Serviços crescem 0,5% e atingem maior patamar desde novembro de 2015

Receita dos serviços teve alta de 20,7% em relação a agosto de 2020.

O setor de serviços teve um crescimento de 0,5% em volume na passagem de julho para agosto deste ano. Foi a quinta alta consecutiva do indicador, que atingiu o maior nível desde novembro de 2015.

Segundo a Pesquisa Mensal de serviços (PMS), divulgada hoje, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor acumula alta de 6,5% em cinco meses e encontra-se 4,6% acima do patamar de fevereiro de 2020, ou seja, do período pré-pandemia.

O volume de serviços também se expandiu na comparação com agosto do ano passado (16,7%), no acumulado do ano (11,5%) e no acumulado de 12 meses (5,1%).

Quatro das cinco atividades de serviços tiveram alta de julho para agosto: informação e comunicação (1,2%), transportes (1,1%), serviços prestados às famílias (4,1%) e outros serviços (1,5%).

A única queda veio dos serviços profissionais, administrativos e complementares, que recuaram 0,4% no período.

A receita nominal dos serviços teve altas de 1% na comparação com julho deste ano, de 20,7% em relação a agosto de 2020, de 13,5% no acumulado do ano e de 6,6% no acumulado de 12 meses.

Segundo Felipe Sichel, estrategista-chefe do Banco Digital Modalmais, “com as leituras mensais do IBGE, projetamos um recuo de -0,05% no IBC-Br de agosto.”

Em agosto, o volume de serviços avançou 0,5% em relação ao mês anterior e 16,7% YoY, praticamente em linha com nossas expectativas de 0,7% MoM e 16,5% YoY (ante 16,1% mercado).

“Por dentro do índice, serviços prestados às famílias foram novamente o destaque, avançando 4,1%. Especificamente, serviços de alojamento e alimentação avançaram 4,5% (contribuindo 0,3 pp. com o headline). Dos grupos, apenas serviços profissionais, administrativos e complementares variaram negativamente no mês (-0,4%). Serviços de informação e comunicação cresceram 1,2% no mês, outros serviços avançaram 1,5% e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio subiram 1,1%. Em especial, transporte aéreo avançou 7,4% (0,2 pp. de contribuição para o índice cheio).”

Felipe lembra que “a PMS com ajuste sazonal encontra-se atualmente em seu maior nível desde novembro de 2015. Destacamos, contudo, que volume das atividades turísticas continuam 20,8% abaixo do nível de fevereiro de 2020 e serviços prestados às famílias 17,4% abaixo. Ambos ainda indicariam um avanço dos serviços para os próximos meses.”

 

Com informações da Agência Brasil

Leia também:

Comércio deve contratar cerca de 7 mil temporários para fim do ano

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Sindicatos defendem política pública para tratar dos combustíveis

Melhor alternativa é considerar todas as etapas e beneficiar o consumidor

Sai edital da primeira desestatização de portos no país

Em Vitória a capacidade de movimentação portuária é de 7 milhões de toneladas

Receita abre segunda-feira consulta a lote residual do IR

Total das restituições atinge R$ 281,9 milhões

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...