Senhor caos

Semanas antes das eleições que levaram Fernando de la Rúa ao poder, no fim de 2000, o ministro Pedro Malan pontificava em colunas nativas de Economia exortando a oposição local a seguir o exemplo de UCR e Frepaso, que se comprometiam a dar continuidade aos “fundamentos” da mesma política que tornara Carlos Menem tão impopular. Mesmo com o cenário de caos já desenhado, o ministro insistia em repetir o bordão “oposição responsável”. Eleito, De lá Rúa seguiu à risca a promessa e deu no que deu. Agora, Malan volta a cobrar de Lula, Ciro e Garotinho compromisso semelhante ao assumido por De la Rúa. Espera-se que o eleito ignore o apelo e não convoque um Cavallo tucano para a Fazenda.

Só assim
O silêncio denunciador da mídia venezuelana sobre a revolta popular contra os golpistas que apearam Hugo Chávez do poder obrigou os defensores da legalidade a recorrerem a um artifício para furar a censura. No segundo dia do golpe, o procurador-geral da República, Isaías Rodriguez, convocou a imprensa para uma entrevista coletiva, antecipando que nela anunciaria sua renúncia. Funcionou como abelha no mel. A mídia acorreu em massa, ansiosa para que a população testemunhasse, ao vivo, mais um importante quadro a abandonar Chávez. As primeiras palavras de Rodriguez, porém, surpreenderam e decepcionaram as vivandeiras venezuelanas: “O presidente não renunciou. O vice, Diosdalo Cabello, está vivo e o perseguem para matá-lo. O povo está nas ruas. As unidades militares de Maracay, Valencia e Barquisemeto estão sublevadas. Chávez voltará.” Graças a uma mentira, a mídia viu-se, compulsoriamente, obrigada a suspender a interdição ao contraditório.

Neoprece
“Ajuda-nos a combater o vírus do consumismo, do desperdício, do apego, da ambição e acumulação…  a compreender que o escândalo da miséria e da fome não se resolve com políticas compensatórias, com práticas assistencialistas que humilham e geram dependência, usadas tantas vezes como forma de manipulação eleitoreira … Que saibamos escolher políticos comprometidos com a pessoa humana e com princípios éticos.” Esses são trechos das novas orações sugeridas na 40.ª Assembléia Geral da Conselho da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para o Mutirão Nacional para a Superação da Miséria e da Fome, que será lançado durante as comemorações de Corpus Christi, em 30 maio.

Aconselhamento
Em procissões espalhadas por todo o país, religiosos e leigos lembrarão que “as desigualdades sociais crescem como fruto deste modelo de globalização do mercado, que concentra poder e riqueza enquanto faz diminuírem os postos de trabalho nas atividades econômicas na cidade e no campo”. Ou ainda, “sabemos que existe alimento suficiente para todos e a fome e a miséria se devem à má distribuição da terra e à desigual repartição dos bens e da renda”.
Os ambientalistas não foram esquecidos. “Não podemos assistir impassíveis à destruição do planeta, da terra e da água, agravada por um modelo econômico que busca o lucro a qualquer custo, particularmente na especulação financeira”. E o povo deve responder: “Dai-lhes vós mesmos de comer”.

Pequenez
Em nome ao menos do respeito que deve aos contribuintes que lhe pagam o salário, o ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, deveria se comprometer a somente voltar a falar em retaliações contra o protecionismo dos Estados Unidos, quando essa promessa se materializar em ações concretas, como as tomadas, por exemplo, por União Européia e Japão. Aliás, se Lafer usasse um décimo do empenho mostrado para atacar Lula no exterior em defesa dos interesses brasileiros contra o protecionismo de Bush, o país se orgulharia de ter um chanceler com c maiúsculo, em vez de um tirador de sapatos em aeroportos norte-americanos.

Vantagem
Chamada de primeira página de um jornal carioca, na semana que se encerra: “Lula cresce entre as mulheres”

Artigo anteriorCanto da sereia
Próximo artigoIdéias em comum
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É a saúde (além da economia), estúpido!

Vacinação e estímulos à economia andam juntos; Brasil fica para trás em ambos.

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Lula livre. Até quando?

Jurista: Necessidade de proteger Moro e os procuradores da Lava Jato.

Produtividade na indústria cai com menor produção na pandemia

Para 2021, as perspectivas são melhores, em razão do início da vacinação da população.

Demanda por bens industriais cresceu 0,6% em janeiro

Ipea apontou avanço de 6,6% no trimestre móvel encerrado no primeiro mês de 2021.

Aumenta consumo de pornô por público feminino

Relatório de site de entretenimento adulto revela que 39% do acessos são de mulheres.

Abertura de empresas tem alta de 13,4% em novembro

Segundo Serasa, sociedades limitadas impulsionaram índice; comércio teve alta estimulada por Black Friday e festas de fim de ano.