Serviços crescem 0,5% e atingem maior patamar desde novembro de 2015

Receita dos serviços teve alta de 20,7% em relação a agosto de 2020.

O setor de serviços teve um crescimento de 0,5% em volume na passagem de julho para agosto deste ano. Foi a quinta alta consecutiva do indicador, que atingiu o maior nível desde novembro de 2015.

Segundo a Pesquisa Mensal de serviços (PMS), divulgada hoje, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor acumula alta de 6,5% em cinco meses e encontra-se 4,6% acima do patamar de fevereiro de 2020, ou seja, do período pré-pandemia.

O volume de serviços também se expandiu na comparação com agosto do ano passado (16,7%), no acumulado do ano (11,5%) e no acumulado de 12 meses (5,1%).

Quatro das cinco atividades de serviços tiveram alta de julho para agosto: informação e comunicação (1,2%), transportes (1,1%), serviços prestados às famílias (4,1%) e outros serviços (1,5%).

A única queda veio dos serviços profissionais, administrativos e complementares, que recuaram 0,4% no período.

A receita nominal dos serviços teve altas de 1% na comparação com julho deste ano, de 20,7% em relação a agosto de 2020, de 13,5% no acumulado do ano e de 6,6% no acumulado de 12 meses.

Segundo Felipe Sichel, estrategista-chefe do Banco Digital Modalmais, “com as leituras mensais do IBGE, projetamos um recuo de -0,05% no IBC-Br de agosto.”

Em agosto, o volume de serviços avançou 0,5% em relação ao mês anterior e 16,7% YoY, praticamente em linha com nossas expectativas de 0,7% MoM e 16,5% YoY (ante 16,1% mercado).

“Por dentro do índice, serviços prestados às famílias foram novamente o destaque, avançando 4,1%. Especificamente, serviços de alojamento e alimentação avançaram 4,5% (contribuindo 0,3 pp. com o headline). Dos grupos, apenas serviços profissionais, administrativos e complementares variaram negativamente no mês (-0,4%). Serviços de informação e comunicação cresceram 1,2% no mês, outros serviços avançaram 1,5% e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio subiram 1,1%. Em especial, transporte aéreo avançou 7,4% (0,2 pp. de contribuição para o índice cheio).”

Felipe lembra que “a PMS com ajuste sazonal encontra-se atualmente em seu maior nível desde novembro de 2015. Destacamos, contudo, que volume das atividades turísticas continuam 20,8% abaixo do nível de fevereiro de 2020 e serviços prestados às famílias 17,4% abaixo. Ambos ainda indicariam um avanço dos serviços para os próximos meses.”

 

Com informações da Agência Brasil

Leia também:

Comércio deve contratar cerca de 7 mil temporários para fim do ano

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Geração de energia solar traz R$ 35,6 bi de investimentos ao país

Potência nos telhados e terrenos com sistemas fotovoltaicos equivale a metade da capacidade de Itaipu.

Ciência: entidades pedem liberação de recursos

Organizações questionam redirecionamento para outras áreas de R$ 515 milhões, que eram do CNPq.

Últimas Notícias

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Geração de energia solar traz R$ 35,6 bi de investimentos ao país

Potência nos telhados e terrenos com sistemas fotovoltaicos equivale a metade da capacidade de Itaipu.

Direito de controle sobre funcionários que trabalham de casa

Por Leonardo Jubilut.

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...