Show do Milhão por vaga no TCE-RJ

Parlamentar teria pedido R$ 30 milhões para desistir da disputa.

A temperatura subiu na disputa entre deputados pela vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), que será aberta com a aposentadoria compulsória do conselheiro Aloysio Neves no final do mês. Comenta-se nos corredores da Alerj que um parlamentar chegou a pedir R$ 30 milhões para desistir da disputa diante de uma proposta de R$ 4 milhões recebida de outro deputado. Atualmente, três deputados já se declaram pré-candidatos à vaga: Márcio Pacheco (PSC), Rosenverg Reis (MDB) e Val Ceasa (Patriotas), mas há outros interessados. Os parlamentares com mais de dois mandatos se acham no direito de disputar a vaga. Resta saber quem tem tanto dinheiro disponível para investir em uma nova carreira.

Carlos Caiado e Tania Bastos com André Ceciliano (foto Alerj)
Vereadores Carlos Caiado e Tania Bastos com deputado André Ceciliano (foto Alerj)

Vereadores desistem de sessões no Tiradentes

Depois de muitas idas e vindas, a Câmara do Rio decidiu não mudar temporariamente para o Palácio Tiradentes, como estava programado. O presidente da Casa, vereador Carlos Caiado (DEM), disse que a mudança seria muito cara, e a opção foi reformar o Palácio Pedro Ernesto aos poucos, sem interromper os trabalhos legislativos. O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), e Caiado tinham assinado um acordo para que os vereadores usassem o Palácio Tiradentes para sessões plenárias durante o retrofit do Pedro Ernesto.

 

Cunha e a aposentadoria

Além da movimentação para retomar seus direitos políticos e disputar eleições ainda este ano, Eduardo Cunha quer recuperar sua aposentadoria como ex-deputado estadual do Rio. O benefício foi cassado pelo TJ-RJ sob a acusação de enriquecimento ilícito. Não é exatamente pelos R$ 20 mil, média do benefício pago aos ex-parlamentares. Cunha considera uma eventual vitória como um fato forte em sua campanha para voltar à Câmara.

Marcus Vinicius (foto de Julia Passos)
Marcus Vinicius (foto de Julia Passos)

Tombamento dos tempos do Imperador

O deputado Marcus Vinícius (PTB) defende o tombamento do Caminho do Imperador como Patrimônio Histórico e Cultural do Estado do Rio de Janeiro. Localizado em Paty de Alferes, o caminho foi a primeira via de ligação entre o Rio e Minas Gerais, sendo muito percorrida por D. Pedro II, no início do século 18, por causa de suas viagens durante o ciclo do ouro.

 

Fim do indulto para presos

Numa lista de prioridades do Governo Federal para este ano, está a aprovação do projeto que acaba de uma vez por todas com os indultos de presos, que usam a benesse para fugir e nunca mais voltar, cometer novos crimes e tripudiar das vítimas que estão condenadas a reviver nessas datas as agressões sofridas. A medida vai impedir também que matadores dos pais saiam para comemorar o Dia dos Pais ou das Mães, como no caso da paulista Suzane von Richthofen.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Indústria naval apresenta propostas para eleições 2022

Setor quer deixar para trás maré ruim dos últimos 7 anos

A Rota dos Vinhos do Tejo

Degustação apresenta a riqueza e diversidade da histórica e ainda desconhecida produção.

Fiat lança furgão Scudo com motor turbodiesel ou elétrico

Veículo para a última fase de entrega de produtos.

Últimas Notícias

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico