Senadores querem prisão para os fura-filas

Enquanto as autoridades municipais fecham os olhos para os que estão furando a fila na vacinação contra a Covid-19, o Senado não quer deixar passar. Já tramitam na Casa três projetos de lei determinando a prisão de quem furar a fila para tomar a vacina. As penas sugeridas variam de três meses a seis anos, além de multa. Os projetos têm pedido de urgência e devem entrar na pauta do Senado já na próxima semana, com o fim do recesso parlamentar.

 

Alerj pode definir punição

Na Alerj, que retoma as sessões de discussão e votação na próxima terça-feira, vários parlamentares finalizam projetos de lei com propostas de punições para quem for flagrado furando a fila de vacinação. Entre as possíveis propostas estão a perda do cargo no caso de secretários e gestores municipais, exoneração de servidores e proibição de participação em concursos públicos.

Anderson Moraes (foto divulgação, Alerj)
Anderson Moraes (foto divulgação, Alerj)

Prioridade para a Baixada

O deputado Anderson Moraes (PSL) está solicitando ao governador em exercício Cláudio Castro prioridade para a Baixada Fluminense na vacinação contra a Covid-19. Ele alega que a região é a que registra o maior número de casos no estado e conta com poucas unidades de saúde em funcionamento. O deputado teme que a Baixada repita o que vem acontecendo em Manaus, com muitos infectados e poucos leitos disponíveis.

 

Alerj está de malas prontas

A Alerj está pronta para se transferir para o antigo prédio do Banerj, na rua da Ajuda, no Centro do Rio, que foi todo reformado para abrigar em um só local todos os seus setores, gabinetes e o plenário. Alguns departamentos já encaixotaram tudo e devem se mudar nos próximos dias. O Palácio Tiradentes, onde hoje acontecem as sessões, será um Centro Cultural e o prédio anexo, onde estão os gabinetes, será o Hospital dos Olhos do Estado do Rio.

Carlos Caiado, Tânia Basto e André Ceciliano (foto divulgação, Alerj)
Carlos Caiado, Tânia Basto e André Ceciliano (foto divulgação, Alerj)

Vereadores ocuparão lugar

Assim que os deputados desocuparem os gabinetes, se transferindo para o novo endereço, o Palácio Tiradentes e seu anexo serão cedidos temporariamente à Câmara Municipal do Rio que, por sua vez, vai reformar o Palácio Pedro Ernesto e os gabinetes dos vereadores. Esta semana, os presidentes das duas Casas legislativas, o deputado André Ceciliano (PT) e o vereador Carlos Caiado (DEM), se encontraram para traçar os detalhes da transferência provisória. A vice-presidente da Câmara, vereadora Tânia Bastos (PRB), participou do encontro.

Leia mais:

Deputadas querem evitar reajuste nos trens

Alerj: novos deputados mudam composição da Mesa

Artigos Relacionados

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Acesso à água e gênero

O amplo acesso ao líquido e ao saneamento poderia retirar cerca de 635 mil mulheres da pobreza.

É proibido proibir

Todos sem máscara, como se não fosse obrigatório.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.