatório médico e ressaltou que não restam dúvidas que o medicamento é imprescindível e urgente para a possível cura ou paralisação da doença.
Segundo o magistrado, independentemente de se aplicarem os termos da Lei 9.656/98 ou do Código de Defesa do Consumidor, "o pedido inicial para compelir a ré a arcar com o fornecimento e aplicação do medicamento deve ser deferido, haja vista que, tratando-se paciente acometido de doença grave (retocolite ulcerativa), não há dúvidas que o bem jurídico maior é a vida", disse.
.
Gestão do Instituto de Previdência de Nilópolis é uma das mais transparentes do Rio
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) divulgou uma pesquisa em que reconhece a gestão do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Nilópolis (Previnil) como uma das mais transparentes do Estado.
O Projeto Edificando o Controle Interno, realizado pelo Centro e Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania do MP-RJ fez uma avaliação das gestões de 64 regimes próprios de Previdência Social (RPPS) e o órgão apontou que Nilópolis é o segundo mais transparente, perdendo apenas para o Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Armação dos Búzios (BúziosPrev).
O instituto nilopolitano desbancou inclusive a Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro (Previrio) e o Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Rioprevidência) que figuram, respectivamente, na 8ª e 21ª colocação.
A boa colocação no ranking é o resultado de ações realizadas pela presidente Danielle Villas Bôas Agero Corrêa:
"Transparência na gestão de órgãos públicos é obrigação. Para a nossa equipe isso é também uma filosofia de trabalho. A transparência gera a credibilidade e esse é o nosso objetivo: ser transparentes e eficientes. Combinar isso com harmonização e reafirmamos a credibilidade que o Previnil ganhou nos últimos anos", disse.
O Projeto Edificando o Controle Interno é um programa que busca fomentar a adoção de boas práticas de gestão nos órgãos públicos, bem como aferir a transparência desses órgãos.
O relatório da pesquisa aponta a previdência de Queimados em segundo lugar na Baixada Fluminense, seguida das de Nova Iguaçu, São João de Meriti, Mesquita, Seropédica, Japeri e Belford Roxo.
.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Webinar A estreia da série de webinars técnicos da Confederação Nacional das Seguradoras (WebTec), ocorrida nesta quinta-feira, 09, com moderação do presidente da CNseg, Marcio Coriolano; exposição do economista do Comitê de Estudos de Mercado da CNseg, Pedro Simões, e comentários do economista do professor de Economia e decano do Centro de Ciências Sociais da PUC-Rio, Luiz Roberto Cunha, deixou pelo menos uma certeza: não há qualquer garantia de que os sinais de recuperação da atividade econômica, exibidos em maio por vários indicadores locais ou globais, serão contínuos, perenes ou sustentáveis. Entre os propósitos, o webinar técnico teve o objetivo de fornecer novos elementos para posicionamento estratégico do setor de seguros, informou o presidente da CNseg, Marcio Coriolano.
Marcio Coriolano repetiu o prognóstico de um ano difícil para o setor segurador, atividade que está entre os maiores investidores institucionais, com R$ 1,1 trilhão em recursos que garantem os riscos e que representam 25% da dívida pública brasileira. Para ele, a recuperação da economia ocorrerá lentamente, e os segmentos de seguros deverão ter comportamento heterogêneo, acompanhando a retomada da produção, a taxa de ocupação e a renda dos trabalhadores, que, por sua vez, afetam os segmentos de forma diferente. Ainda durante o encontro, Marcio Coriolano, ao destacar a amplitude do seguro em termos de proteção oferecida à sociedade e de investidor institucional, ressaltou que o setor ainda não tem sua relevância plenamente no meio econômico. O setor, acrescentou, cumpre uma missão civilizatória de mitigar riscos e, na sua ocorrência, desonerar atores sociais e econômicos.
O economista Pedro Simões, que palestrou sobre o tema, apresentando amplo e diverso elenco de indicadores, disse acreditar que a flexibilização da quarentena horizontal em todo o mundo deve se consolidar, refletindo-se nos índices a curto prazo. Há uma onda de otimismo global, uma consequência do esgotamento econômico e psicossocial do shutdown, e, em razão disso, um certo consenso de que os processos de isolamento social não ocorrerão na proporção do primeiro semestre do ano. Para ele, os protocolos para evitar a proliferação do contágio e a crença de que a descoberta da vacina para a cura se avizinha estão por trás dessa percepção mais otimista dos mercados globais. De qualquer forma, o número de novos casos amplia-se, mas há um viés de estabilidade ou queda na taxa de óbitos, assinalou.
Entre outros comentários, o economista Luiz Roberto Cunha adiantou que, entre outros riscos, o endividamento público decorrente dos gastos públicos para mitigar os impactos da Covid-19 está no radar de todos os agentes econômicos, porque tem enorme potencial de gerar danos ao bom ambiente de negócios, dadas as fragilidades fiscais do governo.
Nos EUA, as despesas emergenciais contribuíram para elevar a poupança interna, algo próximo de 33% atualmente, e, à proporção que haja maior nível de confiança, tais recursos devem ser dirigidos ao consumo. No Brasil, acredita-se também que os recursos destinados a socorrer pessoas em situação de vulnerabilidade e trabalhadores contribuem para alguma reação apresentada em um pequeno grupo de atividades.
.
Super Week Transportes A Porto Seguro promove até a próxima sexta-feira, 17 de julho, a Super Week Transportes. A ação, que contempla os corretores de São Paulo (tanto da capital como da Região Metropolitana), Centro-Oeste, Sul e Minas Gerais, incentiva a geração de novos negócios e traz condições e benefícios especiais aos corretores.
Entre os incentivos ofertados pela companhia, os Corretores receberão 2% extra nos seguros de Embarcador e Transportador a averbar, durante a primeira vigência da apólice. Também terá vale-presentes de R$ 50 para o fechamento de seguros avulsos, a cada R$ 2 mil em prêmio emitido para seguros protocolados nesta semana. E vale-presentes de R$ 100 para o fechamento do seguro Transportes Mais Simples, a cada novo protocolado nesta semana. Fechando seguros dos segmentos combustível, alimentício, higiene/limpeza e materiais de construção, a premiação passa a ser R$ 130.
Para Rose Matos, gerente do Porto Seguro Transportes, as condições oferecidas nesta Super Week reforçam o compromisso da companhia com os corretores. "O mercado como um todo foi afetado nesse período de pandemia e estamos com uma boa expectativa para a retomada do setor de transportes de cargas, com a abertura gradual dos comércios. Trazer esses incentivos para os nossos principais parceiros, que são os corretores, é uma forma de reconhecer a importância que têm para a companhia", comenta. "Nossa dica é que continuem investindo em segmentos que contribuirão para o reaquecimento da economia, como combustíveis, têxteis, alimentício e construção. E eles contam com o nosso time especializado para auxiliar em todo o processo", reforça.
Entre os produtos participantes da Super Week Transportes, estão: Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Carga (RCTR-C) e o Responsabilidade Civil Facultativa por Desaparecimento de Carga (RCF-DC). Ambos destinados aos transportadores. Já para os embarcadores, participam os produtos: Porto Seguro Transportes Embarcador, Porto Seguro Transportes Embarcador Programável, Porto Seguro Transportes Mais Simples, e o Porto Seguro Transporte Internacional. Além do recente lançamento da companhia, que é o Responsabilidade Civil Ambiental Transportes.
Para saber mais sobre a Super Week Transportes, o corretor pode entrar em contato na central de atendimento Transportes pelo: (11) 3366-3380 ou 0800 727 2755 e também através do Corretor Online: www.corretor.portoseguro.com.br/corretoronline.
.

ENDOSSANDO

Gestão de Riscos - Do ponto de vista dos negócios do mercado de seguros, a Risk Manager da Essor Seguros, Elvira Lanzillotta, acredita que uma das áreas que a pandemia vai afetar nas empresas é a gestão de riscos, uma vez que a probabilidade de que eventos dessa natureza se repitam aumenta significativamente.
"É importante enxergarmos que a pandemia, apesar de seus impactos negativos, nos traz grandes lições. Cabe a nós aproveitarmos esse momento para reflexão e aprendizado, para que possamos sair mais fortalecidos e preparados para o futuro", ela reflete.
Falando sobre as possibilidades de novos produtos, Elvira afirma que a prioridade de otimizar a experiência do cliente, facilitando a aquisição dos produtos por meio de plataformas digitais simples e ágeis, se torna ainda mais latente na companhia.
"Toda crise motiva a busca de novas soluções e impulsiona a inovação, que é o DNA da Essor. Estamos atentos às necessidades do mercado e em busca de oportunidades, seja por meio de produtos diferenciados, novas parcerias ou novas formas de ofertar os produtos. Estamos sempre prontos a ouvir e avaliar novas ideias", garante.
A executiva conta que, por pertencer ao grupo ressegurador Scor, a seguradora tem acesso à experiência e ao conhecimento de diversos especialistas no mundo todo para os estudos de novos negócios, sempre aliados a uma gestão de riscos efetiva.
No entanto, faz questão de ressaltar que, para que essa importante bagagem seja efetiva e tenha se mantido assim - e até se fortalecido - durante esse período de adversidade, a resiliência da equipe foi um dos principais fatores de sucesso. "Aprendemos que quando existe união e engajamento de todos, qualquer barreira pode ser rompida", comemora.
Além disso, a Essor se aproximou ainda mais de seus clientes e corretores, com envolvimento de suas parcerias, para melhor entender e atender às necessidades nesse momento de crise. Isso permitiu coletar informações importantes para a adoção de estratégias para manutenção de seus clientes. "Disponibilizamos também em nosso Portal do Corretor um novo canal de comunicação, a ferramenta de chat, que dá ao corretor a agilidade necessária para atender de forma mais eficiente seus clientes", exemplifica Elvira.
Com base nessa experiência tão positiva, a Essor pretende adotar a política de home office mesmo após a pandemia, de forma a oferecer qualidade de vida aos seus funcionários e, ao mesmo tempo, otimizar os recursos de infraestrutura da seguradora. "Os critérios para a política de home office ainda estão sendo estudados", pontua a Risk Manager.
Outro legado deixado serão as tecnologias utilizadas para viabilizar esse modelo de trabalho. "Já existem melhorias em andamento para otimização do uso do ambiente remoto e a tendência natural é que, à medida em que as tecnologias evoluam, novas ferramentas sejam implementadas. A constante ação da TI é essencial também para a efetiva gestão dos riscos ligados à segurança da informação, que se tornam ainda maiores nesse novo contexto", conclui.
.
Telemedicina Nos últimos cinco anos os planos de saúde tiveram uma perda de quase 3 milhões de associados. Alguns fatores explicam essa perda: no ano passado, por exemplo, o reajuste do valor dos planos foi de 8,5% em relação ao ano anterior, índice bem acima da inflação. A crise econômica também intensificou essa evasão, já que muita gente ingressou na lista de desempregados. Além disso, muitas empresas cortaram o benefício para manter os postos de trabalho.
De olho nessa realidade, há seis anos a plataforma online VidaClass promove acesso a serviços médicos, dentistas, exames de imagens e laboratoriais e consultas multiprofissionais, buscando integrar e estreitar, dessa forma, o acesso à saúde para as pessoas que não possuem plano de saúde e que não querem utilizar o SUS. "Mesmo tendo o melhor projeto de serviço público de saúde, como é o caso do SUS no Brasil, muitas pessoas optam por não esperar tanto tempo pelo atendimento médico e VidaClass é uma ferramenta que pode agilizar e facilitar o atendimento", explica Vitor Moura, CEO da plataforma.
A VidaClass oferece consultas a partir de R$ 35 e exames a partir de R$ 2,80; serviços de telemedicina que promovem consultas por vídeos chamadas; serviços de seguros que garantem internação hospitalar, vida e assistência, além de produtos que disponibilizam descontos e entrega em domicilio de medicamentos; a plataforma VidaClass pode ser enquadrada como exemplo de tecnologia voltada para o bem estar das pessoas, já que une pacientes e médicos por geolocalização e pode ser um suporte para os quase 170 milhões de brasileiros que não possuem plano de saúde e que precisam de algum tipo de atendimento médico.
Para utilizar o aplicativo, o paciente escolhe o profissional desejado por meio de filtros, como preço, distância e especialidade. Quando os três combinam, a plataforma encontra a opção que mais se encaixa no interesse do paciente e finaliza a solicitação. Além disso, a ferramenta mostra com clareza quem são os profissionais disponíveis e os descontos oferecidos. A VidaClass, é uma opção para usuários que precisam de consultas ambulatoriais e também para aqueles que em tempos de pandemia, não querem se arriscar a sair do isolamento.
A plataforma oferece serviços médicos, odontológicos, de diagnóstico, de tratamentos, exames laboratoriais e de imagem, além de seguros de diária internação, produtos customizados para categorias profissionais específicas e, também descontos em medicamentos, farmácia online e consultas online.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor