30.7 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 24, 2021

Sem discriminação

A participação feminina no mercado de trabalho formal brasileiro em 2007 cresceu 7,5%, enquanto a masculina foi de 6,6%. Dentro desse crescimento, o destaque foi para profissões que exigem nível superior completo. Em termos absolutos, as mulheres ocuparam 394,3 mil postos (+12,88%) com formação universitária, valor 130% superior às 171,6 mil vagas (+7,78%) preenchidas pelos homens. Os dados são da Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

PIBs
Nos 21 anos dos governos militares, o Brasil teve um crescimento econômico real médio de 6,29% ao ano. Nos cinco anos do Governo Sarney, com moratória internacional e hiperinflação, o Brasil teve um crescimento econômico real médio de 4,39% ao ano. Nos cinco anos dos governos Collor e Itamar, o Brasil teve um crescimento econômico real médio de 1,24% ao ano. Nos oito anos do Governo FHC, o Brasil teve um crescimento econômico real médio de 2,31% ao ano. E nos – até agora – seis anos do Governo Lula, o Brasil teve um crescimento econômico real médio de 4,05% ao ano. As contas são do professor Ricardo Bergamini.

Mitos e medos
Os profissionais de comércio acreditam que pouco pode ser feito para prevenir a erosão das vendas dos grandes laboratórios pelos medicamentos genéricos. Eles têm a impressão de que as empresas fabricantes de medicamentos de marca possuem pouco tempo ou recursos para se dedicarem ao entendimento da concorrência dos genéricos. É o que mostra pesquisa feita pela Thomson Reuters para o livro Os Cinco Mitos sobre a Concorrência dos Genéricos, que mostra os temores dos grandes laboratórios frente a uma concorrência a que eles não estavam acostumados.

Ampla e geral
Após 19 anos, o Governo Federal determinou que se cumpra a Lei de Anistia e que sejam readmitidos no Sistema BNDES os 95 anistiados que ainda não haviam tido as suas anistias homologadas. A Comissão Especial Interministerial homologou a aprovação de 95 requerimentos que, segundo anistiados do BNDES, estavam encontrando resistência da tecnocracia do banco para a sua reintegração.

Elle não sabia
Os agora finalmente anistiados, demitidos do BNDES no Governo Collor, encontraram com o presidente “impichado” na semana passada, em Brasília. Collor declarou-se favorável à imediata reintegração dos anistiados. “Espero que a direção do BNDES reintegre imediatamente os funcionários injustamente demitidos em 1990”, declarou. E completou: “Fui enganado pela burocracia do banco em 1990 e sei que as demissões foram injustas e motivadas por intrigas institucionais. Todas as noites rezo para que estas injustiças sejam reparadas”. E finalizou: “Espero que Luciano Coutinho determine também a reparação material dos que foram injustiçados no passado”.

Viva a impunidade!
À época da Coroa, aqueles considerados inimigos do imperador e dos seus eram, além de enforcados, esfolados, esquartejados e – num processo de apagamento extensivo a seus descendentes – tinham salgada a terra na qual eram enterrados os pedaços dos corpos. Tudo para desestimular o surgimento de seguidores que retomassem as ações dos dissidentes. Na República, embora tenha se sofisticado, o processo de eliminação e intimidação dos que têm o mau hábito de investigar acusados de crimes de colarinhos branco mantém as mesmas marcas de truculência e desqualificação, que, em essência, visam a transformar acusados em vítimas e investigadores em culpados prévios.

Artigo anteriorVoz do dono
Próximo artigoFatos e comentários
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Incerteza da população ou dos mercados?

EUA e Reino Unido espalham suas expectativas para os demais países.

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.