32.5 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 25, 2021

SEG NOTÍCIAS – Procura por monitoramento eletrônico de imóveis sobe nas férias escolares

A demanda por equipamentos de segurança eletrônica para proteção de imóveis na Verisure, empresa do segmento, aumentou 35% no primeiro semestre de 2016 em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a companhia, a busca por detectores magnéticos de abertura e impacto para portas e janelas; alarmes de 120 decibéis; e fotodetectores que captam fotos em alta definição de eventuais invasores com posterior acionamento da polícia pela Central de Controle 24 horas independente da eletricidade e linha telefônica local, cresceu substancialmente no período anterior às férias. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, já são 35 mil contratos vigentes.
De acordo com o diretor de Marketing da Verisure, Mathieu Frison, as férias escolares de julho, feriados e, principalmente, o recesso de fim de ano, deixam muitos imóveis vulneráveis a arrastões, o que contribui para o aumento da incidência de invasões. Os ladrões se aproveitam da situação, já que a portaria, cerca elétrica ou muro com objetos pontiagudos e câmeras de vigilância não necessariamente impedem que eles entrem. “Os seguranças podem ser corrompidos ou rendidos com armas, os muros são fáceis de pular e as cercas podem ser desativadas. É uma falsa sensação de segurança e os moradores de alguns bairros já perceberam isso”, destaca o executivo.
.
Voluntários das Olimpíadas não têm direitos trabalhistas nem despesas médicas
Mais de 50 mil voluntários atuarão nos Jogos Olímpicos de 2016, que terão início no Rio de Janeiro no próximo dia 5 de agosto. As atividades voluntárias não têm remuneração, mas esses trabalhadores não contam com direitos trabalhistas nem com a garantia da cobertura de despesas médicas, caso sofram ferimentos, por exemplo, devido a acidentes de trabalho ou exposição a situações de risco.
“No caso do trabalho voluntário, não existem direitos trabalhistas previstos por lei. Enquanto as atividades remuneradas geram vínculo de emprego e demais direitos trabalhistas, isso não ocorre com o voluntariado”, explica Luciana Dessimoni, advogada especializada em Direito do Trabalho na área de Saúde do Nakano Advogados Associados.
Segundo a especialista, a própria lei que define o trabalho voluntário (Lei 9.608/1998) indica que se trata de “atividade não remunerada prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza, ou a instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade.”
Dessa forma, de acordo com a advogada especializada, o voluntário não pode contar com nenhum dos direitos que são garantidos por lei aos trabalhadores remunerados. “O que pode haver nesses casos, no máximo, é um reembolso de valores, desde que as despesas sejam autorizadas pela entidade e devidamente comprovadas no exercício da atividade”, comenta a Dra. Luciana.
Ainda de acordo com a advogada, além de os voluntários não contarem com direitos trabalhistas, também não há qualquer responsabilidade da entidade pública ou da instituição privada sem fins lucrativos em relação à cobertura de despesas médicas por acidentes de trabalho. “Caso a entidade ou instituição em questão queira ajudar será por liberalidade, pois essa garantia não é prevista em lei. A entidade não é obrigada a arcar com eventuais custos médicos”, explica.
Ela alerta que, em casos em que o trabalho voluntário seja porventura desvirtuado com objetivo de fraudar direitos trabalhistas, o trabalhador em questão deve procurar o Poder Judiciário.
“Nesse caso, ao recorrer à Justiça e caso seja provado o vínculo empregatício, a pessoa contará com todos os direitos trabalhistas previstos em lei para trabalhadores remunerados”.
.
Seguro-fiança Utilizado como garantia para o recebimento do aluguel por parte do locador, o seguro-fiança é uma opção cada vez mais solicitada nos contratos de locação de imóveis residenciais e comerciais. Levantamento do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) aponta que, em maio deste ano, o seguro-fiança foi utilizado em 18% das locações feitas na cidade de São Paulo. O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre esclarece detalhes sobre o produto e mostra como garantir uma boa negociação.
Ao alugar um imóvel, o proprietário pode escolher ferramentas para garantia do retorno financeiro da locação como o fiador, depósito-caução ou seguro-fiança. “Entre essas opções, o seguro-fiança destaca-se pela fácil contratação, pois não existe burocracia”, explica Jabis Alexandre, diretor geral de Automóveis e Massificados do Grupo BB e Mapfre.
A cobertura básica do seguro é o pagamento do aluguel, uma vez que a imobiliária pode acionar a seguradora após completar dois meses sem receber o depósito do inquilino. O BB e Mapfre também oferece pacotes adicionais que contemplam o ressarcimento de danos causados à infraestrutura do imóvel, à pintura, o pagamento de despesas como IPTU, condomínio, água, luz e gás e, por fim, a multa por rescisão contratual.
A apólice oferece vantagens desde o momento da contratação. Alexandre complementa que o produto “é uma alternativa para quem não pode optar pelo fiador e/ou desembolsar a alta quantia de dinheiro necessária para o depósito-caução que é, em média, três vezes o valor mensal do aluguel”.
Além disso, o Grupo BB e Mapfre oferece um plano de assistências gratuitas para a residência. O morador pode solicitar serviços de profissionais, como encanador, eletricista, chaveiro, vidraceiro etc., para a resolução de problemas domésticos básicos. A assistência pode ser acionada até três vezes ao ano.
A média praticada pelo mercado é de dois meses de aluguel, mas o preço varia conforme detalhes do contrato escolhidos pelo proprietário do local. O valor do seguro considera o perfil do segurado, as coberturas escolhidas, o tipo de imóvel, a região etc. Para facilitar a compra, o Grupo oferece a opção de parcelamento em até 10 vezes.
A apólice pode ser acionada após a ausência do pagamento de duas parcelas do aluguel. Nesse caso, a imobiliária deve entrar em contato com a seguradora e enviar os documentos necessários. O pagamento será realizado até o vencimento da próxima parcela, após o envio dos documentos necessários.
.
DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL


