SEG NOTÍCIAS - Motociclistas são quase 80% das indenizações do Dpvat

Do total, 90.581 beneficiaram pessoas que ficaram com algum tipo de invalidez permanente.

Seguros / 17:04 - 28 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Motociclistas lideraram as indenizações pagas no primeiro semestre deste ano pelo seguro Dpvat, que cobre danos pessoais em acidentes por veículos automotores em vias terrestres. Segundo a Seguradora Líder, de janeiro a junho foram pagas 125.395 indenizações a vítimas de acidentes envolvendo motocicletas, o que representa 79% dos 158.728 benefícios concedidos nesse período.
Do total de indenizações pagas aos motociclistas, 90.581 beneficiaram pessoas que ficaram com algum tipo de invalidez permanente, 26.686 receberam o reembolso de despesas médicas e suplementares após os acidentes e 8.128 foram destinadas a famílias indenizadas por morte.
O Dpvat pode ser destinado a qualquer cidadão acidentado em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre, e oferece três tipos de cobertura: morte (valor de R$ 13,5 mil), invalidez permanente (de R$ 135 a R$ 13,5 mil) e reembolso de despesas médicas e suplementares (até R$ 2,7 mil). A proteção é assegurada por um período de até três anos após o acidente.
Durante a pandemia de Covid-19, a Seguradora Líder está disponibilizando canais para que as vítimas deem entrada no seguro sem sair de casa, como a central de atendimento telefônica (4020-1596, para capitais e regiões metropolitanas, e 0800 022 12 04, para outras regiões), além do aplicativo Seguro Dpvat disponível para download na Apple Store ou Google Play.
Criado em 1974, o Dpvat é um seguro obrigatório, pago anualmente pelos proprietários de veículos (carros e motocicletas) no Brasil, juntamente com a primeira parcela ou na cota única do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Se o veículo for isento do IPVA, o seguro Dpvat deve ser pago junto com o licenciamento anual ou com o serviço de emplacamento.
.
Trabalhador deve pagar mensalidades de plano usado durante licença-saúde
A Terceira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) manteve decisão de primeiro grau que determinou a um trabalhador o pagamento das mensalidades de seu plano de saúde relativas ao período em que estava em gozo de benefício previdenciário decorrente de licença-saúde. Para a relatora do caso, desembargadora Cilene Ferreira Amaro Santos, o princípio da dignidade da pessoa humana e o princípio protetivo do hipossuficiente não podem ser utilizados para autorizar o empregado a usufruir de plano de saúde sem o devido pagamento.
A empresa ajuizou a ação de cobrança para ser ressarcida das parcelas do plano de saúde de responsabilidade do ex-empregado, que não foram descontadas em seu contracheque em razão de ele estar de licença-saúde, com percepção de benefício previdenciário. Segundo a empresa, essa dívida do trabalhador com a empresa já foi reconhecida em outro processo trabalhista, mas o desconto nas verbas rescisórias foi limitado em razão do disposto no artigo 477 (parágrafo 5º) da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), segundo o qual qualquer compensação no pagamento das verbas rescisórias “não poderá exceder o equivalente a um mês de remuneração do empregado”. Em defesa, o trabalhador alegou que a empresa deveria ter lhe dado a opção de cancelamento do plano de saúde no período do afastamento, o que não foi feito e que tais parcelas foram descontadas de sua rescisão.
O juízo de primeiro grau deferiu o pedido da empresa para que os seus créditos perante o trabalhador fossem compensados com os valores decorrentes da condenação da empresa naquele processo. O trabalhador recorreu da decisão ao TRT-10, afirmando que a empresa não lhe deu a oportunidade de se manifestar sobre a continuidade de uso do plano de saúde durante o período que esteve afastado em licença médica, sem a percepção de salário.
Em seu voto, a relatora do caso explicou que, após a dispensa, o desconto que o trabalhador teve em suas verbas rescisórias, referente às parcelas do plano de saúde no período em questão, foi limitado, na forma prevista no art. 477 (parágrafo 5º) da CLT. No entanto, foi reconhecida a dívida do empregado pelas demais parcelas do plano de saúde que eram de sua responsabilidade, mas que foram quitadas pela então empregadora. Lembrou, ainda, que na ação anterior, mencionada pela empresa, ficou estabelecido que a empregadora pagou o plano de saúde do empregado e que ele - e seus dependentes - utilizaram o plano de saúde durante o período em que estava de licença saúde. Mas, segundo a relatora, não foi possível ao empregador descontar todo o valor devido exatamente em razão do dispositivo da CLT.
A jurisprudência trabalhista aponta no sentido de que o empregador não pode cancelar o plano de saúde durante o benefício previdenciário, lembrou a desembargadora. Logo, eventual cancelamento deveria ter sido realizado pelo empregado. Dessa forma, a alegação de que o empregador não lhe ofereceu o cancelamento do plano não autoriza o empregado e seus dependentes a continuarem a usar o plano de saúde sem o devido pagamento ao empregador. No caso, o empregado não só não se manifestou quanto ao cancelamento do plano, como seguiu usando do plano durante o benefício previdenciário, junto com seus dependentes. Diante desse quadro, ele deve ao empregador as mensalidades do plano que não foram descontadas durante o período de benefício previdenciário.
Para a desembargadora, o empregado se afastou em licença saúde e continuou usando o plano de saúde sem cuidar de pagar as mensalidades. O princípio da dignidade da pessoa humana e o princípio protetivo do hipossuficiente não podem ser utilizados para autorizar o empregado usufruir de plano de saúde sem o devido pagamento, concluiu a relatora ao negar provimento ao pleito, mantendo a decisão de primeiro grau.
.
Corretor de seguros pode ser eleito o melhor deputado do país
 
O deputado federal Lucas Vergilio (SD-GO), que é corretor de seguros, presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do estado (Sincor-GO) e vice-presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de Capitalização, de Previdência Privada, das Empresas Corretoras de Seguros e de Resseguros (Fenacor), foi indicado como um dos melhores parlamentares do Brasil e concorre ao "Prêmios Congresso em Foco", na categoria "Melhor Deputado".
A participação de corretores de seguros de todo o Brasil nessa votação é muito importante, pois a eleição de Lucas Vergilio servirá para dar mais visibilidade e, consequentemente, fortalecer a luta em defesa dos interesses da categoria, que tem enfrentado alguns batalhas relevantes no Congresso Nacional.
 O processo de votação é bem rápido e simples. Basta acessar o endereço eletrônico https://premio.congressoemfoco.com.br, confirmar seus dados e votar em Lucas Vergilio na categoria "Melhor Deputado".
.
Fenômenos naturais - Seja para a residência, o condomínio ou para uma empresa, contar com a proteção de um seguro é fundamental para evitar que o contratante sofra com possíveis prejuízos em casos de sinistros. Jarbas Medeiros, diretor de Ramos Elementares da Porto Seguro, destaca que esse pensamento tem ganhado cada vez mais espaço, mas que é fundamental reforçar o discurso da necessidade da contratação de um seguro para que essa importância não apareça apenas quando o sinistro ocorra.
"A cultura do seguro no Brasil tem ganhado cada vez mais notoriedade. É claro que, quando ocorrem sinistros de ordem da natureza ou com repercussão nacional, fica ainda mais evidenciada essa importância. É fundamental que os nossos parceiros Corretores evidenciem as coberturas adicionais, como as referentes aos sinistros em fenômenos naturais, aos clientes" ressalta Jarbas.
No caso de fenômenos naturais, a Porto Seguro oferece coberturas adicionais específicas nos segmentos residencial, empresarial e no seguro para condomínios.
No primeiro caso, independentemente do plano adquirido, é possível contratar cobertura em casos de ventos fortes (vendaval, ciclone, furacão e tornado) e chuvas de granizo, com o amparo às casas ou apartamentos, bem como a reposição de bens que estiverem dentro da residência. Também é possível ter proteção em caso de queda de raios ou variações de energia que podem causar a queima de eletrodomésticos e eletroeletrônicos em geral, contratando a cobertura de danos elétricos.
No segmento de empresa, a Porto Seguro oferece soluções a mais de 200 atividades, dentre elas escritórios, bares e restaurantes, academia, consultórios, escolas, pet shops, hotéis e pousadas, dentre outros. Sendo assim, suas coberturas são personalizáveis e atendem às necessidades de cada atividade. Porém, em linhas gerais, o seguro empresarial garante cobertura para danos a partir de eventos com forte ventania (vendaval, ciclone, furacão ou tornado) e chuva de granizo, que causem o destelhamento do imóvel, danos à letreiros, janelas, portas e, inclusive, aos equipamentos e mercadorias, sejam elas danificadas ou molhadas pelos fenômenos. Além disso, assim como no segmento residencial, há cobertura para danos elétricos amparando a empresa caso ocorra queima de máquinas e equipamentos eletroeletrônicos.
E, para condomínio, o seguro oferece garantia sobre os danos materiais provocados por ventos fortes nas áreas comuns do condomínio e na estrutura do prédio em uma cobertura que também ampara essa situação em casos de impactos de veículos. No caso de fortes chuvas, há ainda uma cobertura específica que garante os danos materiais em casos de alagamentos e cobertura dos danos elétricos para proteção de elevadores e equipamentos das centrais de segurança e monitoramento, por exemplo.
É importante ressaltar que as coberturas relacionadas aos fenômenos naturais são apenas uma parte das coberturas existentes nestes três produtos citados acima. Em todos os produtos os clientes também contam com serviços emergenciais como reparos elétricos, hidráulicos, substituição provisória de telhados, entre outros, que são muito necessários e importantes nesses momentos.
Aos corretores, é importante que tenham no repertório as coberturas citadas, bem como todo o conteúdo das apólices dos produtos. Isso facilita o entendimento dos contratantes e reforça a importância do seguro nas mais diferentes frentes. E se você quer contratar um seguro, procure um corretor e veja qual atende melhor às suas necessidades.
.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
Mesa Redonda - O presidente da HDI Seguros, Murilo Riedel, participará, no próximo dia 30 de julho, às 14h30, do programa Mesa Redonda do Seguro, iniciativa do portal CQCS. Transmitido pelo canal YouTube, o programa reúne jornalistas do setor de seguros que entrevistam executivos do mercado, abordando temas atuais e relevantes para todo o segmento.
"Debater o novo cenário de seguros com quem está no dia a dia cobrindo as notícias relacionadas ao setor é uma forma importante de ajudar os corretores, compartilhando nossas percepções e aprendizados em relação às mudanças e às tendências que estão por vir. A proposta do Mesa Redonda do Seguro é muito interessante e acredito que os debates que estão promovendo terão papel crucial na construção do futuro do nosso mercado", avalia Murilo.
Durante a conversa com os jornalistas o presidente da HDI vai discutir as mudanças que têm impactado o mercado de seguros, as ações realizadas durante a pandemia, a importância do atendimento digital no novo cenário e, claro, o papel da inovação nos negócios. O programa contará com a mediação de Gustavo Doria Filho, fundador do CQCS, e terá a participação de Kelly Lubiato (Revista Apólice), Paulo Kato (Revista Cobertura), Sérgio Victor (Seguro Nova Digital), Mauricio Gonçalves (Revista Segurador Brasil), Ivanildo Sousa (Agência SegNews) e Ivan Netto (CQCS).
O endereço do evento é https://www.youtube.com/channel/UC3hYrXQJ5DmQ53wl_0il.
.
ENDOSSANDO
Artigo sobre pandemia - "O que de fato estamos vivenciando é aceleração de processos e tendências que ainda levariam algum tempo para amadurecer e se tornar realidade em alguns mercados. A sensação é de que o futuro chegou mais rápido do que imaginávamos", diz o artigo publicado nesta quarta-feira, dia 22 de julho, no site do Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ): www.cvgrj.com.br.
O texto, de autoria do diretor comercial da Capemisa Seguradora, Fabio Lessa, traz exemplos sobre essas tendências, quais deverão ser os seus impactos nos negócios do mercado de seguros e como o consumidor tem encarado as mudanças.
A cada semana, uma nova análise de especialistas do mercado em relação ao momento atual, diante da pandemia do coronavírus, é publicada no site da entidade. Essa é uma iniciativa para levar informação e conhecimento atualizados aos profissionais que atuam no setor, em especial no segmento da maior importância para a proteção da população brasileira: o seguro de Pessoas e Benefícios.
.
Modelo para expansão A Baeta Assessoria anuncia a criação de um novo modelo de atendimento para expandir a parceria com corretores de seguros em todo o Brasil: as Unidades de Suporte. Com sede na capital do Rio de Janeiro e escritórios em toda a região fluminense, inclusive um recém-inaugurado em Angra dos Reis, a empresa do Grupo Baeta investe agora no fortalecimento de sua atuação nacional.
"Devido à excelência do nosso serviço e ferramentas que disponibilizamos a esses profissionais, surgiram muitos pedidos de representações da Baeta em outros Estados. Já em agosto, iniciaremos a operação de três Unidades de Suporte: no Paraná, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina", conta o diretor da assessoria, João Arthur Baeta Neves.
As Unidades de Suporte serão responsáveis pela prospecção de novas corretoras de seguros para integrar a Assessoria, além de viabilizarem o suporte técnico, comercial e operacional a essas empresas. "Para isso, contaremos com profissionais com know how e bom relacionamento com a categoria", garante João Arthur.
O diretor explica que, ao se unir à Baeta Assessoria, esses representantes passam a ter acesso a todos os serviços do Grupo - que englobam desde ferramentas voltadas ao marketing digital e à captação de leads até plataformas multicálculo e gestão de carteira, treinamentos e campanhas exclusivas - para ofertar aos corretores locais.
Os interessados em abrir uma Unidade de Suporte da Baeta devem acessar: www.baeta.com.br/unidade-de-suporte.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor