Senado avalia que auxílio aos estados compensa perdas com pandemia

Apenas Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul ficariam no vermelho.

A ajuda da União aos estados para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus pode chegar a R$ 107,1 bilhões, o suficiente para compensar a perda de arrecadação projetada para a maioria dos governos estaduais em virtude da crise econômica causada pela pandemia.

O cálculo, que diverge das estimativas até agora apresentadas, foi feito pela Instituição Fiscal Independente do Senado (IFI).

Quando se leva em conta a distribuição da ajuda entre os estados, observa-se que a maior parte desses entes poderá receber ajuda superior às perdas, assim como deverá haver estados que não terão suas perdas compensadas. Trata-se de um resultado previsível, considerando-se que as medidas foram sendo tomadas sem levar em conta o seu efeito conjunto. Agreguem-se a isso as dificuldades para se antever os diferentes impactos da crise sobre a arrecadação de cada estado”, diz o estudo divulgado pela Agência Senado.

Nos cálculos do IFI estão incluídas não só as parcelas de ajuda financeira pagas diretamente pela União, mas outras transferências de recursos, além da suspensão do pagamento das dívidas dos entes federados com o governo central e com instituições internacionais.

Num dos cenários do estudo, até dezembro, levando em conta a diferença entre a ajuda e a perda de cada estado e considerando o percentual de redução de receita igual para todos, apenas Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul ficariam no vermelho.

A nota técnica lembra que a maioria dos estados brasileiros já apresentava situação fiscal frágil e projeta que nos próximos anos, além de novos empréstimos, a dívida terá que ser renegociada nos casos mais graves.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Projeto de lei visa incentivar o bom pagador

Para conseguir os benefícios, o consumidor já deverá ter honrado mais de 75% da dívida total

Mercado reduz projeção da inflação de 7,15% para 7,11%

Para 2023, a estimativa de inflação ficou em 5,36%

Endividamento explode após fim de saques do FGTS e adiantamento do 13º

Quase 8 em cada 10 brasileiros têm dívidas; 29% em atraso.

Últimas Notícias

Armazém Cultural: Câmara debate veto do prefeito do Rio

.Comissão de Justiça e Redação recomenda rejeição ao veto

Plataformas da Bacia de Campos tem hotéis flutuantes

Petrobras estuda investir US$ 220 milhões até 2023

Ações do setor de saúde puxam Ibovespa

Destaque também para Petrobras, que celebrou novo aditivo ao contrato de compra de gás natural com a YPFB

Governo de MG conclui leilão de 627,4 km de rodovias

Investimentos de R$ 3,2 bi, sendo R$ 1,4 bi nos oito primeiros anos da concessão

Bancos chineses: mais empréstimos para empresas privadas

No final de junho aumento de 11,4% em relação ao ano anterior