Seguros para bicicletas Com uma frota de 70 milhões de bicicletas, o Brasil já ocupa a quarta posição entre os principais produtores mundiais, fabricando 4 milhões de unidades por ano. Parte deste segmento, composto por bicicletas avaliadas entre R$ 3 mil e R$ 60 mil, despertou o interesse do setor de seguros, que já dispõe de produtos específicos com coberturas abrangentes.
Um desses produtos será apresentado em Palestra Bom-Dia da APTS, dia 11 de agosto, pela gerente de Riscos Patrimoniais Janete Tani. Além de expor detalhes do Protector Bikes, ela também tratará das oportunidades que esse segmento oferece aos corretores de seguros.
Segundo Janete Tani, o seguro para bicicletas ainda é pouco explorado pelas seguradoras do mercado e, por isso, existe grande demanda reprimida. Para os corretores, ela indica a oportunidade de crosseling.
“Os ciclistas que possuem bicicletas de mais alto valor são, geralmente, profissionais liberais, como médicos, dentistas, advogados, para os quais o corretor pode oferecer uma ampla gama de produtos de seguros, desde o seguro de Responsabilidade Civil Profissional até o seguro de vida e acidentes pessoais. Sem dúvida é um mercado promissor para os corretores”, diz.
O evento acontece das 9 às 11h no Auditório do Sincor-SP (Rua Líbero Badaró, nº 293, 15º andar).
Informações e inscrições pelo telefone (11) 3227 4217 ou e-mail: apts@apts.org.br.
.
Encontro Feminino de Corretoras de Seguros São esperadas 500 participantes no 10º Encontro Feminino de Corretoras de Seguros, uma promoção do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS) , no dia 12 de agosto no Centro de Eventos do Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre.
O presidente do Sincor-RS Ricardo Pansera explica que “é um evento dedicado exclusivamente às mulheres, onde “menino não entra”. Serão quase 10h, a cerimônia de abertura será às 9h e o final previsto para as 19h, com muita informação para as operadoras do mercado segurador gaúcho.”
O encontro terá palestras de Simone Leite, presidente da Federasul; Maria Helena Monteiro, da Escola Nacional de Seguros; o médico José Camargo; Isabel Ferrari e Laura Medina, jornalistas; Leila Navarro, palestrante motivacional.
Informações pelo telefone (51) 3225-7726.

.
Fórum Nacional de Seguro Rural A Delphos se prepara para participar do maior evento voltado ao agronegócio no país. Trata-se do Fórum Nacional de Seguro Rural, que será realizado no dia 8 de agosto, em Curitiba.
Com a presença no evento, a empresa visa a agregar conhecimento e qualificar seu projeto em desenvolvimento: um Business Process Outsourcing (BPO) de gestão de carteiras dos diversos ramos do segmento – no qual pretende se especializar. A meta é otimizar os processos envolvidos nesse seguro e capacitar sua equipe para tratar da cadeia completa do negócio, desde a cotação, subscrição e emissão de apólice até a regulação do sinistro.
A Delphos também está investindo em uma equipe de tecnologia e na consultoria permanente de um agrônomo para acompanhar o projeto. Estarão presentes no encontro um dos fundadores da empresa, José Américo Péon, além do presidente, Eduardo Menezes, da diretora comercial e de marketing, Elisabete Prado, e do gerente de projeto Sérgio Delecrode.
O site do evento é www.sistemafaep.org.br/servicos/forum-nacional-seguro-rural.
.
SEGURO CIDADÃO


Museu Itinerante Se Prepara Brasil Nesta terça-feira (26 de julho), comemora-se o marco de 10 dias para os Jogos Rio 2016. Como patrocinador e segurador oficial do maior evento esportivo mundial, realizado pela primeira vez na América do Sul, o Grupo Bradesco Seguros tem motivos a mais para celebrar. O Museu Itinerante Se Prepara Brasil – O Caminho do Esporte até o Rio, exposição olímpica sobre rodas que está percorrendo as cinco regiões do país, acaba de superar o número de 100 mil visitantes desde a sua largada, em 30 de abril. Montado em duas carretas adaptadas, o Museuestá, no momento, nas cidades de Belo Horizonte e Santos (SP). De lá, as carretas seguirão pa ra Juiz de Fora (MG) e São José dos Campos (SP), respectivamente, e após percorrerem mais de 30 mil quilômetros, se encontrarão em agosto, no Rio de Janeiro, onde ficarão expostas nos Boulevares Porto Maravilha e Parque Madureira durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016.
Os dois marcos renderão posts comemorativos nas fanpages “Bradesco Seguros – Rumo aos Jogos Rio 2016”, nos eventos do Museu no Facebook, além de compartilhamentos nas páginas da CicloFaixa e doMovimento Conviva. Produzida pelo Esporte Interativo, que em pouco mais de um ano registra mais de 3,1 milhões de interações do público, entre compartilhamentos, comentários e curtidas no Facebook, e mais de 550 mil seguidores.
Nos diversos lugares por onde tem passado, o Museu Itinerante Se Prepara Brasil conta, também, com presenças ilustres que se emocionam com a exposição: as atrizes Carolina Ferraz e Totia Meireles; os ex-atletas do vôlei e embaixadores Bradesco Seguros, Giba e Leila; o ex-judoca Flávio Canto; os nadadores Felipe França e Henrique Rodrigues; os jogadores de basquete Alex e Rafael Hettsheimer; os judocas Sarah Menezes e Felipe Kitadai; a para-atleta do atletismo Ana Claudia Maria da Silva “Lalá”; o ex-jogador de futebol Gonçalves, entre outros. Até agora, a cidade com o maior público foi Porto Alegre, com 2.347 visitantes em um único dia.
“Como patrocinador e segurador oficial dos Jogos Rio 2016, é muito gratificante para o Grupo Bradesco Seguros levar o espírito olímpico às cinco regiões do país, com o Museu Itinerante Se Prepara Brasil,e deixar um legado de conhecimento que poderá estimular novos talentos. Apoiamos os ideais dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos e nos orgulhamos de nosso papel de poder colaborar para que os Jogos Rio 2016 se tornem uma experiência memorável para todo o Brasil”, declara Alexandre Nogueira, diretor do Grupo Bradesco Seguros.
Dividido em cinco seções – “História”, “Esportes”, “História Brasileira”, “Curiosidades” e “Rio 2016” – o Museu Itinerante Se Prepara Brasil apresenta peças que retratam todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Dentre os objetos, destacam-se as réplicas das medalhas de prata e bronze dos Jogos Olímpicos de Atenas, em 1896, e da carta do Barão de Coubertin, criador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, na qual, em 1913, aparece pela primeira vez a imagem dos aros olímpicos; Tochas Olímpicas, pictogramas e medalhas de diversas edições; além de imagens de atletas brasileiros e internacionais, entre elas a equipe de tiro do Brasil nos Jogos da Antuérpia, em 1920, primeira vez que o país disputou o evento esportivo. Há também vídeos temáticos e totens interativos.
O museu tem patrocínio do Grupo Bradesco Seguros e do Ministério da Cultura. A iniciativa tem a concepção da agência Gael e curadoria da Base7 Projetos Culturais.
.
Hospital capacitará médicos para cirurgia minimamente invasiva de próstata
O Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), começará em agosto a treinar, capacitar e certificar médicos radiologistas intervencionistas de todo o Brasil para que eles possam usar uma técnica utilizada no HC, há pelo menos oito anos e que foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina: a Embolização das Artérias da Próstata, usada para tratar o crescimento benigno de próstata.
Desenvolvida pelo médico radiologista intervencionista Francisco Carnevale, a técnica é considerada minimamente invasiva porque não precisa de anestesia geral e permite que o paciente saia do hospital duas horas depois da cirurgia. Por meio de um tubo flexível de dois milímetros de diâmetro, os médicos injetam na próstata micro esferas de resina acrílica inofensiva ao organismo para diminuir o tamanho do órgão e aliviar a obstrução da uretra, permitindo a passagem da urina.
De acordo com Carnevale, para estarem aptos a realizar a técnica, os radiologistas intervencionistas terão de fazer dez procedimentos para receber a certificação. “Esses médicos selecionarão em suas instituições pacientes candidatos a receber o tratamento. Os dados sobre esses tratamentos serão enviados ao Conselho Federal de Medicina que fará a interpretação para que, em um período de dois a cinco anos, saia uma posição oficial do conselho e esses procedimentos sejam aprovados para uso no SUS e nos planos de saúde suplementar”.
O sucesso do tratamento, realizado em 250 pacientes, desde 2008, foi de 91%, com redução de 30% no tamanho da próstata. Dos 11 pacientes tratados no estudo inicial, 10 voltaram a urinar espontaneamente nos dias seguintes ao procedimento.
“O paciente não tem algumas complicações relacionadas à anestesia. Também não tem prejuízos para a função erétil, para a ejaculação e não tem incontinência urinária, além de parar de tomar medicamentos”. Ele destacou ainda uma diminuição de custos e menor agressão para a região da próstata.
Alerta, a seguir, para o fato de que – para que o tratamento seja indicado – é preciso uma avaliação prévia do urologista, que é o médico que conhece profundamente a doença e vai acompanhar o homem durante toda a vida. “Quando se pensar na indicação desse tipo de tratamento como alternativa, que seja uma decisão entre paciente, urologista e o radiologista intervencionista, que é o cirurgião responsável pelo procedimento minimamente invasivo guiado por métodos de imagem. A decisão é entre essas três pessoas, sempre respeitando a vontade do paciente”, finaliza.
.
Câncer de cabeça e pescoço Um nódulo persistente no pescoço, uma lesão na boca e rouquidão prolongada são sintomas que podem indicar um tumor na região da cabeça e do pescoço; se diagnosticado precocemente, as taxas de cura chegam a 90%; infecção pelo hpv é um importante fator de risco
Falar em prevenção do câncer é perfeitamente viável diante dos dados alarmantes projetados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca). Estima-se que cerca de 600 mil novos casos de cânceres sejam diagnosticados neste ano na população brasileira. A boa notícia é que cerca de um terço deles é evitável. Adotar hábitos de vida saudáveis, evitar vícios, ter uma alimentação balanceada, manter a higiene bucal em dia e acompanhamento médico periodicamente são medidas preventivas de extrema importância.
No mês em que se comemora o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço, celebrado no dia 27 de julho, a Campanha Julho Verde visa conscientizar a população sobre tumores da cavidade oral, faringe, laringe e tireoide. Entre os homens, estes cânceres ocupam o segundo lugar no ranking, atrás somente do câncer de próstata. Nas mulheres, o câncer de tireoide, sendo o quinto de maior incidência.
A falta de informação é um entrave para o diagnóstico precoce. No Brasil, 70% dos pacientes apresentam estágio avançado da doença. “Um nódulo persistente no pescoço, dificuldades para engolir, lesão na boca que não cicatriza e rouquidão prolongada são alguns dos gatilhos para o câncer de cabeça e pescoço”, elenca Robson Moura, presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC).
Além dos já conhecidos riscos provocados pelo consumo de bebidas alcoólicas e do cigarro, novos estudos publicados pelo Johns Hopkins Oncology Center, nos EUA, mostram que o papiloma vírus, o HPV, é um dos fatores que predispõem ao desenvolvimento de cânceres.
Embora existam mais de 100 tipos, somente as variações 16 e 18 chamam a atenção. “Eles estão associados a 30% dos cânceres na cavidade bucal em pessoas abaixo dos 40 anos e a 90% dos tumores de garganta”, aponta Moura, que acrescenta: “Porém, é importante destacar que o HPV também protagoniza tumores na laringe, e em toda a cavidade oral, como língua, gengiva e céu da boca”, acrescenta.
No entanto, uma característica diferencia o câncer causado pelo HPV: ele é menos agressivo e tem um desenvolvimento mais lento. Segundo o presidente da SBC, estes tumores são mais sensíveis às terapias. “O prognóstico de cura é mais otimista. Os pacientes respondem melhor à quimioterapia e à radioterapia. Quando diagnosticado em estágio inicial, a possibilidade de cura chega a 90%”, explica.
.
ENDOSSANDO


IRB Brasil/Re registra lucro líquido de R$ 414,3 milhões no primeiro semestre
O IRB Brasil/Re fechou o primeiro semestre de 2016 com lucro líquido de R$ 414,3 milhões, 21% maior que o registrado em igual período do ano passado. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido médio (roae) ficou em 32%, 6 pontos percentuais acima do ano passado.
O volume total de prêmios emitidos pela companhia avançou 26% em relação ao mesmo período no ano anterior, totalizando R$ 2,5 bilhões. Desse montante, R$ 1,9 bilhão de prêmios foram emitidos no Brasil e R$ 595 milhões no exterior. Esse aumento decorre das contribuições positivas dos ramos de Rural, Property e Vida no Brasil e no Exterior.
Já o total de prêmios retidos foi de R$ 1,8 bilhão, um crescimento de 34% em relação ao primeiro semestre do ano passado. Os prêmios ganhos também seguiram a tendência de crescimento e avançaram 37% sobre os seis primeiros meses de 2015, totalizando R$ 1,7 bilhão. O aumento foi influenciado pela melhor performance de emissão, associado a uma maior retenção dos prêmios no período.
O índice de sinistralidade, que mede a relação entre os prêmios ganhos e as indenizações pagas, passou de 59,6% no primeiro semestre de 2015 para 65,8% nos seis primeiros meses deste ano. Esse aumento é reflexo dos sinistros registrados, principalmente, no segmento rural, que sazonalmente é impactado no primeiro semestre do ano, em função da estiagem em algumas regiões do norte e centro-oeste prejudicando as plantações de milho, soja e café das regiões, além do efeito do aumento da média histórica de chuvas na região sul, causando danos às plantações.
O resultado de subscrição totalizou R$ 285,3 milhões no primeiro semestre de 2016, um crescimento de 18% em relação ao mesmo período do ano anterior. No primeiro semestre, o índice combinado foi de 94% mantendo-se estável em relação ao mesmo período de 2015, em função, primordialmente, do aumento no volume de prêmios emitidos no período associado a uma redução no índice de despesas administrativas, compensando o aumento no índice de sinistralidade.
No primeiro semestre, o resultado financeiro apresentou um avanço de 22%, totalizando R$ 531,9 milhões. Já as despesas administrativas registraram redução de 11%, passando de R$ 119,6 milhões para R$ 106,7 milhões na comparação entres os dois primeiros semestres. A relação entre as despesas administrativas sobre prêmios ganhos apresentaram uma redução de 3 pontos percentuais, passando de 9,5% para 6,2% no encerramento do primeiro semestre de 2016.
.
Regional SP da Berkley cresce 20% e comemora resultados junto a comerciais especialistas
Desde que adotou a estratégia de atuar com comerciais especialistas em suas linhas de negócios, a Berkley tem registrado um crescimento expressivo, especialmente na Filial São Paulo, unidade que representa 42% da meta em volume de negócios da companhia em todo o Brasil.
“Antes nosso profissional comercial era um generalista e, com a nova estratégia, adotou uma identidade de especialista em cada produto que opera. Identificamos que o atendimento comercial segmentado trouxe muito êxito se compararmos com o cenário que tínhamos há três anos”, avalia a gerente da Filial São Paulo, Carolina Campos.
Segundo ela, no primeiro semestre de 2016, o crescimento foi de 20%, com destaque para o produto E&O (Erro e Omissões), destinado a profissionais liberais, que atingiu 40% de incremento no período.
A expectativa é de que o Seguro de Eventos também ganhe maior representatividade com a contratação da nova executiva comercial, Simone Pereira, que atuará diretamente com as assessorias de seguros e corretores de varejo.
Outra novidade é a contratação de Rodrigo Pecoraro, novo gerente comercial Corporate Brasil da Berkley, que estará focado em absorver e prestar atendimento personalizado a multinacionais.
Além da Grande São Paulo, a Filial abrange corretores e assessorias que atuam no interior paulista, no Grande ABC, assim como na Região Metropolitana da Baixada Santista.
.
Funenseg parabeniza Joaquim Mendanha de Ataídes por nomeação à Susep
“Em nome da Escola Nacional de Seguros, parabenizo Joaquim Mendanha de Ataídes pela nomeação para assumir a Superintendência de Seguros Privados (Susep). Para nós é um grande orgulho ver um ex-aluno e parceiro alçado a uma posição de tamanho destaque e responsabilidade no mercado de seguros”. A declaração, do presidente da Escola, Robert Bittar, retrata a forma como a Instituição recebeu a notícia publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira, 26 de julho, de que o então presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros de Goiás (Sincor-GO) estará à frente da autarquia.
Joaquim Mendanha de Ataídes é corretor de seguros formado pela Escola Nacional de Seguros em 1989, graduado em Administração e Marketing pela Universidade Católica de Goiás (hoje, Pontifícia Universidade Católica de Goiás), com MBA Executivo em Seguros e Resseguro também pela Escola.
O novo superintendente da Susep ocupa funções na diretoria da Fenacor desde 2001, além de estar no terceiro mandato como presidente do Sincor-GO.

Artigos Relacionados

SEG – Saúde privada teve o maior número de empregos em novembro

A geração líquida de postos formais em 2020 foi equivalente a 37% do total.

SEG NOTÍCIAS – Petrobras: entidade para gerir plano custará R$ 4 bi

Para isso, será necessário que a Petrobras faça aportes financeiros - inicialmente calculados em R$ 2 bilhões, mas podendo chegar a R$ 4 bilhões -, já que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) exige garantias patrimoniais da nova entidade gestora. Criada nos anos 1970, a AMS da Petrobras é gerida pela área de Recursos Humanos da empresa desde então.

SEG – Susep autoriza atuação no ambiente regulatório do Sandbox

Portaria publicada no DOU autoriza a Stone a operar por 36 meses em ambiente mais flexível.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Biden retoma restrições a viajantes que cheguem do Brasil

Medida também afetará quem não é cidadão norte-americano que viaje a partir do Reino Unido e África do Sul.

Ação contra McDonald’s já beneficiou mais de 3 mil trabalhadores

Justiça reconheceu direito a maior pagamento de participação nos resultados.

Ritmo de vacinação limita alta do PIB no Brasil a 3,5%

FGV acredita em retomada desigual no mundo, com melhora mais rápida nos países desenvolvidos.

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.