Sete em 10 fluminenses temem perder seus empregos

Para 55,5% da população do estado, receio é ter sua renda familiar ainda mais reduzida em decorrência da pandemia.

Rio de Janeiro / 10:28 - 28 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os efeitos da pandemia estão indo além das implicações econômicas e já afetam também o ânimo das pessoas, foi o que comprovou um levantamento do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec-RJ), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) com 436 consumidores do estado do Rio de Janeiro. Cerca 72,7% dos fluminenses estão, de alguma forma, com medo de perder seus empregos. A sondagem também quis saber a expectativa em relação à retomada da economia no estado do Rio de Janeiro. E 58% dos consumidores se mostram pessimistas, contra 32,3% que estão confiantes ou muito confiantes. Com relação à economia nacional, 48,4% dos pesquisados demonstram estar descrentes, mas 44,7% permanecem confiantes.

O estudo também mostra que aproximadamente 55,5% dos fluminenses estão com receio de ter sua renda familiar ainda mais reduzida por conta dos efeitos econômicos da pandemia. Já para 28,9% dos pesquisados, a renda vai se manter como está e, outros 13,1%, acreditam que vai até aumentar.

O IFec-RJ ainda perguntou aos moradores do estado do Rio quais despesas se tornariam maiores em julho relativamente ao mês de junho. O grupo de alimentos e bebidas liderou o ranking com 77,8%, seguidos por luz elétrica, gás e água (55,5%); produtos farmacêuticos (42,7%); produtos de higiene pessoal (42,4%); produtos de limpeza (40,8%); internet de celular (14,2%); e produtos eletrônicos (9,6%).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor