Senado aprova criação da S/A do futebol

Cadeia produtiva do esporte foi responsável por 0,72% do PIB do país em 2018.

O Plenário do Senado aprovou, nesta quinta-feira, o projeto que prevê incentivos para que os clubes de futebol se transformem em empresas (PL 5.516/2019). De autoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, a matéria teve como relator o senador Carlos Portinho (PL-RJ) e segue agora para a análise da Câmara dos Deputados.

O projeto cria o Sistema do Futebol Brasileiro, mediante tipificação da Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Também estabelece normas de governança, controle e transparência; institui meios de financiamento da atividade futebolística; e prevê um sistema tributário específico.

De acordo com o texto, o modelo da SAF submeterá os clubes à regulação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), abrindo a possibilidade de se levantar recursos por meio de emissão de debêntures e ações. Contrapartidas sociais e critérios de responsabilização também estão previstos na matéria.

Carlos Portinho destacou a importância do futebol como forma de cultura e como negócio, e citou um estudo encomendado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para mostrar que, em 2018, a cadeia produtiva do futebol foi responsável por 0,72% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, com a geração de aproximadamente 156 mil empregos e a movimentação de quase R$ 53 bilhões. Segundo o relator, existem mais de 7 mil clubes registrados no Brasil, que reúnem em torno de 360 mil atletas atuantes em cerca de 250 competições.

Além disso, Portinho disse que o futebol vai além da questão da identidade cultural: só em tributos, o futebol teria gerado em 2018 o valor de R$ 761 milhões em arrecadação. Ele ainda apontou que o projeto permite maior controle, maior governança e pode modernizar a organização do futebol no país.

O senador lembrou que a adesão à proposta não será obrigatória para os clubes. “O principal objeto desse projeto de lei é a criação de um novo tipo societário, exclusivamente para o futebol, para que, com regras específicas de objeto social, constituição, capitalização, governança e mecanismos de saneamento, se possa aprimorar o ecossistema do futebol brasileiro”, declarou o relator.

Agência Senado

Leia também:

Copa América: nem cartão de crédito e nem cerveja

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Senado aprova auxílio-gás que barateia em 50% botijão de 13Kg

Pagamento do benefício será feito preferencialmente à mulher responsável pela família.

Vacinação contra Covid segura queda do PIB em agosto

Segundo Ibre/FGV, na comparação interanual, a economia avançou 4,4%.

Covid deixou 12 mil órfãos de até seis anos no país

Estudo de associação de cartórios foi feito entre 16 de março de 2020 e 24 de setembro deste ano.

Últimas Notícias

Senado aprova auxílio-gás que barateia em 50% botijão de 13Kg

Pagamento do benefício será feito preferencialmente à mulher responsável pela família.

RJ: R$ 7 bi em cultura, ciência e tecnologia e esporte e lazer

RJ: R$ 7 bi em cultura, ciência e tecnologia e esporte e lazer é consequência do fato de a Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa...

Mesmo com crise modelo de privatização da Eletrobras é aprovado

Empregados e aposentados da estatal terão prioridade para comprar 10% das ações.

Conversa com Investidor: Kepler Weber (KEPL3)

Coordenação: Jorge Priori

Consertar este planeta

Por Paulo Márcio de Mello