Serviço ao consumidor foi o setor que mais investiu em mídia digital

Idosos ficam mais digitalizados e aplicativos crescem entre público com mais de 60 anos.

Estudo do Digital AdSpend, com parceria do IAB Brasil e a Kantar Ibope Media, analisou os setores que mais investiram em plataformas digitais nos últimos 18 meses.

Em 2020, o estudo mostrava que os Top 15 setores concentraram mais de 94% das compras em mídia digital. Na lista, os cinco setores que tiveram destaques nos investimentos foram: serviços ao consumidor, comércio, financeiro/securitário, mídia e eletros. Desse total, alguns setores destacam-se por um maior share dentro do investimento digital do que sua participação correspondente no total meios. São eles: serviços ao consumidor (21,9%), financeiro (12,2%), mídias (7,6%), eletrônicos (6,8%), turismo (4,3%), imobiliário (2,5%) e vestuário (1%).

Já no primeiro semestre de 2021, os mesmos 15 setores totalizaram 93% dos investimentos em digital. O destaque para este período fica para alguns setores que ampliaram a sua participação em mídia digital, como é o caso do imobiliário que passou de 11º para sétimo lugar e turismo que subiu da oitava para a quinta posição.

Durante o ano de 2020 e primeiro semestre de 2021, o Digital AdSpend mostra que o aumento de anunciantes em plataformas digitais no Brasil refletiu no crescimento e nas oportunidades de negócios na publicidade digital. Apesar de os crescimentos mais importantes ocorrerem nos setores imobiliário, eletros e serviços, com mais de 100% de variação, a tendência também ocorre nos bens de consumo, nos FMCGs, já que bebidas, alimentos, higiene doméstica e a higiene & beleza trazem crescimentos acima de 50% no número de anunciantes detectados.

Já segundo a pesquisa TIC Domicílios 2020, elaborada pelo Cetic.br, o número de pessoas com mais de 60 anos digitalizadas deu um salto de 34%, em 2020, para 50%, neste ano. Uma das justificativas para esse aumento é a pandemia da Covid-19, que fez com que muitos passassem longos períodos isolados em casa. Mas a comodidade dos serviços por aplicativo e sites já vinha ganhando espaço entre esse público desde muito antes da crise da Covid-19.

Além de ter acesso a mais serviços, um dos principais motivadores para os idosos se conectarem é se informar sobre economia, política, esportes e outros assuntos, segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O levantamento também indica que o percentual de pessoas com mais de 60 anos no Brasil que estão online cresceu de 68%, em 2018, para 97%, em 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Dez anos após morte de Kadafi, Líbia sofre a pior crise humanitária

Em 2016, Obama chegou a reconhecer que seu pior erro foi não ter acompanhado de maneira efetiva o conflito após a queda do líder líbio.

Procedimentos contraceptivos têm queda na saúde suplementar

Pandemia impactou a realização de laqueaduras tubárias e o implante de dispositivos intrauterinos.

Últimas Notícias

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.

Dez anos após morte de Kadafi, Líbia sofre a pior crise humanitária

Em 2016, Obama chegou a reconhecer que seu pior erro foi não ter acompanhado de maneira efetiva o conflito após a queda do líder líbio.

Procedimentos contraceptivos têm queda na saúde suplementar

Pandemia impactou a realização de laqueaduras tubárias e o implante de dispositivos intrauterinos.