Shoppings: 1.143 marcas abriram novas lojas no segundo trimestre

Dentre alimentação e bebidas, franquias representaram a grande maioria

303
Shopping center (Foto: Valter Campanato/ABr)
Shopping center (Foto: Valter Campanato/ABr)

Levantamento da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) aponta que 1.143 marcas inauguraram novas lojas em shoppings no segundo trimestre de 2023. No primeiro trimestre, esse número chegou a 831 marcas, uma alta de 37,5% entre os períodos e o que demonstra um acréscimo importante no plano de expansão das empresas. Em termos de comparação, ao longo de 2022, cerca de 4 mil marcas anunciaram inaugurações de novas lojas em shoppings, ano marcado por um grande crescimento do setor. Em 2021, esse montante foi de 3.500 marcas.

De acordo com o estudo “O Varejo dos Shoppings: Marcas em Expansão” os segmentos que mais expandiram entre abril e junho deste ano, foram alimentação e bebidas (28%), seguido por vestuário (19%), perfumaria e cosméticos (6%), artigos para o lar, decoração e presentes (6%), acessórios (6%), calçados (5%), entretenimento (5%), telefonia e acessórios (4%), serviços estéticos (3%), artigos esportivos (2%) e óticas (2%).

A seguir estão as 10 primeiras colocadas, entre as 1.143 marcas que anunciaram inaugurações ao longo do segundo trimestre, que mais inauguraram novas unidades entre todos os segmentos mapeados: 1ª – Milky Moo (alimentação e bebidas), 2ª – Fini (alimentação e bebidas), 3ª – Vivara / Life by Vivara (relojoaria e joalheria), 4ª – Natura (perfumaria e cosméticos), 5ª – Touti Cosmetics (perfumaria e cosméticos), 6ª – Cololido Algodão Doce (alimentação e bebidas), 7ª – Cacau Show (alimentação e bebidas), 8ª – Ótica Chilli Beans (óticas), 9ª – Carter’s (vestuário) e 10ª – Cheirin Bão (alimentação e bebidas) e New Era (acessórios).

Entre as 1.143 marcas que anunciaram inaugurações ao longo do segundo trimestre, dois segmentos se destacaram por terem lojas inauguradas acima da média e por possuírem abrangência em, pelo menos, mais de uma região.

Espaço Publicitáriocnseg

O segmento de alimentação e bebidas liderou o ranking das top 10 que mais inauguraram no período, com 28% de representatividade. No total, 318 marcas diferentes foram identificadas, e, dentre elas, as franquias representaram a grande maioria. Entre os destaques, estão: Milky Moo, Fini, Cololido Algodão Doce, Cacau Show, Cheirin Bão, Ice Cream Roll, Mundo di Chocolate, Kopenhagen, Outback e Nutty Bavarian, Oakberry Açaí, Cosechas, The B-Burgers, Starbucks e Johnny Joy.

O segmento de vestuário ocupou a segunda colocação, com 19% de representatividade entre as marcas que mais inauguraram lojas em shoppings. No total, 218 marcas distintas foram mapeadas e, entre as que mais se destacaram neste trimestre, estão: Carter’s, Raphael Steffens, Lupo, Criatiff, Tip Top, Calzedonia, Live! e Hering.

Marcas estreantes: 13 marcas estrearam com destaque dentro dos seus respectivos segmentos. No total dos 11 principais segmentos pesquisados, 7 tiveram marcas estreantes. São elas: Mundo di Chocolate (alimentação e bebidas), Imaginarium (artigos para o lar/decoração e presentes), Mmartan (artigos para o lar/decoração e presentes), Castor Colchões (artigos para o lar/decoração e presentes), Zazulê (artigos para o lar/decoração e presentes), Fuel (acessórios), Pampilli (calçados), Elephant Entretenimento (entretenimento), Fun Photo (entretenimento), Sóbrancelhas (serviços estéticos), Reebok (artigos esportivos), Arranjo Express (costura) e Omo Lavanderia (lavanderia).

Já dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf) mostram que pontos/milhas emitidos e resgatados também tiverem aumento expressivo no período. Em seus indicadores de mercado, referentes ao segundo trimestre de 2023, o estudo constatou um aumento de 20,4% no faturamento bruto de suas associadas, em relação ao mesmo período de 2022. O montante chegou a R$ 4,9 bilhões no período.

Os pontos/milhas emitidos também cresceram, totalizando 209,7 bilhões no trimestre, número 25,9% maior do que o verificado no 2T22. Desses, 5% foram provenientes da compra de passagens aéreas, e 95% acumulados pelos participantes em compras feitas no varejo, indústria e serviços.

No momento de trocar o saldo acumulado por benefícios, os brasileiros também continuam mostrando um crescente interesse. O aumento no resgate foi de 23,5%, com 175,2 bilhões pontos/milhas resgatados no segundo tri de 2023. 84,8% deles foi destinado às passagens aéreas, sendo os principais destinos internacionais Orlando-Flórida, Miami e Lisboa, e no Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Os demais (15,2%) foram utilizados para adquirir produtos e serviços não aéreos, como itens para casa, descontos, cashback e outras vantagens disponíveis nos catálogos dos programas.

A quantidade de cadastros nos programas chegou a 306,3 milhões, 9,5% maior do que o registrado ao final de junho de 2022. Já a taxa de breakage, que mede o percentual de pontos/milhas que venceram, foi a menor desde 2020, ficando em 14%. Importante ressaltar que o percentual não é calculado em cima dos pontos/milhas emitidos por trimestre, mas numa média daqueles que perderam a validade em um período de 12 meses.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui