Setor de moda cresce 178% em faturamento

Brasil faz do chinelo de dedo produto de moda e de exportação.

Entre os segmentos de franquias mais impactados pela pandemia esteve o de Moda. No entanto, dados da Associação Brasileira do Franchising (ABF) apontam uma recuperação. Para se ter ideia, no segundo trimestre deste ano, foi registrado o terceiro melhor desempenho no que se refere ao faturamento, ficando atrás somente de entretenimento e lazer e hotelaria e turismo, com alta de 178,2% ante o mesmo período de 2020.

Estes bons resultados se devem, além da retomada aos poucos da vida social, ao avanço da vacinação em todo o país e à expansão dos horários de funcionamentos dos shoppings. E com a expansão dos horários, houve também um aumento na frequência, como mostra um estudo da Associação Brasileira de Shopping Center (Abrasce), que aponta que que seis em cada dez consumidores já visitaram algum empreendimento comercial após o início da reabertura. Entre os consumidores de baixa renda, este percentual corresponde a 64%, seguidos pelos de renda média, 58%, e alta 56%.

De acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), de janeiro a setembro deste ano, o chinelo de dedo gerou 52,4% dos embarques do setor em quantidade, apesar de responder por apenas 18,8% da receita da exportação por causa do preço menor comparando a outros modelos. Nada menos que 45 milhões de pares saíram dos portos brasileiros para ganhar o mundo neste ano, fazendo do país um importante player na área. Hoje, o chinelo de dedo responde por mais da metade das vendas internacionais da indústria calçadista nacional.

 

Com informações da Agência de Notícias Brasil-Árabe

Leia também:

Mais de 62 milhões de brasileiros possuem compras parceladas

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

Brasil corre risco de desabastecimento de diesel

Alerta foi feito inclusive pela direção da Petrobras

Queda na indústria atinge todos os grupos de intensidade tecnológica

Perdas no primeiro trimestre de 2022 vão de 2,3% a 8,7%.

Últimas Notícias

B 3 lança novos produtos para negociação de estratégias de juros

Operações são estruturadas de contratos futuros de DI, DAP e FRC

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

Brasil corre risco de desabastecimento de diesel

Alerta foi feito inclusive pela direção da Petrobras

Lucros das empresas subiram 55% no primeiro trimestre

Em abril, quase metade das categorias de trabalhadores não conseguiu repor inflação.

PIB dos EUA cai mais que previsto, porém inflação perde ritmo

Recessão não está descartada, segundo analistas.