SEG - Plano deve bancar tratamento de R$ 20 mil de paciente com Covid

Plano se negou a pagar custo de medicamento usado no tratamento durante a internação, mesmo o remédio constando do rol da ANS.

Seguros / 16:20 - 25 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

 A Justiça entendeu que o plano de saúde deve custear o tratamento com medicamento específico de uma paciente que ficou internada por 20 dias na UTI, após ser diagnosticada com Covid-19.
A paciente, já recuperada da doença, foi pega de surpresa ao receber uma conta de R$ 20 mil após ficar internada por 20 dias na UTI de um hospital, em São Paulo. O plano de saúde se negou a pagar o custo de um medicamento utilizado no tratamento durante a internação, mesmo que o remédio utilizado conste do rol da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), sob a alegação de que o tratamento de Covid-19 não estava previsto na bula do medicamento (utilização "off label"). O remédio em questão é o Pentaglobin, que contém elevadas concentrações de IgG, IgA e IGM, responsáveis pela defesa do organismo.
Inconformada com a cobrança, recorreu à Justiça para fazer valer seus direitos. A juíza de 1ª instância do Foro de Pinheiros, SP, que concedeu a liminar, entendeu que "o uso de determinados medicamentos, haja vista suas características intrínsecas e a necessidade de uso conjunto com o tratamento médico indicado, o caracteriza como tratamento, não sendo, assim, simples medicação. Entendo, ainda, que o tratamento não é experimental, representando apenas o avanço da medicina no combate da doença que o autor é portador. Ademais, o medicamento está no rol da ANS".
De acordo com a advogada da paciente, a decisão é bastante acertada e visa proteger os direitos do beneficiário do plano de saúde de ter o melhor tratamento para o seu caso. Ademais, é sabido que não existe um consenso sobre os medicamentos capazes de combater a Covid-19, de forma que qualquer medicamento utilizado poderia ser considerado experimental (ou off label). Os Tribunais vêm entendendo que cabe aos médicos responsáveis pelo paciente determinar o melhor tratamento e que, se for um medicamento devidamente regirado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como é o caso do medicamento em questão, não há motivos para que os planos de saúde neguem sua cobertura.
.
Melhores tipos de seguros para PMEs - Segundo o professor da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) Maurício Gonçalves Camilo Pinto, a importância da contratação de seguros para uma empresa está em conservar e manter bens e a continuidade do negócio.
As PMEs podem fazer seguros nos ramos em que tiverem necessidade para cobertura de riscos dos seus bens; seja de sua frota de automóveis, contra terceiros, de suas máquinas e equipamentos, seguros contra incêndio, lucros cessantes, roubo e também os seguros de vida em grupo, seguro saúde e planos de previdência complementar para seus colaboradores.
Segundo ele, o mais importante depende do ramo de negócio da empresa (bem imóvel, equipamentos, maquinário, matéria-prima, etc), como também o que os sócios/diretores julgam de maior relevância. O mais importante é fazer seguro dos bens que porventura venham a causar paralização da atividade operacional em caso de ocorrência de sinistro.
"Vale também investir em seguro de vida para os funcionários da empresa, porque se trata de mais um benefício da empresa para o colaborador, além de dar tranquilidade para a família em caso de ocorrência de morte ou invalidez."
Se a empresa estiver sendo tributada pelo Lucro Real, os gastos com seguros são despesas dedutíveis, desde que estendida para todos os colaboradores; caso a empresa seja tributada pelo Lucro Presumido ou Simples Nacional, o IRPJ/CSSL é calculado com base na Receita Bruta e, portanto, não cabe dedutibilidade.
"È muito relativa a porcentagem de investimento que deve ser usada para segurar o patrimônio e os funcionários da empresa. Depende de quanto a empresa está disposta a gastar para cobrir o seu patrimônio contra eventualidades. Além desse aspecto, o quanto a empresa está exposta aos riscos? Por exemplo: está em uma região de enchentes? Queda de raios onde poderá danificar os equipamentos elétricos? Região de alto risco de roubo? Tudo isso deve ser levado em conta para realmente saber qual o percentual que deverá ser reservado para esse investimento", pondera.
.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Live - A pandemia e o isolamento social provocaram grandes mudanças no mercado de seguros de pessoas, que, apesar dos desafios, cresceu acima de outros ramos. Como as seguradoras enfrentaram essas mudanças e o que esperam do futuro foram alguns dos assuntos abordados na 4ª edição do Encontro com Especialistas, almoço virtual promovido pelo CVG-SP com a participação de seguradoras associadas e transmissão ao vivo pela internet, no dia 23 de setembro.
Sob a mediação do presidente do CVG-SP, Silas Kasahaya, o encontro contou com a participação de Márcio Magnaboschi, diretor comercial da Centauro-ON, Fábio Lessa, diretor comercial da Capemisa, e Alexsander Kaufmann, superintendente comercial da MBM. Para o trio, Kasahaya perguntou sobre as principais ações das respectivas empresas para o desenvolvimento do mercado de seguro de pessoas.
Magnaboschi contou que está atuando na Centauro-ON desde 1º de setembro, mas que já se surpreendeu com os valores incorporados pela empresa, como o trabalho humanizado. "São valores que prezo e que estão em linha com os meus próprios", disse.
No período de isolamento social, segundo ele, a empresa impulsionou o treinamento e a interação digital com corretores de seguros. A Centauro-ON está no grupo de seguradoras que passaram a indenizar sinistros por Covid-19, e que foi além ao não estabelecer carência para novos contratos.
Em relação aos projetos, Magnaboschi adiantou que a seguradora pretende intensificar atuação nos seguros coletivos, com foco no pequeno e médio mercados e atuação com corretores generalistas. "Além de reforçar a base em São Paulo e de dar expressão de caráter nacional para a empresa, meu desafio é priorizar o trabalho com corretores, investindo em tecnologia, novos portais e ferramentas para torná-los mais eficientes".
O executivo adiantou que a seguradora já tem prontas novidades para o próximo ano. "Nosso propósito é desenvolver parcerias com corretores, tornando a jornada deles e dos consumidores mais amigável, e também com seguradoras que possam complementar o nosso modelo de negócio de distribuição", disse.
Na opinião de Fábio Lessa, o mercado de seguros demonstrou resiliência e se reinventou para achar soluções positivas durante a pandemia. O corretor de seguros também se reinventou para manter o relacionamento com a sua base de clientes. O estágio avançado de automação das seguradoras ajudou nesse sentido e os resultados já estão surgindo.
Lessa trouxe os dados mais recentes do levantamento da Susep referente a julho, destacando o crescimento do seguro de pessoas de 16,8% entre junho e julho deste ano. O seguro de vida cresceu 10,2% até julho de 2020 em comparação com julho de 2019. "Esse crescimento é bastante significativo porque é fruto do trabalho que o mercado vem desenvolvendo", disse.
Para Lessa, o papel do corretor é de transformação social. "Porque vender seguro é um ato de amor", disse. Ele avalia que o seguro de vida evoluiu ao incorporar novas coberturas, além das tradicionais. A Capemisa, especializada no segmento de vida para pequenas e médias empresas, segundo Lessa, está atenta ao atual momento de empreendedorismo. "O fato de se tornar MEI não elimina a exposição aos riscos. O mercado está pronto para oferecer proteção" disse.
Alexsander Kaufmann iniciou na MBM um ano depois de a seguradora remodelar a sua área comercial e expandir nacionalmente, há cinco anos. Com sede no Rio Grande Sul, a seguradora completou 70 anos de atuação e, hoje, está presente em doze capitais e mais o Distrito Federal. Ele relatou que pandemia obrigou a MBM a se reinventar por meio de home office, lives, videoconferências etc.
Segundo Kaufmann, o isolamento social trouxe a oportunidade para a MBM olhar para dentro e descobrir como poderia melhorar as ferramentas tecnológicas, os produtos e a proteção ao cliente. Essas ações vieram ao encontro da maior demanda pelo seguro de vida, que, ele espera, não acabe com o fim da pandemia. "Cabe ao mercado e aos corretores não deixarem que isso se apague", disse.
Na sua visão, o trabalho remoto trouxe alguns resultados positivos, como a percepção de que as reuniões presenciais não são tão necessárias. Para o executivo, a pandemia acelerou a transformação tecnológica do mercado. Kaufmann contou que além de preparar o lançamento de novos produtos para este ano, a MBM também está cada vez mais virtual. "Queremos estar mais próximos dos corretores, levando soluções e fomentando o mercado", disse.
Kasahaya transmitiu aos convidados as perguntas dos participantes recebidas pelo chat. Uma delas sobre o modelo de relacionamento dos corretores no pós-pandemia. Magnaboschi utilizou o exemplo da Centauro-ON, que contratou profissionais para trabalharem remotamente, inclusive de locais distantes, como Manaus (AM), para concluir que o "paradigma do presencial foi quebrado pela pandemia". Mais do que a presença, para ele o importante são os talentos.
Fábio Lessa afirmou que hoje fala mais com os corretores do que antes, graças à tecnologia.“"Sempre motivamos os corretores a repensarem os seus modelos de negócio e a tecnologia é uma aliada. Mas, nada substitui o talento das pessoas", disse. Em seguida, o presidente do CVG-SP encerrou o evento, lamentando as inúmeras vidas perdidas e manifestando o seu desejo de que a humanidade melhore.
Assista ao vídeo do evento no canal do CVG-SP: http://YouTube.com/c/CVGSP.
.
Webinar Com o objetivo de apresentar soluções para os entraves provocados por um sistema de remuneração ineficiente, a Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), em parceria com o Instituto Brasileiro de Valor em Saúde (Ibravs), vai reunir no dia 1º de outubro três principais especialistas e estudiosos para participarem do webinar "Transição Para Medicina Baseada em Valor".
César Abicalaffe, presidente do Instituto Brasileiro de Valor em Saúde (Ibravs); Denizar Vianna, ex-secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UFRJ; e André Médici, economista especialista em Financiamento Público e Privado em Saúde, irão debater sobre os caminhos que levam à valorização dos resultados clínicos dos pacientes a um custo mais compatível do que os atuais.
O debate terá início às 18h e a moderação será de Vera Valente, diretora-executiva da FenaSaúde.
Inscrições pelo link https://cutt.ly/9fEZiZZ.
.
Programas de Estágio e de Trainee - A Porto Seguro está com inscrições abertas para os programas de Estágio e de Trainee que, juntos, somam 32 vagas em diferentes áreas do Grupo Porto Seguro. "A diversidade de negócios da companhia oferece opções de atuação muito além do ramo de seguros e possibilita que os jovens impulsionem o seu autodesenvolvimento e contribuam com a evolução da organização", declara Carolina Zwarg, diretora de Recursos Humanos do Grupo Porto Seguro.
Os interessados em ingressar no Programa de Estágio têm até o dia 9 de outubro para garantir sua inscrição, que pode ser feita através do site http://estagioportoseguro2020.com.br, onde também encontram detalhes sobre as oportunidades disponíveis. Com duração de até dois anos, o programa tem início previsto para dezembro e oferece 11 vagas nas áreas de produtos, investimentos, novos negócios, precificação, serviços, atuária, além de crédito financiamento, todas para a matriz da companhia, em São Paulo - neste momento com atuação via home office. Podem se candidatar estudantes com conclusão de ensino superior prevista para dezembro de 2022 e disponibilidade semanal de 20 a 30 horas. O processo seletivo será 100% online e dividido em cinco etapas: inscrição, avaliação educacional (assessments), dinâmica de grupo, painel e entrevistas.
As inscrições para o Programa de Trainee, por sua vez, acontecem aqui e vão até 25 de outubro. Os profissionais selecionados ingressarão na companhia em janeiro de 2021 e atuarão como líderes de projetos estratégicos e relevantes para o negócio da empresa. Ao todo são 21 vagas, sendo uma para o Rio de Janeiro, que envolvem áreas como cartão de crédito, serviços e soluções financeiras e oferecem benefícios como plano de saúde e odontológico, previdência privada, seguro de vida e bolsa de estudos. Para participar, os candidatos devem preencher alguns pré-requisitos como, por exemplo, ter se formado entre julho de 2017 e dezembro de 2020, possuir inglês intermediário e desejável experiência profissional. O processo seletivo para o Programa de Trainee também será online e dividido em cinco etapas: inscrição, jornada de testes on-line, desafio, painel de negócios e feedbacks.
.

ENDOSSANDO

Seguradora Destaque - Começou ontem a partir das 20h, a última etapa das categorias em que o público elege os reconhecidos no 18º Troféu JRS. O evento acontece neste domingo (27), no Estacionamento 4 do aeroporto internacional de Porto Alegre, em formato Drive-In - completamente adaptado às recomendações dos órgãos de saúde para evitar a propagação do coronavírus.
Nas últimas semanas, os internautas escolheram prestadora de serviços e corretora de seguros destaques do ano em enquetes realizadas no site do JRS (https://jrs.digital) e hotsite do Troféu JRS (https://trofeu.jrs.digital). Agora, chegou a vez de conhecermos a Seguradora Destaque. A HDI Seguros conquistou o títul​o nas três primeiras edições do levantamento realizado com o público, em 2016, 2017 e 2018. No ano passado, foi a vez da Bradesco Seguros.
A votação acontece entre 20h, do dia 24, e vai até meio-dia, do dia 27 de setembro de 2020. Podem ser votadas quaisquer seguradoras devidamente autorizadas a operar pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). Para isso é muito simples, basta preencher o formulário da enquete com nome, e-mail e avançar para a próxima etapa, onde será necessário escrever o nome da seguradora que você deseja votar. Para enviar seu voto basta clicar em "Votar". O sistema permite apenas um voto por e-mail válido.
Mais de 12 mil pessoas participaram da votação das Seguradoras em 2019. O resultado será anunciado no palco do Troféu JRS - Drive-In 2020.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor