Setor livreiro abre ano com faturamento superior, mas volume menor

159
Livros (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Livros (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

O primeiro período de 2022 registrou uma boa performance trazendo um grande desafio de superação para 2023. O 1º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2023, pesquisa realizada pela Nielsen Book do Brasil e divulgada pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), registra um início de ano com um faturamento superior alcançando 1,95%, porém com um volume de livros comercializados 5,38% menor. O primeiro período de 2023 apresenta um faturamento de R$ 263,83 milhões contra R$ 258,79 milhões em 2022, e um volume de 5,23 milhões contra 5,53 milhões.

Segundo Ismael Borges, Territory Manager da Nielsen Book do Brasil, “neste mesmo período do ano passado, o número apresentado (crescimento de 22,43% em volume e 20,03% em valor) não só traduzia uma forte retomada às atividades de consumo, mas com isso também impunha um patamar alto de comparação para os próximos períodos”.

Ele observa um preço médio superior de 7,75% e um desconto médio menor de 4,5%, fatores que colaboraram para a positividade no faturamento, mesmo com um volume menor.

“Apesar do resultado negativo em volume e em valor real, ainda é cedo para apontarmos tendências. Especialmente considerando-se que o período equivalente do ano anterior foi de um crescimento acima do normal, em vista do retorno dos didáticos”, destaca Dante Cid, presidente do Snel.

Espaço Publicitáriocnseg

As campanhas dos varejistas em torno da volta às aulas influenciaram o bom desempenho de livros didáticos, que mostram um aumento do faturamento de 35,12% para 36,67% em 2023, uma diferença de 1,54 p.p. A categoria teve um aumento no preço médio de 14,34%, contribuindo para o crescimento do preço médio total do mercado.

Leia também:

Venda de cerveja cresceu 8% em 2022

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui