Sem maioria, governo perde votações na Alerj

Em uma semana, foram derrubados 17 vetos.

Decisões Econômicas / 16:46 - 4 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A bancada do governo fluminense na Assembleia Legislativa do Rio está em frangalhos, sem uma liderança de fato e à deriva em uma grande crise política. Prova disso foi a derrota do governo nas votações desta semana na Alerj. Agora, o governador Wilson Witzel costura acordos para tentar recompor sua bancada.

Roserverg Reis

Procura-se um líder de bancada

As primeiras tentativas do governo de recompor sua bancada não foram boas. Sem um interlocutor hábil, o governador tentou convencer o deputado Rosenberg Reis (MDB) a assumir a liderança do governo na Casa. Não conseguiu.

 

Vetos derrubados

A falta de uma articulação política com a Alerj resultou está semana na derrubada de 17 vetos do governador a projetos de lei, 14 deles voltados para a pandemia do coronavírus.

 

Superlotação em tempos de Covid-19

Quem anda de transporte público sabe da superlotação em ônibus e trens. As frotas foram reduzidas usando-se como desculpa o isolamento social. A Alerj tinha aprovado uma lei obrigando as concessionárias a manter 80% das frotas funcionando. A lei foi vetada pelo governador, e esta semana ela passa a valer, com a derrubada do veto.

Waldeck Carneiro

Alerta sobre aumento de casos

Em reunião virtual presidida pelo deputado Waldeck Carneiro (PT), da Comissão de Ciência e Tecnologia da Alerj, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, disse que a retomada gradual das atividades econômicas no Rio pode resultar em um aumento de casos de coronavírus, já que a curva de contaminação da doença continua subindo. A reunião teve a participação do presidente da Comissão de Educação da Alerj, deputado Flávio Serafim (Psol).

 

Candidato prevenido

Terminou dia 4 de junho o prazo para pré-candidatos a prefeito deixarem cargos no Executivo. Quem perdeu o prazo não poderá disputar a eleição deste ano. Prudente, Axel Grael (PDT), pré-candidato a prefeito de Niterói, deixou o governo municipal na terça-feira, dia 2.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor