Setor de seguros cresce 18% de janeiro a abril de 2024

Dados do setor de seguros até abril de 2024 divulgados pela Susep não incluem o segmento de saúde

246
Seguros
Seguros (ilustração Sincor-SP)

O faturamento do setor de seguros cresceu 18,1% nos primeiros quatro meses de 2024 em relação ao mesmo período de 2023, somando uma arrecadação de prêmios de R$ 138,74 bilhões. De acordo com relatório divulgado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), os valores que retornaram à sociedade (indenizações, resgates, benefícios e sorteios) totalizaram R$ 76,54 bilhões, dos quais R$ 19,82 bilhões apenas em abril.

A receita apenas com seguros (excluindo VGBL, previdência e capitalização) foi de R$ 64,67 bilhões, enquanto as indenizações somaram R$ 22,96 bilhões no quadrimestre. Os dados não incluem seguro-saúde, setor que é fiscalizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Os segmentos de seguros de danos e pessoas, excluindo-se o VGBL, apresentaram uma arrecadação de R$ 64,67 bilhões até abril de 2024, crescimento de 18,4% frente ao mesmo período de 2023. Os seguros de danos tiveram alta de 9,1% em prêmios (quanto o segurado paga) na mesma comparação.

As linhas de negócios dos seguros compreensivos e do seguro fiança locatícia destacaram-se, segundo a Susep, e tiveram, até abril de 2024, crescimentos de, respectivamente, 22,9% e 27,7%, sempre na comparação com igual quadrimestre do ano anterior.

Espaço Publicitáriocnseg

Nos seguros de pessoas, o seguro de vida atingiu, no acumulado até abril de 2024, R$ 10,82 bilhões, valor que representa um crescimento de 17,4% em relação ao mesmo período de 2023.

Confirmando a tendência de crescimento já observada nos meses anteriores, o produto de acumulação VGBL totalizou R$ 59,15 bilhões em contribuições nos primeiros quatro meses do ano, valor 28,7% maior que o mesmo período de 2023.

Os resgates e sorteios na capitalização apresentaram alta de 21,1% até abril de 2024. No primeiro quadrimestre do ano, retornou para a sociedade o montante de R$ 8,93 bilhões relativo aos produtos de capitalização, para uma receita de R$ 9,91 bilhões,

Adiamento de prazos para empresas do Rio Grande do Sul

O Relatório Síntese da Susep com os dados referentes ao mês de abril/2024 está sendo divulgado com atraso, pois a autarquia dilatou os prazos para cumprimento de demandas regulatórias pelas empresas sediadas no Rio Grande do Sul, em decorrência da calamidade pública ocorrida no Estado.

Além da decisão de adiamento dos prazos, a Susep afirma que tem atuado junto a todas as seguradoras, recomendando que elas reforcem os canais de comunicação para atendimento e apoio aos segurados, principalmente quanto aos serviços de assistência e demais coberturas.

Leia também:

RS: pedidos de pagamento de seguros superam R$ 3,88 bi | Monitor Mercantil

A Susep também solicitou que empreguem esforços para pronta liquidação dos sinistros, com reforço das equipes de regulação e disponibilização de lugares para eventualmente reunir os bens sinistrados, como no caso de automóveis e veículos rurais.

Além disso, a Susep reforçou às seguradoras que é salutar a prorrogação das coberturas dos contratos de seguros de todos os segmentos à população afetada, bem como dos prazos para pagamentos dos prêmios vencidos nesse período, sem prejuízo das coberturas contratadas.

Por fim, para melhor orientar a população, a Susep lançou um Guia de Orientações sobre os principais seguros que podem conter coberturas para danos causados por eventos climáticos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui