27.6 C
Rio de Janeiro
terça-feira, janeiro 19, 2021

SEG NOTÍCIAS – Pacto Nacional pela Saúde é prioridade para 2021

Novo presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), o ginecologista e obstetra César Eduardo Fernandes, considera urgente repensar o sistema de saúde em prol da qualificação da assistência, além da imediata valorização dos médicos:
“A disputa política nos moldes em que ocorre hoje é entrave aos interesses em saúde da população”.
Presidente eleito pela chapa de oposição Nova AMB, ao período 2021-2023, César Eduardo Fernandes toma posse daqui alguns dias, em janeiro. De carreira acadêmica longa e respeitada, graduou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Lá, fez Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, Mestrado e doutorado em Tocoginecologia. Além disso, é livre-docente pela Universidade Federal da Bahia e professor titular da Faculdade de Medicina do ABC.
“O Sistema Único de Saúde, nosso SUS, é uma proposta admirável e vanguardista em termos de integralidade e universalidade da assistência. Todos os médicos brasileiros compartilham desta opinião, assim como temos admiração internacional pelo formato do SUS. Ocorre que entre a teoria e a prática, há uma distância que só cresce, em virtude de falta de vontade política, insuficiência de investimentos, equívocos em gestão, corrupção e por aí segue.”
Segundo ele, os reflexos deste conjunto de dificuldades foram (e continuam sendo) sentidos de maneira perversa na pandemia. “Não estávamos – como não estamos – preparados para responder nem a demandas corriqueiras quanto mais as graves. Perdemos e continuamos computando óbitos de milhares de brasileiros, entre os quais colegas médicos. Patinamos em debates inúteis, em vez de apoiar o posicionamento das autoridades de saúde mundial e adotar protocolos organizados e mais efetivos. Assim, o negacionismo ganhou asas. Agora mesmo estamos pagando a segunda parcela da conta da irresponsabilidade com o aumento de casos em todo o país com o recrudescimento do número de casos e de óbitos.”
Segundo ele, a disputa política colidiu com os interesses em saúde pública: “Saúde é coisa séria, trata de vidas, não pode ser levada ao improviso ou aos ventos de ideologias. Temos de unir médicos, todas as nossas entidades, assim como a sociedade para repensar o sistema brasileiro, para tratar a saúde como política de Estado, não como questão partidária. O Brasil não pode adiar essa urgência de seus cidadãos. Ao tomar posse na AMB, convidaremos para esse debate instituições como OAB, CNBB, entre outras. Queremos o país todo envolvido em um pacto nacional por saúde aos brasileiros. Uma país respeitável se faz com gente saudável e bem cuidada.”
César também lembra que há duas décadas, “os médicos solicitam a intervenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para tornar mais equilibrada e justa a relação entre as operadoras de planos de saúde, eles, os laboratórios, os hospitais e os pacientes. A classe médica busca a construção de um sistema em que as pessoas (usuárias) tenham coberturas para suas principais demandas em Saúde, segurança e autonomia para o exercício da boa medicina, além de remuneração adequada à importância de cuidar de vidas humanas. Lamentavelmente, em tempos recentes, vemos a ANS cada vez mais dissociada de sua missão de ‘promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde, regular as operadoras setoriais – inclusive quanto às suas relações com prestadores e consumidores – e contribuir para o desenvolvimento das ações de Saúde no país’.”
Ele também lembra que ao não exercer o seu papel institucional, a ANS confere poder ilimitado às operadoras, que descredenciam médicos e demais prestadores de serviços sem critérios claros, inúmeras vezes sem justificativas; e impõem honorários indignos e, em situações não raras, até sem contratos ou com termos de adesão que não podem ser negociados. Modelos de relacionamento das operadoras, burocráticos e pouco transparentes no pagamento de honorários, facilitam glosas, impossibilitando unilateralmente que os profissionais recebam honorários pelos serviços prestados. “Diante de tais abusos, a ANS se esconde atrás de siglas, nomenclaturas, procedimentos, posicionamentos controversos e muita burocracia para mascarar o não cumprimento de suas obrigações. Com tais subterfúgios, ao continuar ignorando todas as dificuldades enfrentadas pelos médicos e demais prestadores de serviços vinculados de alguma maneira às operadoras de planos de saúde – em razão de justificativas como essas -, a ANS atesta inoperância endêmica e sequer faz cumprir o que determina a legislação em vigor.”
.
Circular Susep – Desde a segunda-feira, dia 4, as regras e critérios para a operação de seguros do grupo patrimonial estão simplificadas para os chamados planos massificados: (I) seguros compreensivos; (II) seguros de lucros cessantes; (III) seguros de riscos de engenharia; e (IV) seguros de riscos diversos.
Consumidores dos mercados supervisionados pela Susep já podem registrar suas reclamações diretamente na plataforma www.consumidor.gov.br.
Desde 1º de janeiro, consumidores dos mercados supervisionados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) deverão registrar suas reclamações diretamente no site Consumidor.gov.br, plataforma oficial da administração pública federal para a autocomposição nas controvérsias em relações de consumo.
.

ENDOSSANDO


Insurtech – O investimento do fundo de Private Equity da XP é de R$ 275 milhões, a ser utilizado para suportar a expansão do portfólio da companhia para novas modalidades de seguro e a aceleração da estratégia tecnológica para contratação de seguros.
O FIP XP Private Equity, gerido pela XP Asset, anuncia a aquisição de participação minoritária na Pottencial Seguradora, empresa líder na modalidade de seguro garantia e uma das principais seguradoras no mercado de fiança locatícia. A empresa atua também nos segmentos de seguro residencial, risco engenharia e riscos diversos.
Fundada em 2010, a Pottencial se posiciona como uma insurtech de grande porte, unindo agilidade de uma startup com a solidez de uma líder de mercado. A companhia é reconhecida pelas soluções inovadoras que entrega aos clientes e pela eficiência e agilidade na emissão de apólices, resultado da qualidade e expertise de seus processos de subscrição e dos constantes investimentos na área de tecnologia. Atualmente, a Pottencial possui 240 colaboradores, sendo 40% dedicados à área de desenvolvimento tecnológico, buscando aprimorar produtos e processos de acordo com a necessidade dos clientes e promovendo um atendimento personalizado. A empresa foi a primeira seguradora a registrar apólices, de forma eletrônica junto à B3, no seu Sistema de Registro e Operações, em atendimento às novas exigências regulatórias anunciadas pela Susep no mês passado.
Segundo Zeca Rudge, presidente do Conselho de Administração da Pottencial, “ao longo dos últimos anos, com a criação de um Conselho de Administração com membros independentes e altamente qualificados, além da formação de comitês de auditoria interna e compliance, gente e riscos dentre outros, a companhia tem focado em se tornar referência em governança corporativa e profissionalização”. A Pottencial tem rating de risco A-(bra) pela Fitch desde 2015.
Além de contribuir com a governança, o investimento será um reforço na base de capital da companhia e suportará o desenvolvimento de novas linhas de produto nos próximos anos. De acordo com Chu Kong, head do fundo de Private Equity da XP, “a Pottencial tem um histórico consistente de crescimento e entrega de resultado. A empresa vem transformando o setor de seguros com novas tecnologias para melhorar a experiência do cliente, com produtos personalizados, além de agilizar os processos e aumentar sua eficiência. O mercado de seguros se transformou significativamente nos últimos anos e a Pottencial se posiciona como uma referência no conceito de insurtech para capturar essa transformação digital através do foco no uso de big data e inteligência artificial”.
O CEO da seguradora, João Géo Neto, adiciona que o DNA inovador do fundo de Private Equity da XP permitirá que a Pottencial siga crescendo de forma sustentável em todo o país. “Estamos muito felizes com esta parceria, pois somos empresas com características muito semelhantes, que priorizam o respeito aos colaboradores, clientes e parceiros, e que permitirá à seguradora distribuir novos produtos, principalmente, para as pessoas físicas. Sem dúvida alguma esta união de forças vai impulsionar ainda mais o crescimento da Pottencial, pois observamos uma grande sinergia de distribuição dos produtos da Pottencial para os clientes da XP”, afirma.
.
Seguradora de saúde – A Haven, seguradora de saúde resultante de joint venture entre a Amazon, a seguradora Berkshire Hathaway e o banco J.P. Morgan & Chase, anunciou que vai encerrar suas operações em fevereiro, três anos depois da criação. Um comunicado publicado no site da seguradora afirma que “nos últimos três anos, a Haven explorou uma ampla gama de soluções de saúde”, acrescentando que a “Amazon, Berkshire Hathaway e JP Morgan vão aproveitar esses insights e continuarão a colaborar informalmente para projetar programas que atendam necessidades específicas de seus próprios funcionários”.
.
Nova operadora prevê crescimento expressivo no próximo ano
Lançada em meio a uma pandemia mundial e pouco antes do fim de 2020, a You Saúde, nova operadora de saúde criada pelo Grupo First, já conquistou o seu espaço na vida dos mineiros e os resultados comprovam isso.
Atualmente, o Grupo First comanda 10 empresas e concentra mais de 200 mil clientes em todo o território nacional. Alavancado pela You Saúde, o crescimento da holding em 2020 foi de 30% – o que marca o início de uma forte atuação na área da saúde.
Para Rodrigo Felipe, presidente do Grupo First e idealizador da You Saúde, a boa aceitação em um período tão conturbado se deve à facilidade que um plano de saúde totalmente digital proporciona aos clientes. “É a alternativa ideal para quem está cada vez mais conectado e menos disposto a enfrentar as longas filas e a burocracia das operadoras tradicionais”, avalia.
O balanço dos primeiros meses de atuação do plano de saúde inclui o cadastro da melhor rede credenciada de Belo Horizonte, o início das vendas de produtos com uma antecipação de dois meses e a busca por novas praças para atuação. Para o empresário, este é o primeiro passo em prol da missão de proporcionar mais saúde e qualidade de vida a todos os brasileiros.
Tendo como base o resultado expressivo em pouco tempo de atuação, o empresário por trás do Grupo First prevê um crescimento exponencial da operadora de planos de saúde no próximo ano. “Para 2021, esperamos iniciar trabalhos em mais cinco cidades, além de figurar entre as 10 maiores operadoras do Brasil. Tudo isso faz parte dos planejamentos de nossos próximos cinco anos para construir uma abrangência nacional”, aponta.
Para 2021, o principal projeto engatilhado é o “Side By Side”, um programa de vantagens e um canal de comunicação que tem como foco a aproximação entre médico, hospital, prestador de serviço e parceiros. “Queremos ouvir e estar mais próximos de hospitais, clínicas e prestadores, para que assim o beneficiário da You Saúde se sinta assistido por quem realmente entende de saúde”, explica.
O empresário ainda ressalta que a forma como a sociedade vive nunca mais será a mesma após 2020. “Aprendemos que para crescer é preciso inovar, e esse desafio de inovar é o que nos move. Nunca foi tão importante falar de saúde como agora. Estamos vivendo o melhor momento da história da humanidade para falar de investimento em saúde”, comenta.
.
Presidência – A SulAmérica divulgou que seu Conselho de Administração tomou conhecimento da decisão de Gabriel Portella de não renovar seu mandato como diretor-presidente da companhia para o próximo ciclo, tendo então decidido pela indicação de Ricardo Bottas, atual diretor-vice-presidente de Controle e Relações com Investidores para a posição de diretor presidente da companhia após o término do atual mandato, no próximo dia 29 de março. Com isto, será dado início ao processo de transição, a ser conduzido pelo próprio Gabriel Portella com a supervisão do Conselho de Administração.
Gabriel Portella completará 37 anos junto à SulAmérica em março deste ano e mais recentemente em posições executivas estratégicas, entre 2009 e 2013 atuando como vice-presidente de Saúde e Odontologia e desde 2013 como diretor-presidente, contribuindo de forma relevante para o desenvolvimento da companhia, para a evolução de seus resultados e para a consolidação do posicionamento atual focado na Saúde Integral. Adicionalmente, o Conselho de Administração convidou Gabriel Portella para participar do Conselho de Administração, compondo a chapa a ser submetida à Assembleia Geral Ordinária da companhia, prevista para 29 de março, com a certeza de sua alta capacidade de continuar contribuindo para o desenvolvimento da SulAmérica.
Ricardo Bottas está na SulAmérica há mais de cinco anos, inicialmente como diretor financeiro e desde 2017 como diretor-vice-presidente de Controle e Relações com Investidores da companhia. Bottas é administrador de empresas com Especialização em Finanças Corporativas, com mais de 23 anos de experiência em companhias abertas nas indústrias de seguros, energia elétrica, petróleo e gás e em firma de auditoria.
“O ano 2020 foi provavelmente um dos mais desafiadores da nossa história, mas conseguimos superá-lo com uma organização reposicionada, com foco em Saúde Integral, cada vez mais conectada e digital, condições que nos permitiram manter nossa posição de destaque no mercado. Mas o mais importante neste período, sem dúvida, foi conseguirmos garantir a saúde e segurança de nossos colaboradores e parceiros de negócios, assim como a continuidade dos serviços e atendimentos aos nossos mais de 7 milhões de clientes. E iniciamos 2021 com a transição da Presidência da companhia, em um processo consistente e organizado e que garantirá a continuidade de nossas operações buscando acelerar ainda mais a execução da estratégia definida pelo Conselho de Administração”, afirma Gabriel Portella, atual presidente.
A conclusão de importantes movimentos estratégicos em 2020, com destaque para a aquisição da Paraná Clínicas e a conclusão da venda da operação de automóveis e ramos elementares, reforçou o posicionamento da companhia focada em Saúde Integral, com soluções voltadas para todos os aspectos da saúde dos seus clientes, seja física, emocional ou financeira. “A estratégia da companhia, baseada no pilar de Saúde Integral, busca ampliar cada vez mais a qualidade de nossos produtos e serviços para nossos clientes, direciona a aceleração do desenvolvimento orgânico e inorgânico da companhia, o acesso a novos mercados e à estrutura de capital necessária para suportar essa estratégia de crescimento”, afirma Ricardo Bottas.
A SulAmérica registrou receitas operacionais de R$ 15 bilhões nos primeiros nove meses de 2020, crescimento de 6,2%, atuando nos segmentos de saúde, odontologia, seguros de Vida e Previdência. Adicionalmente, sua gestora e administradora de recursos, a SulAmerica Investimentos, encerrou o 3º trimestre de 2020 com R$ 46 bilhões em ativos sob gestão.
Portella e Bottas darão início ao processo de transição e seguirão trabalhando em conjunto, dentro das suas respectivas e atuais atribuições até a próxima Assembleia Geral Ordinária prevista para o dia 29 de março.

Leia mais:

Mercado segurador perde criador da Bradesco Seguros

SEG NOTÍCIAS – ANS normatiza processo administrativo eletrônico

Artigos Relacionados

SEG NOTÍCIAS – ANS atualiza dados sobre utilização dos planos de saúde

Nova edição, divulgada hoje, contempla informações coletadas até dezembro.

Novas regras devem estimular oferta de seguros

As normativas que abordam estes assuntos deverão incentivar o mercado de seguros brasileiro, à medida que podem reduzir os custos das operações para as empresas que atuam no setor.

SEG NOTÍCIAS – Caixa assume gestão dos recursos e pagamentos do Dpvat

Não há nenhuma mudança nas regras de indenização; presidente da Caixa, Pedro Guimarães, deu detalhes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportações de suco de laranja recuam 23% entre julho e dezembro

Safra menor e estoques mais elevados estão entre as principais razões para a baixa.

Os desafios para Joe Biden nos EUA

Avanço da Covid-19 pode fazer com que democrata e equipe tenham que apagar alguns incêndios no começo do mandato.

Mercados sobem em véspera do Copom

Campos Neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da reunião do Copom.

Mercados locais sobem seguindo Bolsas mundiais

Dia amanhece com tendência de alta para o mercado interno, seguindo NY na volta do feriado.

Contra tudo temos vacina

Dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.