Sem levantar poeira

Como disse Janio de Freitas em sua coluna, o Governo Temer está se fazendo de morto até conseguir aprovar o impeachment de Dilma Rousseff. Enquanto isso, com vistas a conseguir apoio parlamentar, evita temas desagradáveis, que poderiam respingar nos partidos e nos deputados e senadores candidatos nas eleições municipais. Se obtido o afastamento definitivo da presidente, entrariam em pauta os temas antipopulares de interesse dos avalistas de Michel Temer, sem necessidade de passar pelo teste das urnas (aliás, o governo “socialista” da França acabou de fazer o mesmo).

Mas não é só o governo interino que anda na muda. A Operação Lava Jato também tem andado sumida da mídia. Talvez seja coincidência; talvez porque estejam escasseando os integrantes do PT que podem ser acusados. O fato é que a ampliação das prisões para outros partidos foi tímida, apesar de robustas provas contra integrantes do PMDB, PSDB e legendas menores. Também parece apagada a investigação na Eletrobras, que atingiria certamente os peemedebistas do Nordeste e tucanos de Minas. Mas, na área elétrica, o foco parece ser o programa nuclear brasileiro, atingindo também a construção dos submarinos.

Mera coincidência, mas a Lava Jato – ou a divulgação dela – atende bem a uma agenda de interesses não nacionais.

Avanço no mar

O Porto Itapoá conseguiu o maior crescimento entre os terminais brasileiros de grande porte de 2014 para 2015, de acordo com levantamento feito pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). Com 7,7% de avanço no movimento de carga, o terminal catarinense superou todos os principais terminais de contêineres (acima de 100 mil TEUs/ano) do país, movimentando um total de 501.523TEUs, contra 465.665 TEUs do ano anterior, o que o coloca na 26ª colocação na América Latina. TEUs é a medida padrão para contêineres de 20 pés.

Em segundo lugar em termos de aumento de movimentação de carga está Rio Grande (RS), com variação de 7,1%, seguido de Paranaguá (PR), com aumento de 3,3%, e o Porto de Santos (2,1%). Entre os maiores terminais de contêineres brasileiros, Portonave apresentou o pior resultado, com queda de 2,1% na movimentação. Santos ainda ocupa a liderança em números absolutos na América Latina, com 3.645.448 TEUs.

Para a direção do Porto Itapoá, o resultado positivo reflete a preocupação do terminal com a eficiência operacional e com a busca de soluções logísticas para os seus clientes. O bom desempenho, a despeito da crise pela qual passa o país, comprova também que o Terminal, em pouco mais de cinco anos de operação, consolidou a sua vocação entre os mais importantes portos de cargas conteinerizadas do Brasil.

O Porto Itapoá tem como acionistas a Aliança Navegação, a Logz Logística Brasil S/A e o Grupo Batistella.

Recorde

O Porto de Paranaguá bateu o quinto recorde em movimentação de cargas de 2016 ao registrar o maior volume de produtos já carregados no período de seis meses.

Recuo

O Porto do Rio de Janeiro não vai bem. Na América Latina, em 2015, ocupou o 37º lugar em movimentação de contêineres, com queda de 28% em relação a 2014. O porto sofre com problemas de acesso, tanto por mar, para atracação dos navios, como por terra, devido às obras na região portuária e na Avenida Brasil.

Conserto

A venda de aparelhos celulares novos caiu 13,4% no ano. Ruim para os fabricantes, bom para o setor de reparos, que registrou um aumento de 28% nos consertos de eletrônicos em geral em relação a 2015. A Conserta Smart, rede de assistência técnica de smartphones, praticamente multiplicou por seis o número de reparos no primeiro semestre. Para Felipe Marchese, CEO da Conserta Smart, pesaram fatores como a alta de impostos e as dificuldades na economia no Brasil, deixando como melhor opção continuar com o “velho” aparelho.

Ricaços chineses

A Sergio Castro Imóveis participa, de 22 a 25 de setembro, em Cantão, China, da 13ª Feira LPS de imóveis de luxo. Serão 110 expositores do mundo inteiro oferecendo imóveis de luxo – de palácios a hotéis – para 6 mil investidores do sul da Ásia.

Única empresa brasileira presente, a Sergio Castro vai apresentar opções no Rio e São Paulo. “Levaremos imóveis de R$ 12 milhões a R$ 400 milhões”, diz Claudio Castro, diretor comercial da empresa. Entre as propriedades estão o edifício Serrador e o Largo do Boticário.

Rápidas

O homem-forte das privatizações do governo interino, Moreira Franco, visita a Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio) nesta sexta. Ele vai participar do Almoço do Empresário e apresentar a palestra “Protagonismo do Empresariado na Reconstrução do Brasil” *** O Caxias Shopping (RJ) realiza a segunda edição do “Arraiá Caxias Shopping” nos dias 29, 30 e 31. Haverá show com o cantor João Gabriel, no sábado *** A Editora FGV lança dia 28 o livro Crônicas de uma crise anunciada: a falência da economia brasileira documentada mês a mês, dos economistas Pedro Cavalcanti e Renato Fragelli. O evento acontece na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, a partir das 19h.

Artigo anteriorA preferência por Temer
Próximo artigoSoltar as amarras
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Empresa pode dar justa causa a quem não se vacinar?

Advogado afirma que companhias são responsáveis pela saúde no ambiente de trabalho.

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

A cabeça do dragão

Por Gustavo Miotti.

Portugueses pedem extensão das moratórias bancárias

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) está pleiteando a prorrogação das moratórias bancárias até 31 de março de 2022”. O...

China libera reservas de metais não ferrosos para reduzir custos

A China disse que continuará a liberar suas reservas estatais de cobre, alumínio e zinco para garantir preços estáveis para as commodities e aliviar...