Shopping é atrativo para franquias de alimentação

Franquias do setor de serviços são oportunidade de investimento promissora em 2024

112
Shopping center (Foto: Valter Campanato/ABr)
Shopping center (Foto: Valter Campanato/ABr)

De acordo com os dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o país conta com 639 shoppings, atualmente. Desse montante, 193 estão localizados no Estado de São Paulo, representando 30,2% do total. Na sequência vem o Rio de Janeiro, com 71 shoppings, com um total de 11,1% do país.

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de serviços registrou um movimento impressionante no quarto trimestre de 2023, ultrapassando a marca de R$ 10 milhões em faturamento. Esse valor representa um crescimento significativo de 15,9% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A ABF estima que as franquias representam de 60% a 70% das ocupações em shoppings. A maior parte dessas unidades se encontram nas praças de alimentação, tendo como principal força as marcas do segmento de food service.

Já de acordo com a Associação Nacional dos Restaurantes (ANR), em março, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o indicador oficial de inflação no Brasil, registrou aumento de 0,16%, com destaque para os grupos de alimentação e bebidas, que apresentaram alta de 0,5%. Crescimento significativo, sobretudo no preço das frutas, com 3,7%. No entanto, o setor de restaurantes e bares, parte integrante do subgrupo de alimentação fora do domicílio, viu uma inflação de 0,35% em março, mais que o dobro da média geral. O número representa o 28º mês consecutivo de alta no segmento, indicando uma tendência persistente há quase dois anos e meio, com impacto direto aos consumidores.

Espaço Publicitáriocnseg

Os preços aumentaram em 15 das 16 regiões pesquisadas, com exceção de São Paulo, que registrou estabilidade. Porém, todos os produtos oferecidos em restaurantes e bares tiveram aumento em março. São eles: vinho (2,2%), café (2,07%), doces (2,0%), cerveja (1,05%), refrigerante e água mineral (1,03%), outras bebidas alcoólicas (0,72%), lanche (0,66%), sorvete (0,21%) e refeição (0,09%).

Apesar do cenário desafiador para os consumidores, os dados mostram que o primeiro trimestre registrou aumento de 1,09% no custo da alimentação fora do lar, abaixo da inflação média geral do país, que foi de 1,42%. Em fevereiro, a receita dos serviços de alimentação, principalmente de restaurantes e bares, cresceu 7% no Brasil, já descontada a inflação, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Esse foi o quarto mês consecutivo de crescimento, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Outros setores também apresentaram aumento na receita de serviços em fevereiro, incluindo informação e comunicação (5,6%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (2,6%). Como resultado, o faturamento de serviços como um todo cresceu 2,5% em fevereiro, marcando o segundo mês consecutivo de alta. Esse aumento foi observado em 22 das 27 unidades da federação pesquisadas, com destaque para o Acre (20%), Paraíba (11%) e Distrito Federal (10%). No entanto, algumas regiões enfrentaram desafios, como Mato Grosso (-8,8%), Roraima (-7,5%) e Goiás (0,5%). No primeiro bimestre, as receitas dos serviços de alimentação no Brasil aumentaram 7% em termos reais, impulsionando o resultado do setor de serviços como um todo (3,3%).

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui