SEG NOTÍCIAS - Seguro de vida proporciona estabilidade financeira

Saiba como o seguro pode apoiar na proteção do patrimônio construído e de reservas financeiras, mesmo em cenários delicados.

Seguros / 16:23 - 26 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor


Segundo o Sindicato das Seguradoras (Sindseg), a conjuntura da pandemia e a necessidade latente de proteção estimularam muitas dessas pessoas a procurar maneiras de se proteger economicamente e olhar para o futuro com outras perspectivas, por meio de um seguro de vida, garantindo a manutenção de sua renda e conquistas, inclusive para planejar o futuro das pessoas que amam e para que fiquem menos vulneráveis financeiramente em eventos diversos.
O seguro de vida é um mecanismo de proteção para que as pessoas fiquem menos vulneráveis financeiramente em situações que envolvem diagnósticos de doenças graves e internações hospitalares. Ele garante uma indenização em imprevistos como uma invalidez permanente ocasionada por acidente até uma ausência inesperada de um ente querido. Na atual pandemia de Covid-19, produtos como os Seguros de Vida Omint ainda preveem o pagamento de sinistro de morte, funerais e diárias por internação hospitalar que aconteçam em decorrência da Covid-19, mesmo que as coberturas de epidemia e pandemia estejam excluídas das condições gerais. E, para as novas vendas, a decisão se aplica aos sinistros que ocorrerem após 90 dias da data da contratação do seguro.
Soluções eficientes para muitas situações: a pandemia trouxe diversos questionamentos em relação aos cuidados com a nossa saúde e estabilidade financeira. Com o "novo normal", a tendência é que a população busque dar mais atenção aos contratempos e urgências. Segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep), a demanda pelo seguro de vida cresceu 10,2%, de janeiro a julho, enquanto outras modalidades e demais produtos tiveram quedas. Esse crescimento pode ampliar a discussão de que uma nova percepção de valor para o planejamento financeiro está surgindo.
Enquanto as reservas financeiras devem ser pensadas e construídas para oportunidades e realização de sonhos, o seguro de vida assume o papel de cuidar de emergências e da proteção de tudo o que já foi conquistado, além de proporcionar coberturas para qualquer momento da vida e, assim, estimular a independência financeira.
.
Aumenta número de fusões e aquisições no setor hospitalar
O setor de hospitais e laboratórios de análises clínicas fechou o semestre deste ano com 31 operações de fusões e aquisições. Desse total, no primeiro trimestre, foram concluídas 11 transações e no segundo foram 20. Já nos primeiros seis meses do ano passado, foram finalizados 29 negócios. Os dados constam na pesquisa de fusões e aquisições realizadas pela KPMG trimestralmente.
Das 31 operações fechadas este ano, a maioria delas foi doméstica, sendo realizadas entre empresas brasileiras. As outras oito transações foram do tipo CB1, ou seja, estrangeiros comprando empresa estabelecida no Brasil.
"Desde o marco regulatório em 2014 as movimentações no setor aceleraram e o mercado vem se consolidando em diversas regiões do Brasil. A pandemia pode acelerar esse movimento na medida que os grandes grupos ou novos investidores podem se aproveitar de uma possível fragilidade dos ativos dado que o setor de saúde também foi impactado pela Covid-19", analisa o sócio da área de saúde da KPMG, Daniel Greca.
.
Odontologia deve fazer parte da integração dos cuidados em saúde
A saúde bucal é muito importante para diversas funções do organismo, seja para o bem-estar, autoconfiança e na prevenção e identificação de doenças. Por isso, o Instituto de Estudo de Saúde Suplementar (Iess) reuniu especialistas com diferentes experiências no webinar "Como a odontologia atua para a gestão de saúde", em transmissão ao vivo no YouTube e nas redes sociais da entidade.
Para os participantes do encontro, é fundamental que todos os programas de promoção de saúde envolvam práticas integrativas de Medicina e Odontologia, permitindo um tratamento mais adequado para a população ao mesmo tempo em que se correlaciona lesões bucais com sinais e sintomas sistêmicos, o ambiente de trabalho e outras condições. "Exatamente por isso, é essencial que o tema faça parte das estratégias em saúde dos indivíduos, profissionais, empresas, operadoras de planos e demais agentes do setor", apontou José Cechin, superintendente-executivo do Iess, em sua fala inicial.
Com mediação de Cechin, o debate contou com a participação de. Oscar Fernando Muñoz Chavez, chefe do Departamento de Odontologia Social da Faculdade de Odontologia de Araraquara (Unesp); de Maristela Kühl de Camargo Azevedo, dentista e Coordenadora de Produto - Odonto da Aon Brasil; e de Marcos José Silva Costa, cirurgião dentista e superintendente de Operações da OdontoPrev.
Para Maristela, durante muito tempo a Odontologia foi vista apenas em seu aspecto curativo por parte das pessoas, o que tem mudado ao longo das últimas décadas. "Fizemos um levantamento que mostra que o benefício odontológico já é o terceiro mais ofertado pelas empresas, depois de assistência médica e seguro de vida. Isso colabora para atração e retenção de talentos e diminui o absenteísmo. Temos pesquisas que comprovam a redução de afastamentos no trabalho ou nos estudos em decorrência de problemas bucais, o que impacta diretamente na produtividade", comenta. "Precisamos ter em mente as práticas de atenção primária como na Medicina, porque, muitas vezes, o dentista é o primeiro profissional a identificar problemas de saúde como falta de nutrientes, anemia, diabetes e outros", completa.
"E é exatamente por isso que, hoje em dia, os grandes centros de saúde possuem dentistas em seu quadro. Porque é sabido que mais de 40% dos problemas coronarianos são provenientes de doenças bucais. O profissional é essencial também nas Unidades de Terapia Intensiva para reduzir chances de novas infecções e aumento do tempo de internação, por exemplo", aponta Muñoz.
Trazendo a visão das operadoras de planos exclusivamente odontológicos, Marcos José Silva Costa reforça a responsabilidade das companhias com a qualidade do serviço prestado. "Temos a obrigação de manter nosso profissional credenciado atualizado e capacitado tanto na questão técnica, de gestão e de visão sistêmica, focando sempre na saúde e bem-estar do paciente", comenta. "Precisamos mobilizar as empresas contratantes de planos para essa atenção, seja por meio de campanhas internas, programas de promoção da saúde, vídeos, palestras e outras ações que proporcionem uma mudança de mentalidade. Não queremos assustar ninguém, mas mostrar a necessidade de olhar para a saúde bucal como totalmente interligada com a saúde geral", conclui.
O setor de planos exclusivamente odontológicos registrou crescimento de mais de 1 milhão de beneficiários no período de 12 meses encerrado em agosto deste ano. De acordo com a Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), do Iess, o segmento cresceu 4,1% na variação anual e conta com 25,8 milhões de pessoas.
A íntegra do webinar pode ser vista no Portal Iess e no YouTube. A série de encontros continuará apresentando importantes questões para o desenvolvimento do setor de saúde suplementar nacional com transmissão ao vivo.
.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Conexão Futuro Seguro - Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Pará receberão as próximas paradas do inovador e histórico ciclo de eventos virtuais "Conexão Futuro Seguro", respectivamente, nos dias 27 (terça), 28 (quarta) e 29 de outubro (quinta), sempre às 17 horas.
O evento é exclusivo para associados dos sindicatos locais, pessoas físicas ou jurídicas. Para garantir sua presença, faça o quanto antes a inscrição diretamente no site do ciclo. Basta clicar sobre a marca do seu sindicato e preencher o formulário. Mas, atenção: o prazo limite para inscrição expira às 17 horas da véspera do dia da etapa no seu estado.
As empresas corretoras de seguros poderão inscrever todos os seus colaboradores e/ou funcionários.
O evento, organizado pela Fenacor, a ENS e o seu Sincor, oferece uma enorme gama de soluções, benefícios e ferramentas, além de oportunidades para aumentar o resultado e a carteira de negócios do corretor de seguros.
Em cada etapa, são apresentadas relevantes palestras sobre assuntos de grande interesse para a categoria, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), tema de extrema relevância para as empresas corretoras de seguros, que deverão cumprir todos os dispositivos estabelecidos. A palestrante será Angélica Carlini, uma das maiores especialistas no assunto no Brasil.
Além disso, será apresentado o LGPDCOR, a melhor ferramenta para que corretores de seguros de todo o Brasil possam se adequar aos dispositivos da LGPD e evitar, dessa forma, ações judiciais, punições e multas elevadas que podem, em alguns casos, inviabilizar a continuidade da empresa.
A utilização da certificação digital como uma ferramenta que pode ser utilizada pelo corretor de seguros como um nicho de negócios para aumentar sua carteira de clientes e os seus resultados também será debatida.
Outra novidade é a apresentação, pela ENS, do curso preparatório para a habilitação de agente autônomo de investimento, que posteriormente pode ser obtida - se o corretor de seguros assim desejar - através de exame realizado pela Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord).
Os agentes autônomos de investimentos estão entre as atividades que mais crescem no Brasil. Assim, o curso representa uma grande oportunidade para abertura de novo horizonte para os corretores de seguros.
Todos os inscritos no ciclo de eventos terão direito a inscrição gratuita nesse curso.
Para complementar as informações sobre o curso e indicar as oportunidades que podem surgir para quem atuar como agente autônomo de investimento, a programação dos eventos incluirá a palestra "Como transformar-se em um planejador financeiro", ministrada pelo especialista Valter Police.
No total, o ciclo engloba 22 etapas nos estados, das quais 16 já foram realizadas até o final da semana passada. As demais ocorrerão até o início de novembro. Haverá ainda um evento final, no dia 12 de novembro, o "Conexão Futuro Seguro Brasil", aberto a corretores associados de todos os sindicatos.
Todos os participantes receberão um certificado de participação emitido pela ENS e a Fenacor.
Ao final de cada evento, os participantes concorrem a uma premiação. Todos também irão concorrer a uma premiação especial no Conexão Futuro Seguro Brasil, desde que façam a inscrição e participem desta última etapa do ciclo. Em ambos os casos, o premiado terá que estar na sala do evento no momento em que o seu nome for anunciado.
.
Kuantta encerra suas atividades de cursos para o mercado de seguros
Três anos após a Kuantta Consultoria ter sido fundada por Arley Boullosa, a empresa encerra seu programa de cursos com o "Reinvente sua Corretora", que acontece em novembro e dezembro combinando aulas gravadas, aulas online ao vivo e grupo exclusivo de mentoria. O professor esclarece que as parcerias que a Kuantta possui foram mantidas, porque de alguma forma estão diretamente ligadas ao processo de qualificação profissional dos corretores e melhorias que podem gerar em suas operações.
Boullosa especifica a necessidade de criação de um novo formato para compartilhar conhecimento."Existem outras formas de contribuir com a qualificação profissional dos corretores e iremos focar nisso. Vamos fechar o ciclo com um curso que agrega muito valor e passa muito do que aprendi no mercado, em 29 anos de profissão e 25 anos ministrando aulas. Estou estudando novos formatos e em breve anunciaremos novidades, mas nossos encontros semanais com convidados funcionaram e permanecem. É hora de fazer pouco e melhor. Cursos não se mostraram viáveis apesar do 'Reinvente' na versão grátis, ter mais de cem alunos e a aula inaugural ter sido assistida por quase 400 pessoas no nosso canal no Youtube", explicou.
O fundador da Kuantta informou que o evento "Corretor do Futuro" é uma das iniciativas que em 2020 teve sua versão online, devido a pandemia e se mostrou aderente e terá continuidade. Outras atividades da consultoria estão sendo reavaliadas e reformuladas e logo serão anunciadas. "Algumas coisas exigem muito esforço e geram pouco resultado. Ensino é algo desafiador no Brasil e no mercado de seguros um pouco mais complicado. Falta apoio, patrocínio e chega uma hora que é importante tomar uma decisão sobre o que não fazer", concluiu.
.

SEGURO CIDADÃO

Tratamento dentário em crianças diminui até 89% na pandemia
O tratamento dental de crianças teve uma queda durante a pandemia do novo coronavírus. Após o registro do primeiro caso, a redução foi de 66% nos procedimentos odontológicos infantis, alcançando 89% na fase mais aguda da pandemia da covid-19 no Brasil, em abril.
Essa queda nos atendimentos se deu pelo distanciamento social e pelas orientações de autoridades de saúde de reduzir as atividades como forma de evitar riscos de contágio, reduzindo esses procedimentos àqueles de urgência e emergência.
A análise foi feita por pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas e publicada como artigo no periódico científico International Journal of Paediatric Detistry neste mês. Os autores avaliaram dados de procedimentos odontológicos promovidos no âmbito do Sistema Único de Saúde, como extrações e restaurações, no período de janeiro a maio. A queda dos tratamentos odontológicos em crianças foi mais intensa no Nordeste.
Uma pesquisa feita pela mesma universidade e publicada em junho identificou que os dentistas diminuíram bastante o atendimento, mais na rede pública do que na privada. O estudo também constatou que esses profissionais passaram a adotar medidas de prevenção e combate à pandemia, como o emprego de equipamentos de proteção individual.
.
Consulta pública sobre diretrizes para esclerose múltipla - O Ministério da Saúde inicia amanhã consulta pública que buscará contribuições para a proposta de atualização do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Esclerose Múltipla, conforme publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira.
A consulta ficará aberta pelo prazo de 20 dias. De acordo com a pasta, as contribuições a serem apresentadas deverão estar "devidamente fundamentadas". A documentação relativa à consulta e o endereço para envio de contribuições estão à disposição dos interessados no endereço eletrônico http://conitec.gov.br/consultas-publicas.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor