Ser ou não ser

A exótica união entre a Câmara de Comércio Dinamarquês-Brasileira e a Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense será anunciada hoje. Jens Olesen, presidente da câmara, e Wagner Tavares de Araújo, presidente da Imperatriz garantem que o acordo para o próximo Carnaval é parte de um projeto internacional que ainda envolverá outros investimentos no Brasil em 2005. Especula-se que o enredo da escola no próximo ano será Hamlet.

A gravidez do Palocci.
Além da novela do Waldomiro, dois assuntos mexeram com o noticiário de início do ano. Curiosamente, duas barrigas falsas: a de Luma de Oliveira e a do PIB de 2003. Explicando melhor, assim como Luma, alegando motivos familiares, mentiu sobre o crescimento de sua prole, a equipe econômica iludiu os brasileiros ao prometer, no início de 2003, uma gravidez de 2,8% no PIB do ano passado e provocar um aborto de 0,2% nas riquezas nacionais.
Desmentidas as versões iniciais, a gravidez de Luma vira problema de foro íntimo. Já a falsa engorda do PIB nacional, além de tema público, acena com desdobramentos mais preocupantes. Como a queda de 8,6% sofrida pela construção civil foi um dos principais fatores de pressão sobre o PIB em 2003, está aberta a temporada de falsa gravidez da construção.
Protagonista da nova pantomina, o ministro Antônio Palocci anunciou cinco medidas com a promessa de fecundar o setor. Das cinco, duas se dirigem mais a anabolizar a saúde do sistema financeiro do que em fertilizar a construção. É o caso da redução do alcance de futuras liminares que suspendam reajustes no financiamento e da troca do instituto da hipoteca pela alienação fiduciária, que agiliza a retomada dos imóveis na Justiça em caso de inadimplência do comprador. Uma terceira, prepara as condições para o lançamento de recebíveis com papéis de imóveis, reengenharia maravilhosa que ajudou a quebrar o sistema financeiro japonês e arrastar aquele país para sua década perdida.
Das duas restantes, tem-se ainda um espermatozóide falso – a que supostamente compromete o patrimônio da construtora em caso de quebra tipo Encol – e outra minimiza escândalo maior do que o casos Waldomiro e Luma juntos, ao reduzir o subsídio dado aos bancos que, além não aplicarem na construção civil 65% da poupança que arrecadam, eram remunerados pela TR mais 6,7%. Esse agrado agora cai para 80% da TR.
Tudo isso, somado, descobre-se que, passado o Carnaval, resolve-se até a farsa da gravidez da Luma. Já a embromação da equipe econômica ameaça se estender da Quarta-feira de Cinzas ao Natal, quando tem início nova parolagem, a da promessa da gravidez do PIB de…2005.

Clonagem momesca
Estilingue em carnavais passados, o PT virou vidraça. No irreverente bloco carioca Que Merda é Essa?, um folião segurava um cartaz com uma crítica mordaz ao neopetismo: “Nem as moscas mudaram”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCusto Palocci
Próximo artigoSinal vermelho

Artigos Relacionados

Suíça é ponte para exportações à Rússia

Vendas do País que lava mais branco aos russos cresceram mais de 80% desde fevereiro.

Homens pintam melhor que mulheres?

Não, mas recebem 10 vezes mais por obra.

Rio tem opções de áreas para termelétricas

Estado tem as melhores características na Região Sudeste, diz Wagner Victer.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.